Milho bateu R$ 75 e deve subir mais
CI
Imagem: Divulgação
HORA DE VENDER?

Milho bateu R$ 75 e deve subir mais

Confira recomendação para investidores, compradores e vendedores
Por: -Leonardo Gottems

Os preços do milho no Brasil subiram 40% no RS entre julho e outubro de 2020, passando de R$ 50,00/saca para R$ 70,00; em Santa Catarina subiram 43%, passando de R$ 50,00 para R$ 71,50/saca na média (R$ 75,00 no Alto Vale do Itajaí nesta sexta-feira) e no Paraná subiram 39,5%, passando de R$ 48,00 para R$ 67,00/saca no mesmo período. Na B3 subiram ainda mais, atingindo R$ 75,92 para novembro, de acordo com a Consultoria TF Agroeconômica.

A grande pergunta é: podem subir mais? “Sim, a análise matemática realizada pela TF Agroeconômica prevê a possibilidade de mais altas a curto prazo, embora haja fatores de baixa no caminho, introduzidos na última sexta-feira (16.10), como a retirada do imposto de importação de milho proveniente de fora do Mercosul. De qualquer modo, o milho paraguaio já chegava aos consumidores do RS e de SC a preços menores do que os preços locais”, dizem os analistas.

VEJA TAMBÉM: Saiba o que pode fazer o milho subir ainda mais  

A recomendação da TF pra quem é investidor [de dinheiro apenas], é posicionar-se “do lado comprado e fazer tomadas de lucro curtas, porque os níveis estão muito altos e o espaço para subir é reduzido. Desde que começamos a fazer estas recomendações o milho já subiu 62,79% na B3, tornando-se o melhor investimento financeiro em 2020. Se você é comprador de milho no mercado físico, nossa recomendação também é a de colocar ordens de compra no mercado futuro da B3, para fixar seu custo médio de compra em níveis mais baixos do que poderão estar nos próximos 3 a 4 meses em que faltará matéria-prima no Brasil”.

“Se você é vendedor de milho, fique atento, porque os preços estão muito altos, seu lucro nesta Safrinha já está em 45,17%, (custo de produção estimado pelo Deral-PR em R$ 46,84/saca, contra um preço médio de R$ 68,00) mais que satisfatório para o período, não valendo apena arriscá-lo, justamente agora que o governo autoriza a liberação do milho importado sem impostos”, concluem os analistas.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink