MS: Murilo finaliza 1ª etapa da nova feira livre para ser entregue em novembro

Agronegócio

MS: Murilo finaliza 1ª etapa da nova feira livre para ser entregue em novembro

Nesta primeira fase será entregue o piso para o setor de hortifrutigranjeiros
Por:
1496 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A Prefeitura de Dourados intensifica os trabalhos para finalizar as obras da primeira etapa da Nova Feira Livre de Dourados, que está em construção na antiga Chácara Rigotti, na Rua Cafelândia, no Jardim São Pedro, região sul de Dourados, numa área de 56,3 hectares. O prefeito Murilo quer entregar a obra em novembro e já acomodar os feirantes, que trabalham improvisados na Rua Cuiabá, no novo local definitivo e seguro.

O abra está na fase final. A última medição da Secretária de Planejamento apontavam 85% dos serviços executados. Nesta primeira fase será entregue o piso para o setor de hortifrutigranjeiros, o piso para o setor de armarinhos (camelôs), os banheiros do setor de hortifrúti, o cercamento do bosque, parte do cercamento externo e instalações elétricas e hidráulicas. Nesta fase estão sendo empregados R$ 3,3 milhões, sendo R$ 2,5 milhões de emendas parlamentares (metade do deputado Geraldo Resende e metade do senador Waldemir Moka) e ainda R$ 800 mil do Fundo do Procom.

A Prefeitura está empregando recursos próprios na construção das barracas cobertas do setor de hortifrúti. A cobertura será nas cores verde e branca, de maneira intercalada. Agora os feirantes não precisarão mais montar e desmontar barracas, como é hoje na Rua Cuiabá, evitando sofrimento e fadiga. A proposta do prefeito Murilo com a nova feira é garantir segurança e melhoria da qualidade de vida dos feirantes, além de conforto aos consumidores.

A gestão da parte interna do bosque, que fica no centro da área da feira, será feita pelo Imam (Instituto de Meio Ambiente de Dourados). As árvores existentes foram preservadas. Haverá trilha ecológica e área de contemplação para que as famílias que frequentam a feira possam ter também momentos de lazer.

Terminada a primeira fase e com a acomodação dos feirantes as obras prosseguem. A segunda fase consiste no término do cercamento da área e na construção da praça de alimentação, que será coberta, e estacionamentos. Serão necessários para isto mais aproximadamente R$ 3 milhões. Depois de pronta será uma das mais bonitas feiras do Estado.

Além das obras da feira propriamente dita a Prefeitura executa várias obras de infraestrutura na região para garantir o fluxo regular dos veículos, cuja circulação aumentará por conta do funcionamento da feira. A Rua Adelina Rigotti se ligará à Rua Humaitá. Os novos trechos foram abertos pela Prefeitura e o asfalto está em fase final. A rua Humaitá será continuada até a Rua Visconde de Taunay, atravessando o córrego Rego D´Água, sobre o qual já está pronta a ponte. As obras de infraestrutura respeitam os limites de proteção ambiental. Com as obras a região ficará muito melhor.

A nova feira

A nova feira é uma obra emblemática, adotada pelo prefeito Murilo como uma de suas principais metas. Há anos os feirantes usam a Rua Cuiabá, enfrentando dificuldade para trabalhar. Ao assumir a Prefeitura Murilo iniciou o trabalho para viabilizar a área, fazer o projeto e obter os recursos.

A nova feira vai garantir local adequado e seguro para a comercialização de hortifrutigranjeiros, doces, pães e outros produtos da agricultura familiar e economia solidária, carnes e peixe. A nova estrutura prevê ainda uma área para armarinhos.

Nas duas etapas são 2.283,17 m² (metros quadrados) de área construída. As áreas cobertas são a praça de alimentação, com 2.043 m², o banheiro principal, com 146,39 m², o banheiro secundário, com 57,37 m², e a casa do transformador, com 36,38 m².

O piso para a área de hortifrufi terá 3.168 m², o para armarinhos e vestuários (camelôs) 3.472 m² e o piso de exposições e eventos 1.000 m². Estão previstos no projeto 120 boxes de 12 m² cada para hortifrúti e 224 boxes de 6 m² para o setor de armarinhos. Na praça de alimentação serão 24 boxes, com tamanhos variando entre 6,60 e 24 m². A obra prevê ainda colocação de 3.292 m² de grana na área interna e 1.828 m² na área externa. Serão 132 vagas de estacionamento para veículos, 32 para motos e 84 para bicicletas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink