Bula Bistar 100 EC

acessos
Bifentrina
5207
FMC - Campinas

Composição

Bifenthrin 100 g/L Éster piretroide.

Classificação

Acaricida, Inseticida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
550 a 600 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 10 por ciclo da cultura. 15 dias Aplicar no início da infestação
Bicudo
(Anthonomus grandis)
200 a 250 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 10 por ciclo da cultura. 15 dias Aplicar no início da infestação
Curuquerê
(Alabama argillacea)
30 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 10 por ciclo da cultura. 15 dias Aplicar no início da infestação
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
500 a 600 mL p.c./ha 400 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 10 por ciclo da cultura. 15 dias Aplicar no início da infestação
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
500 a 1000 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Realizar no máximo 10 por ciclo da cultura. 15 dias Aplicar no início da infestação
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cupim
(Heterotermes tenuis)
0,48 a 0,6 L p.c. /ha (sulco plantio) - - Realizar no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura. Não especificado devido a modalidade de aplicação. Aplicar no início da infestação
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro da leprose
(Brevipalpus phoenicis)
20 mL p.c./100L água 1800 L de calda/ha - Realizar no máximo 8 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Ácaro purpureo
(Panonychus citri)
20 mL p.c./100L água 1800 L de calda/ha - Realizar no máximo 8 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
7,5 mL p.c./100L água 1800 L de calda/ha - Realizar no máximo 8 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Cochonilha
(Orthezia praelonga)
até 20 mL p.c./100L água 1800 L de calda/ha - Realizar no máximo 8 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Crisântemo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
8,3 mL p.c./100L água 6000 L de calda/ha - - Uso não alimentar. Aplicar no início da infestação
Larva minadora
(Liriomyza huidobrensis)
3,5 mL p.c./100L água 6000 L de calda/ha - - Uso não alimentar. Aplicar no início da infestação
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
2,6 mL p.c./100L água 6000 L de calda/ha - - Uso não alimentar. Início da infestação
Mamão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro branco
(Polyphagotarsonemus latus)
40 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 2 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Cigarrinha verde
(Empoasca spp)
40 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 2 aplicações por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tripes
(Selenothrips rubrocinctus)
30 mL p.c./100L água 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação
Rosa Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
30 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha - - Uso não alimentar. Aplicar no início da infestação
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
20 a 50 mL p.c./ha 125 a 200 L de calda/ha 10 a 20 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura. 30 dias Aplicar no início da infestação
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
50 mL p.c./100L água 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura. 07 dias Aplicar no início da infestação

Conteúdo: 0,20; 0,40; 0,50; 1; 5; 10; 20; 30 e 50 L.

INSTRUÇÕES DE USO:

CULTURAS / PRAGAS CONTROLADAS / DOSE:
Vide seção “Indicações de Uso/Doses”.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser aplicado logo após o início da infestação. Efetuar a aplicação de forma que possibilite uma boa cobertura da parte aérea das plantas. Respeitar a quantidade máxima de número de aplicações nos alvos biológicos indicados por ciclo de cultura, conforme abaixo mencionado:
-ALGODÃO: no máximo 10 por ciclo da cultura.
-CANA-DE-AÇÚCAR: no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura.
-CITROS: no máximo 8 aplicações por ciclo da cultura.
-MAMÃO: no máximo 2 aplicações por ciclo da cultura.
-MELÃO: no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura.
-SOJA: no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.
-UVA: no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura.
-MANGA: no máximo 1 aplicação por ciclo da cultura.

MODO DE APLICAÇÃO:

BISTAR 100 EC pode ser aplicado por via terrestre, através de pulverizadores costais e tratorizados e via aérea.

