Lagarta enroladeira (Antigastra catalaunaris)
CI

Lagarta enroladeira

(Antigastra catalaunaris)

Culturas Afetadas: Gergelim, Girassol, Grão-de-bico, Lentilha, Linhaça

Sinônimo: Botys catalaunalis, Botys venosalis

A lagarta enroladeira configura-se como uma das principais pragas da cultura, cujo nível deve ser constantemente monitorado e mantido sob controle, uma vez que ataques severos podem reduzir drasticamente a produção da cultura. A intensidade de infestação da lagarta enroladeira nas lavouras de gergelim está estreitamente relacionada ao clima, sendo que condições de baixa umidade ocasionadas por escassez de chuvas e temperaturas amenas tendem a elevar os níveis populacionais da praga.

Biologia: O inseto adulto é uma pequena mariposa de hábitos noturnos, com cerca de 15 mm de envergadura e 8 mm de largura.

A oviposição é efetuada na face inferior das folhas novas e varia de 4 a 8 dias, sendo que as mariposas põem os ovos durante a noite. As lagartas recém-eclodidas apresentam aproximadamente 2mm de comprimento, tendo o corpo com coloração branco-amarelada e a cabeça enegrecida. Como barreira física de proteção a pupa fica recoberta com fios de seda branca, produzidas quando o inseto está ainda na fase larval.

Danos: Como estratégia de abrigo e alimentação, as lagartas tecem teias com as quais dobram o limbo foliar no sentido longitudinal e ali se alimentam da face dorsal das folhas, promovendo a desfolha, a atrofia do crescimento e a perda de capacidade fotossintética. Na fase de florescimento as lagartas se alimentam das flores, afetam sua fertilidade, reduzindo significativamente a produção. Caso o surto populacional seja mais intenso, as galerias abertas pelas lagartas também podem danificar o ápice caulinar e as cápsulas. A parte atacada adquire aspecto peculiar, com enegrecimento, devido ao apodrecimento da estrutura e à presença de excrementos do inseto. Os ataques são verificados a partir dos 15 dias após a emergência das plântulas e perduram até o amadurecimento das cápsulas.  

Controle: Medidas de controle cultural devem ser praticadas, como o plantio antecipado de gergelim em regiões com estações chuvosas definidas e a eliminação de ervas daninhas que servem de hospedeiras alternativas à praga. Temperatura de 27,9ºC e umidade relativa de 78% foram favoráveis para o desenvolvimento da praga. Vários predadores costumam atacar ovos e lagartas pequenas de lepidópteros e podem ser considerados agentes potenciais de controle da lagarta-enroladeira, destacando-se, entre eles, as espécies de percevejos Geocoris sp., Podisus sp. e Nabis sp.

Caso o controle químico seja necessário, os inseticidas devem ser aplicados durante os estádios de crescimento da cultura anteriores à frutificação. Recomenda-se o uso de produtos registrados para a cultura.

Fotos



Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.