Milho: B3 fecha semana em tom amistoso
CI
Imagem: Nadia Borges
ESTIMATIVAS

Milho: B3 fecha semana em tom amistoso

Já em Chicago, fatores técnicos superaram a tendência baixista do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA)
Por: -Leonardo Gottems

A B3 fechou a semana em tom amistoso para o milho, com maior produção americana, greve dos caminhoneiros e feriado, segundo a TF Agroeconômica. “Os acontecimentos da semana foram relevantes no mercado futuro do milho de São Paulo e o tom dos negócios não podia ser diferente: no balanço semanal, pouquíssimo se viu em relação à volatilidade dos contratos e traders mantiveram-se fora das posições, corrigindo perdas e ganhos de forma amistosa”, comenta. 

“Entre os fatos que levaram à pouca liquidez, um feriado no “meio” da semana, greve de caminhoneiros – o que paralisou também o mercado físico – e nesta sexta (10), os números do USDA aumentando a produção Americana", indica. “Com isto as cotações fecharam a semana em queda de R$ 0,52/saca no dia, mas alta de R$ 0,60 na semana para o mês de setembro a R$ 92,17/saca; para novembro, fecharam em queda de R$ 0,38/saca no dia, mas alta de R$ 0,77/saca na semana a R$ 92,51 e, para janeiro22, queda de R$ 0,22/saca no dia e de R$ 0,12/sacana semana, com o início da entrada da safra de verão”, completa. 

Já em Chicago, fatores técnicos superaram a tendência baixista do relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). “O contrato de dezembro fechou em alta de 1,78% ou 8,75cents/bushel a $ 518,75; o contrato de julho, importante para as exportações brasileiras, fechou em alta de 1,34% ou 7,0 cents/bushel a $ 531,25”, indica. 

“O mercado de milho se recuperou, após cair para mínimos de 2 meses. A média móvel de 200 dias deu bom suporte. O petróleo ascendente (+ 2,4%) adicionou força. Em contraste, o USDA divulgou dados de baixa, estimando a produção e os estoques dos EUA acima das previsões dos analistas. O USDA aumentou em 11,65 MT a produção mundial da safra 2021/22 para 1.197,77 milhões de toneladas e os estoques finais em 13,0 milhões de toneladas, para 297,63 MT, contra sua estimativa de agosto de 284,63 MT, o que foi altamente baixista”, completa. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.