Tereza Cristina defende mais agilidade em registros de defensivos

Defensivos Agrícolas

Tereza Cristina defende mais agilidade em registros de defensivos

“Precisamos combater falsificação e contrabando, que está na faixa de 20% do mercado"
Por: -Eliza Maliszewski
44 acessos

Em uma audiência pública na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, defendeu mais agilidade no processo de análise e registro de defensivos agrícolas. Para quando o produto fica por anos em uma fila sem andamento, acaba entrando de forma ilegal no país causando riscos para a população e meio ambiente. “Precisamos combater falsificação e contrabando, que está na faixa de 20% do mercado. Isso é muito sério”, ressaltou. 

Segundo dados do Mapa neste ano foram registrados 93 defensivos agrícolas e 70% deles produtos foram protocolados há mais de quatro anos. Sete deles estavam a espera há oito anos. 

A ministra defendeu ainda uma alteração na legislação para facilitar a liberação de produtos biológicos ou para agricultura orgânica. Ela acredita que, cada vez mais, este tipo de produto vai ser demandado já que há também mais procura por produtos orgânicos. 

Ainda sobre legislação Tereza Cristina afirmou que a legislação brasileira atual é ultrapassada, com muita burocracia o que beneficiaria as grandes empresas do mercado que também é necessária uma capacitação para o uso correto de defensivos no campo, especialmente, para os pequenos agricultores.
 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink