Bula Volt - UPL

Bula Volt

CI
Bentazone; Acifluorfem
2399
UPL

Composição

Bentazona 400 g/L
Acifluorfem 170 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo, Contato

Polietileno: 1; 5 e 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO

Volt® é um herbicida seletivo, com ação de contato, para aplicação em pós-emergência. Aplicado sobre as plantas, é absorvido no espaço de algumas horas, iniciando sua ação. A cultura da soja tem capacidade de degradar com rapidez o produto, e por isso, a planta recupera-se dos efeitos iniciais de fitotoxicidade, desenvolvendo-se normalmente sem efeito negativo sobre a produtividade. As plantas infestantes para as quais o produto é indicado, não conseguem desativar o herbicida e, por isso, acabam morrendo, sendo alta a eficiência do herbicida contra as plantas no estágio inicial de desenvolvimento. Com o crescimento, estas vão perdendo a sensibilidade ao herbicida.

MODO DE AÇÃO

Volt® atua principalmente inibindo a fotossíntese e formação de carboidratos.

MODO DE APLICAÇÃO

Volt® deve ser diluído em água e aplicado por pulverização sobre as plantas infestantes. Sendo um produto com ação de contato, uma boa cobertura é importante para a plena eficácia.

• Pulverizadores, motorizados ou acoplados, de barra, com bicos uniformes de um dos seguintes tipos:
- Jato em leque, 80.02, 80.03, 110.02, 110.03, APG 110 R (vermelho), APG 110 D (laranja), VisiFlo amarelo, VisiFlo azul – ou equivalente que produzam gotículas entre 300 e 400 micra e permitam uma deposição de cerca de 20 gotículas/cm².
- Jato cônico, D2-13 ou D2-25 ou equivalente, que produzam gotículas entre 120 e 150 micra e permitam uma deposição de cerca de 40 a 50 gotículas/cm².
Pressão entre 40 e 60 libras/pol2. A altura da barra deve ser tal que permita pequena sobreposição dos jatos dos diversos bicos, no topo das plantas infestantes.
Volume de água: 200 a 300 L/ ha; quando a folhagem estiver molhada por orvalho ou neblina, reduzir o volume de água.
• Avião agrícola, equipado com barra e bicos de jato cônico, montados na vertical (90º) em duas opções:
- 36 bicos modelo D12-45
- 46 bicos modelo D10-45
Altura de voo: 2,5 a 3,5 metros da barra ao topo das plantas.
Largura da faixa: variável, entre 12 e 14 metros, devendo ser estabelecida por teste, verificada uma concentração de 30 a 50 gotículas/cm².
Pressão: 30 a 35 libras/pol2 Volume de água: 40 litros/ha Cuidados:
Abastecer o avião com a calda por bombeamento, evitando despejar manualmente no tanque. Não permitir a contaminação da cabine do piloto.
Auxiliares de pista devem usar o equipamento de proteção individual.
Marcadores de faixas (bandeirinhas) devem trabalhar com vestimenta completa de material impermeável, com cobertura da cabeça, proteção de olhos e máscara de respiração.

INTERVALO DE SEGURANÇA


Soja: 90 dia


INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Recomenda-se aguardar o completo secamento do produto sobre as folhas das plantas tratadas; utilizar os equipamentos de proteção individual recomendados pelo Ministério da Saúde.

LIMITAÇÕES DE USO

Volt® é indicado para o uso na cultura da soja num estado normal de sanidade e desenvolvimento. Plantas que estejam sofrendo efeitos adversos por condições climáticas desfavoráveis (seca, granizo, etc.) ou dano de outra natureza, inclusive fitotoxicidade por outro herbicida, são muito mais suscetíveis e por isso não devem receber o tratamento.

Condições Diversas

Chuvas

Geralmente é absorvido pelas folhas num período de duas horas; esse período pode variar conforme as condições ambientais e a atividade fisiológica das plantas. Chuvas antes da absorção completa do produto podem causar uma diminuição na porcentagem de controle.

Umidade no solo

Plantas que se desenvolvem sob condições de pouca umidade apresentam no geral um crescimento mais lento na parte aérea e um aprofundamento das raízes, tendendo a acumular mais substâncias de reserva. Com isso podem resistir melhor e eventualmente sobreviver. A umidade no solo estimula um rápido crescimento e favorece a ação do herbicida.

Umidade relativa do ar

Com umidade relativa do ar elevada, a absorção de Volt® é mais rápida. Com baixa umidade atmosférica a absorção é mais lenta além de que se acelera a evaporação da calda pulverizada. A eficiência é maior quando a umidade relativa do ar é elevada. Em regiões onde a umidade relativa do ar é baixa, recomenda-se efetuar o tratamento nas primeiras horas da manhã. Não aplicar o produto com UR do ar inferior a 60%.

Luminosidade

A eficiência de Volt® é maior quando existe boa luminosidade na área tratada.

Culturas irrigadas

No caso de cultura irrigada por aspersão, a irrigação só deve recomeçar no dia seguinte ao tratamento.

Temperatura

Com temperaturas baixas, a eficiência do tratamento pode ser diminuída. Neste caso, o acréscimo do adjuvante oleoso na calda é imprescindível. Efetuar o tratamento quando a temperatura ambiental é superior a 15ºC.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

A rotação de culturas pode permitir também rotação nos métodos de controle das plantas infestantes que ocorrem na área. Além do uso de herbicidas, outros métodos são utilizados dentro de um manejo integrado de plantas infestantes, sendo eles o controle manual, o controle mecânico, através de roçadas ou cultivadores, a rotação de culturas e a dessecação da área antes do plantio os mais utilizados e eficazes.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes. Como prática de manejo e resistência de plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.