Aramo 200

Mancha púrpura

Mancha foliar (Bipolaris incurvata)

Culturas Afetadas: Coco, Dendê

Sinônimos: Drechslera incurvata e Helminthosporium incurvatum

Esta doença ataca principalmente as plantas jovens em viveiros, provocando enfraquecimento das mudas. A mancha-púrpura é conhecida em Brunei, Estados Unidos, Fidji, Indonésia, Malásia, Novas Hébridas, Papua-Nova Guiné e Tailândia. No Brasil, existem registros publicados da incidência da doença apenas nos estados da Bahia e São Paulo, mas acredita-se que esteja presente em outras regiões onde o coqueiro é cultivado comercialmente. Bipolaris incurvata é um patógeno exclusivo do coqueiro.

Danos: O sintoma típico da doença são manchas foliares, marrom, rodeadas por um halo amarelo-ouro. A doença começa pelas folhas baixeiras, progredindo rapidamente para as folhas mais jovens, apresentando-se como manchas pequenas, elipsóide-alongadas, marrom-acinzentadas no centro, com um bordo marrom mais escuro e rodeadas por um halo amarelo-ouro. Com a evolução da doença e sob condições favoráveis para o aumento da severidade da doença, as lesões coalescem, ocupam grandes áreas na lâmina foliar e provocam necrose dos tecidos nas margens dos folíolos.

Controle: Não há estudos realizados visando a obtenção de cultivares resistentes ou tolerantes a essa doença. Como prática de controle cultural deve-se manter um estrito controle das ervas daninhas nas plantações recém-estabelecidas e nos viveiros; realizar inspeções periódicas e retirar e destruir todas as folhas com sintomas característicos da doença. Sob condições favoráveis ao desenvolvimento da doença, pode-se aplicar pulverizações de fungicidas protetores.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente