Agronegócio

Puxada pelo leite, cesta básica de Porto Alegre/RS tem alta de 4,68% em junho

Custo de R$ 465,03 é o segundo maior do País
Por:
2037 acessos

Puxada pelo leite, a cesta básica de Porto Alegre apresentou alta de 4,68% em junho, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) referentes a junho de 2016. O preço passou de R$ 443,46 em maio para os atuais R$ 465,03.    

Na avaliação mensal, dos treze produtos que compõem o conjunto de gêneros alimentícios essenciais previstos, onze subiram de preço: o leite (19,05%) a batata (18,00%), o tomate (14,85%) o feijão (13,83%), a manteiga (4,18%), a farinha (2,58%), o arroz (1,89%), a carne (1,26%), o café (1,15%), o açúcar (1,07%) e o pão (0,84%). Em sentido inverso, dois itens ficaram mais baratos: a banana (-4,35%) e o óleo de soja (-1,97%).

O atual custo da cesta básica em Porto Alegre é o segundo maior do País. O maior preço foi registrado em São Paulo, R$ 469,02. Conforme o Dieese, o salário mínimo necessário em relação à cesta básica deveria ser de R$ 3.940,24, ou seja 4,48 vezes o mínimo vigente de R$ 880.

De acordo com o Dieese, quando o custo da cesta é comparado ao salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em junho, cerca de metade dos vencimentos (49,98%) para adquirir os mesmos produtos que, em maio, demandavam 47,93%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink