O PARADOXO: Agricultura em Alta X Agricultores em Baixa

O PARADOXO: Agricultura em Alta X Agricultores em Baixa

Por:
1312 acessos

O PARADOXO: Agricultura em Alta x Agricultores em Baixa

Hoje, os nossos “produtores rurais” são um exemplo em produção e produtividade.  A balança comercial brasileira é sustentada por esta produção espetacular que aumenta a cada ano, em que pese alguns reveses climáticos. A agricultura e a pecuária brasileira conseguem competir e enfrentar o mercado internacional mesmo diante de polpudos subsídios de outros países aos seus tutelados produtores.

Subsídios não os esperem, porque eles não virão.  Temos assistido nestes últimos 20 anos uma situação inusitada e paradoxal: A produção do setor primário crescendo cada vez mais e os produtores sendo substituídos por outros, por que uns não têm conseguido suportar situações como endividamentos, custos de produção elevados, oscilações bruscas de preços, etc.

 

Todavia, produzir tem sido a parte mais fácil para os produtores rurais, por que tem tido acesso às tecnologias agronômicas e zootécnicas, facilitadas pelas entidades cooperativas, sindicais, privadas e governamentais.

A gestão de uma empresa rural não se limita aos fatores de produção. Produzir é apenas uma parte do processo.

Indicadores representam um bom método de acompanhamento do desempenho da gestão. Os produtores rurais, de uma maneira geral há muito possuem indicadores físicos de produção, produtividade e alguns até mesmo de custos de produção. Outros, ainda, possuem muitas anotações e registros diversos, mas, como não estão sistematizados, não lhes é possível fazer uma análise crítica do desempenho global da gestão da empresa rural.

1.Quais os benefícios de um sistema de indicadores para uma empresa?

  • Fornece informações sobre o que está certo e o que está errado.         
  • Indica até que ponto os objetivos traçados estão, ou não, sendo alcançados.
  • Indica   prioridades – onde devemos concentrar nossos esforços.           
  • Faz com que as tomadas de decisões sejam feitas com uma base sólida de dados e fatos.

Ao estabelecer um sistema de indicadores de gestão da empresa rural o empresário deve preocupar-se em criá-los de tal forma que eles possam dar uma cobertura ao modelo de gestão e que os resultados de sua medição possam realmente agregar valor (melhorar) a gestão.

DIMENSÕES DOS INDICADORES:

Devemos observar, ainda, que os indicadores, além de estarem alinhados aos objetivos estratégicos da empresa, eles seguem uma ordem de dimensões, ou abrangências que fazem com que as empresas sejam mais ou menos competitivas. Tais dimensões ou abrangência dos indicadores podem ser:

  • Finanças ou Financeiro (Lucro,  lucratividade,    Rentabilidade)
  • Custos  – Gastos diretos com a  produção (Custos Variáveis) e Gastos indiretos (Custos fixos)
  • Processos – Produção, produtividade
  • Mercado ou clientes
  • Ambiental -  

Os indicadores na dimensão ou abrangência dos Processos podem ser os de produtividade (relativos a eficiência) e os de qualidade (relativos a eficácia).

Um bom sistema de indicadores não é aquele em que há muitos indicadores para ser monitorado, mas àqueles em que assegurem que a gestão está sob controle.

Para criar e estabelecer um indicador siga o seguinte roteiro:

  • Defina o indicador a ser utilizado (SEGUNDO ALGUMA DIMENSÃO)
  • Defina a formula de cálculo e sua periodicidade               de medição       
  • Calcule o índice atual usando a fórmula definida.             
  • Estabeleça a meta.        
  • Estabeleça quem, como, quando e onde buscar as informações e os instrumentos de medição.
  • Registre os resultados alcançados, em gráficos  ou tabelas, de acordo com a periodicidade definida.
  • Analise e dissemine as informações às partes interessadas.       
  • Tome as decisões conforme os resultados.

Existem organizações que possuem instrumentos de avaliação do sistema de gestão empresarial que, através deles, o empresário poderá identificar suas potencialidades e suas fraquezas na condução do seu empreendimento.

Uma delas é o SEBRAE que, através do Prêmio MPE Brasil, os participantes respondem um questionário que faz uma abordagem geral sobre a gestão e a entidade dá a realimentação da Auto Avaliação das Características do comportamento empreendedor do participante. Outra entidade que possui um valioso instrumento de avaliação é o PGQP – Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade que disponibiliza o formulário de Auto Avaliação da Gestão, que pode ser respondido pela internet, através do site www.portalqualidade.com, cuja abordagem da avaliação segue os critérios do PNQ – Prêmio Nacional da Qualidade – Liderança, Estratégias e Planos, Clientes, Sociedade, Informações e Conhecimento, Pessoas, Processos e Resultados da Organização

Texto extraído do Livro: GESTÃO RURAL A ALMA DO AGRONEGÓCIO - Publicação Federacite 2018 - Páginas 19 a 22, Autor: Rogério de Melo Bastos


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink