Regiões registram piora na situação hídrica para soja e milho
CI
Imagem: Nadia Borges
CLIMA

Regiões registram piora na situação hídrica para soja e milho

Houve um aumento na quantidade de áreas onde há restrição hídrica moderada
Por: -Aline Merladete

No último relatório da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), algumas regiões produtoras de milho e soja registraram piora nas condições hídricas. Houve um aumento na quantidade de áreas onde há restrição hídrica moderada, particularmente no oeste do PR. Além disso, a grande região de Presidente Prudente no sudoeste de SP, também registra uma piora na situação hídrica em relação ao relatório anterior, tanto para a soja quanto para o milho. Por outro lado as condições sobre o oeste baiano, continuam apresentando excesso de chuvas, em decorrência da maior presença e frequência das instabilidades na região. 

Veja aqui. 
 

O que diz a Conab

Soja - 98% semeado. Em MT, a colheita começou na última semana, principalmente em áreas sob pivôs. As operações se intensificaram a partir da 2ª quinzena de janeiro. Na BA,semeadura finalizada, com lavouras em boas condições, mas há excesso de umidade no solo e alta nebulosidade. No RS, as altas temperaturas e escassez hídrica comprometem as plantas, que apresentam porte baixo e redução no número de vagens. Lavouras mais ao Sul estão em melhores condições. No PR, 43% das lavouras estão em condições médias ou ruins devido à falta de chuvas.

Milho - 90% semeado. No RS há registros de lavouras com falhas na polinização, formação de espigas chochas e grãos leves devido à restrição hídrica. No PR, a escassez hídrica afeta principalmente lavouras em fases reprodutivas, e há perspectiva de redução no rendimento. No MA a semeadura encontra-se atrasada, devido ao excesso de chuvas, e atinge 60% da área. Em GO, lavouras seguem em boas condições, com primeiras áreas ingressando à fase de enchimento de grãos. Na BA, as operações de semeadura estão em fase final. As lavouras estão em boas condições, sem danos significativos por excesso de umidade.

Projeção das Chuvas

A projeção para os próximos 7 dias indica que os maiores acumulados deverão ocorrer na parcela central de MG, superando em alguns pontos os 250 mm. Pontualmente sobre o MT, GO e PA os volumes também deverão ser expressivos, mas ressalta-se que essas chuvas mais intensas ocorrerão de forma esparsa. 

A expectativa é de que no decorrer da semana haja a configuração de um novo episódio da Zona de convergência do Atlântico Sul (ZCAS) – um grande corredor de umidade ligando a região amazônica com o oceano – assim as chuvas vão continuar persistindo sobre grande parte da BA, onde o excesso de chuvas já influencia nas lavouras. 

Por outro lado, na região sul e sul do MS, os volumes previstos são baixos – com áreas em que a previsão indica valores inferiores aos 5 mm – e irregulares. Podendo resultar em um agravamento do estresse hídrico.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.