Armazenamento de fertilizantes ensacados
CI
Fertilizantes

Armazenamento de fertilizantes ensacados

Leia sobre o armazenamento de fertilizantes ensacados.
Por:

Para não perder a efetividade de um fertilizante, este deve ser armazenado corretamente. As condições de armazenagem influenciam a qualidade do produto, podendo alterar propriedades químicas, físicas ou físico-químicas.

Segundo a Legislação Brasileira (Decreto 2004 Art. 47), o armazenamento de fertilizantes, corretivos, inoculantes ou biofertilizantes obedecerá às normas nacionais vigentes, devendo ser observadas as instruções fornecidas pelo fabricante ou importador, bem como as condições de segurança apresentadas no rótulo e observar as regras e aos procedimentos estabelecidos para o armazenamento de produtos perigosos, quando for o caso, constantes da legislação específica em vigor.

Os fertilizantes ensacados devem ser armazenados em galpões fechados, fora do sol, sem muita oscilação de temperatura, seguindo as indicações e prazo de validade informados pelo fabricante, que geralmente estão presentes na embalagem. Os galpões devem ser feitos de material não inflamável, no térreo, com uma boa circulação de ar e com piso impermeável ou sobre paletes de madeira. O chão deve ser nivelado, seco, e sem buracos ou galerias que possam contem fertilizantes. Os sacos devem também estar distanciados de materiais incompatíveis, combustíveis, óleo diesel, gasolina, cabos elétricos ou fontes de calor. As práticas de limpeza também são importantes para manter a eficiência e segurança dos produtos.

Para sacarias de 50 kg, as pilhas devem ter no máximo 20 sacos de altura, apoiadas em estrados de madeira, de forma a evitar o contato dos sacos com o solo. Para sacos de 25 kg, o número máximo de sacos é de 24. As pilhas devem ser compostas em camadas intercaladas, sendo uma de dois sacos (um ao lado do outro) na horizontal, e outra de dois sacos (um ao lado do outro) na horizontal, e outra de dois sacos (um ao lado do outro) na vertical, conforme imagem ilustrativa abaixo:

As pilhas devem estar espaçadas de 60 cm a 1 metro para favorecer a circulação do ar, e a 1 metro da parede e do teto.

Já no caso de big bags, se recomenda no máximo pilhas de dois ou três sacos em alguns casos. Sempre montar as pilhas em formato piramidal, evitando quedas e acidentes. 

Não é recomendada a armazenagem externa. Porém, quando não é possível a armazenagem em galpão, a armazenagem externa pode ser feita somente para fertilizantes que não contenham nitrato de amônio e/ou nitrato de cálcio. As embalagens devem ser colocadas sob lonas, e com estrados no topo da pilha, protegendo contra danos de animais às lonas / embalagens (recomenda-se duas camadas de lona branca).

 

Nitrogênio e higroscopicidade

Uma das características físico-químicas dos fertilizantes sólidos é sua higroscopicidade, tendência em absorver água, normalmente da atmosfera. A absorção da água varia de acordo com o teor de umidade do ambiente, a umidade crítica (que é a umidade relativa do ar, acima da qual uma determinada substância começa a absorver a água presente na atmosfera); do tempo de exposição do material à determinada umidade e da natureza do fertilizante. 

A ureia é um fertilizante altamente higroscópico, e requer muito cuidado no seu armazenamento. O nitrato de amônio (NA) por apresentar N mineral simultaneamente na forma nítrica e amoniacal, apresenta restrições em relação ao seu armazenamento e estocagem em ambientes tropicais e subtropicais. Tem grande sensibilidade à variação de temperatura, sendo bastante higroscópico. O aumento na umidade pode causar o “empedramento” (caking) dos grânulos, além da formação de sítios de oxi-redução no material e a perda de nitrogênio volatilizado na forma de óxidos (NOx) ou amônia (NH3).

 

Fertilizantes fluidos

Fertilizantes fluidos ou líquidos devem ser armazenados em tanques, tendo custos inferiores aos armazéns para fertilizantes sólidos, por diminuir as perdas que ocorrem no manejo e armazenamento de fertilizantes sólidos como formação de pó, empedramento, sacaria rasgada, entre outros.

 

 

Por fim, recomendamos o vídeo do Engenheiro Agrônomo Dr. Nelson Horowitz para mais alguns detalhes acerca do armazenamento de fertilizantes em bags.

 

 

José Luis da Silva Nunes - Eng. Agrº, Dr. em Fitotecnia

Anderson Wolf Machado - Engenheiro Agrônomo

 

Referências:

EMBRAPA et al. MANUAL DE CALAGEM E ADUBAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. 1. ed. Brasília, DF: Editora Universidade Rural, 2013.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.