Calagem, da época de colheita e secagem na incidência de fungos e aflatoxinas em amendoim armazenado


Aflatoxina

Calagem, da época de colheita e secagem na incidência de fungos e aflatoxinas em amendoim armazenado

Aflatoxina
Por:
21 acessos

O objetivo deste trabalho foi avaliar a contaminação e o potencial para síntese de aflatoxinas pelos isolados do grupo Aspergillus flavus em grãos armazenados de amendoim (Arachis hypogaea L.), que foram produzidos com distintos procedimentos de calagem, de colheita e de secagem. Para isto, foram avaliadas doze amostras de grãos de amendoim, cv. Botutatu, provenientes de plantas cultivadas em área que recebeu ou não a aplicação de calcário, colhidas aos 104, 114 e 124 dias após a semeadura e secas em condições ambientais e em estufa. Aos 12 e 18 meses de armazenamento, os grãos foram tratados com hipoclorito de sódio e incubados em BDA, a 20 ºC, por cinco dias. As espécies do grupo  Aspergillus flavus  foram identificadas após incubação  em meio ADM. Posteriormente, o potencial toxígeno foi avaliado pelo método da cromatografia de camada delgada. A análise da frequência de fungos revelou que os grãos de amendoim armazenados estavam contaminados por  Aspergillus spp., Penicillium spp.  e Fusarium spp.  Os grãos de amendoim, provenientes da colheita antecipada, apresentaram maior contaminação pelo grupo Aspergillus flavus, sendo menor a proporção destes com potencial toxígeno.
 
Veja o artigo na integra clicando aqui.
 
Autores: Claudia Antonia Vieira Rossetto, Otniel Freitas Silva, Antonio Edílson da Silva Araújo.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink