Bula Venture - Alta

Bula Venture

Haloxifope P metílico
21816
Alta

Composição

Haloxifope-P-metílico 108 g/L
Equivalente ácido de Haloxifope-P-metílico 103,8 g/L

Classificação

Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Seletivo, Pós-emergência

Algodão

Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Brachiaria ruziziensis (Ruziziensis)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chloris polydactyla (Capim-branco)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Lolium multiflorum (Azevém)
Sorghum arundinaceum (Sorgo selvagem)
Zea mays (Milho voluntário) (Milho voluntário)

Feijão

Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Brachiaria ruziziensis (Ruziziensis)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chloris polydactyla (Capim-branco)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Lolium multiflorum (Azevém)
Sorghum arundinaceum (Sorgo selvagem)
Zea mays (Milho voluntário) (Milho voluntário)

Soja

Brachiaria decumbens (Capim braquiária)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Brachiaria ruziziensis (Ruziziensis)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chloris polydactyla (Capim-branco)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Lolium multiflorum (Azevém)
Sorghum arundinaceum (Sorgo selvagem)
Zea mays (Milho voluntário) (Milho voluntário)

0,1; 0,2; 0.25; 0,5; 1; 2; 2.5; 3.0; 5; 10 ;15; 15; 20; 25; 50 L

INSTRUÇÕES DE USO:
VENTURE® é um herbicida seletivo recomendado para o controle pós-emergente de plantas daninhas de folhas estreitas em duas situações: em aplicações na pré-semeadura e em pósemergência das culturas da soja, algodão e feijão.
NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
VENTURE® pode ser aplicado em dessecação pré-semadura e após a emergência das culturas de algodão, soja e feijão, em um mesmo ciclo. Aplicar VENTURE®, em dessecação pré-semeadura, para o controle das plantas daninhas Brachiaria decumbes, Digitaria insularis, Digitaria horizontalis, Lolium multiflorum, Cenchrus echinatus, Eleusina indica, Chloris polydactyla e Sorghum arundinaceum, no estádio de 3-4 perfilhos e para o milho voluntário (Zea mays) no estádio de 3-4 folhas. As recomendações se aplicam às plantas daninhas quando em pleno desenvolvimento vegetativo e sem condições da planta sob stress hídrico. A aplicação em dessecação pode ser realizada em qualquer momento antes da semadura. Em pós-emergência a aplicação pode ser realizada entre 20 a 45 dias após o plantio das culturas de soja e algodão e, 20 a 30 dias após o plantio para a cultura do feijão. Apenas uma aplicação é suficiente para o controle das plantas daninhas, em cada modalidade de aplicação. Em áreas com problema de Capim-amargoso (Digitaria insularis), realizar um programa de manejo, com 2 aplicações sequenciais, com intervalos de 21 dias, na pré-semeadura das culturas (soja, algodão e feijão). A segunda aplicação deve ser realizada pelo menos 07 dias antes da semeadura. Complementar com 1 (uma) aplicação na pós-emergência da cultura.
Como VENTURE® não apresenta residual no solo suficiente para manter o controle do banco de sementes por longo prazo, havendo novos fluxos de plantas daninhas gramíneas após a semeadura das culturas da soja, algodão e feijão, se necessário, recomenda-se realizar uma aplicação em pós-emergência da cultura, seguindo as recomendações de bula. As doses maiores devem ser utilizadas para controlar as plantas daninhas em estádio de crescimento maior.
MODO DE APLICAÇÃO:
Nas culturas da soja, algodão e feijão, a aplicação deverá ser feita em área total e em dessecação pré-semeadura e/ou pós-emergência. VENTURE® deve ser pulverizado por meio de equipamento tratorizado com barra, utilizando-se bicos tipo leque ou equivalente, observandose sempre as recomendações do fabricante para a seleção adequada do tipo de bico e pressão de trabalho, aplicando-se de 100 a 200 litros de calda por hectare.
A aplicação aérea é recomendada para as culturas de soja, algodão e feijão. A aeronave agrícola deverá estar equipada com barra, bicos da série D, que produzam gotas maiores que 200 micras e calibrados para distribuir volume de calda de 30 a 50 L/ha. A faixa de deposição do produto será pré-determinada pelo tipo de aeronave. A altura do vôo deverá ser de 2 a 4 metros e a velocidade dos ventos não deverá ser superior a 8 km/hora. Visando uma aplicação uniforme, deve-se utilizar recursos adequados para demarcar a largura exata da faixa de pulverização.
CONDIÇÕES CLIMÁTICAS RECOMENDADAS:
Devem-se observar as condições climáticas ideais para a aplicação via terrestre e aérea do produto, tais como:
Temperatura: < 35°C
Velocidade do vento: 3 a 10 km/h
Umidade relativa: superior a 60%
Para outros parâmetros referentes à tecnologia de aplicação, seguir as recomendações técnicas indicadas pela pesquisa e/ou assistência técnica da região, sempre sob orientação de um Engenheiro Agrônomo. INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão ............................................. 123 dias
Feijão.................................................. 66 dias
Soja .................................................... 98 dias
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade para as culturas indicadas: O produto não é fitotóxico para as culturas indicadas.
Outras Restrições a Serem Observadas:
- Não aplicar VENTURE® sobre culturas gramíneas e evitar que uma possível deriva do produto atinja estas culturas.
- Não misturar VENTURE® com produtos à base de 2,4-D nas culturas indicadas.
- O produto pode ser usado em áreas onde já foram aplicados herbicidas residuais para o controle de folhas largas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas a ele resistentes. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas, deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.

- Produto Irritante aos Olhos.
- Produto Irritante a Pele.