-Algodão: Para o controle de Ácaro-rajado (Tetranychus urticae), Bicudo (Anthonomonus grandis), Curuquerê (Alabama argillacea) em aplicação com equipamentos terrestres, utilizar o volume de calda de 400 L/ha.
Para o controle da Mosca-Branca (Bemisia tabaci raça B) utilizar o volume de calda de 200 a 500 L/ha. Aplicar no início da infestação.
- Cana-de-açúcar: Aplicar o produto no sulco de plantio.
- Citros: Quando aplicar o produto com pulverizadores terrestres, utilizar o volume de calda de 1.800 L/ha.
- Crisântemo: Aplicar o produto com pulverizadores terrestres dirigidos as folhas com volume de calda de 6.000 L/ha.
- Rosa: Utilizar volume de calda de 2.000 L/ha.
- Mamão: Utilizar volume de calda de 1.000 L/ha, buscando atingir o ponto de escorrimento.
- Manga: Utilizar volume de calda de 500 a 1.000 l de água/ha, buscando atingir o ponto de escorrimento.
- Melão: Utilizar volume de calda de 1.000 L/ha, buscando atingir o ponto de escorrimento.
- Soja: Aplicar o produto quando a cultura apresentar 20 lagartas/metro linear ou desfolhamento de 30% antes da floração ou 15% após o início da floração, com volume de calda de 125 – 200 L/ha.
- Uva: Utilizar volume de calda de 500 a 1.000 l de água/ha, buscando atingir o ponto de escorrimento.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
1)Equipamentos terrestres:
-Bicos: bicos de jato cônico vazio; todos os bicos de uma barra deverão se manter à mesma altura em relação ao topo da planta.
- Pressão: 60-70 psi (costais) e 80-100 psi (equipamentos tratorizados).
- Diâmetro e densidade de gotas: 110 a 500 µm com um mínimo de 40 gotas/cm².
- Faixa de deposição: Utilizar distância entre bicos na barra de aplicação de forma que permita maior uniformidade de distribuição de gotas, sem áreas com falhas ou excesso.

2)Aplicação com aeronaves agrícolas:
- Bicos: bicos de jato cônico vazio ou bicos rotativos tipo MICRONAIR, que permitam a geração e deposição de um mínimo de 40 gotas/cm² com um DMV de 110-150 µm sobre o alvo desejado.
- Número de bicos na barra: aviões IPANEMA (qualquer modelo): utilizar de 40 a 42 bicos, fechando de 4-5 em cada extremidade das asas e três intermediários de cada lado próximos à fuselagem, mantendo em operação, os oito bicos sob a fuselagem (barriga) e posicionados no mesmo ângulo dos bicos das asas.
Outros modelos de aeronaves: utilizar a disposição que permita uma uniformidade de distribuição das gotas sobre a faixa de deposição e evitar a influência e perda das gotas pelos vórtices de pontas de asas.
- Altura de vôo: 3 a 5 metros em relação ao topo das plantas.
- Volume de aplicação: 10 a 20 L/ha. Vazões acima deste limite, utilizar somente bicos hidráulicos em substituição aos bicos rotativos tipo MICRONAIR.
- Faixa de deposição: aviões IPANEMA ou similares: utilizar a faixa máxima de 20 m. Aviões grandes: faixa de deposição não deverá exceder a 25 metros.

Condições climáticas:
. Temperatura ambiente: máximo 28ºC
. Umidade relativa do ar (UR): mínima 70%
. Velocidade do vento: 2 a 10 km/hora.

PARA CULTURA DE CITROS:
A pulverização deve ser de preferência a alto volume, procurando se obter uma perfeita cobertura da parte interna e ponteiro das plantas, utilizando pulverizadores de pistola ou turboatomizadores.
- Pulverização com pistola: utilizar pressão de trabalho de 200 a 300 lb/pol² para plantas de até 6 metros de altura. Para alturas superiores, utilizar pressão superior e bicos com orifícios maiores.
- Pulverização com turboatomizador: a regulagem/distribuição dos bicos deve ser feita de maneira que o volume de calda a ser aplicado obedeça a uma relação com a massa foliar da árvore.

PARA MOSCA BRANCA:
Recomenda-se aplicar logo após o início da infestação.
A aplicação deve ser efetuada por via terrestre. Poderá ser feita com pulverizadores manuais (costal) ou tratorizados. A quantidade de água utilizada na aplicação deverá possibilitar a cobertura foliar mais uniforme possível em função do equipamento utilizado e da massa foliar. Para garantir a eficácia do produto aplicar até o ponto de escorrimento procurando atingir o máximo possível a face inferior das folhas.
Recomenda-se a rotação de grupos químicos no manejo de controle de Bemisia tabaci raça B, evitando a redução de suscetibilidade aos produtos disponíveis no mercado. Dentro do manejo integrado de pragas recomenda-se a alternância com outros grupos químicos, como organofosforados, carbamatos nas suas respectivas dosagens nos casos de altas infestações.

INTERVALO DE SEGURANÇA:

Cultura Dias
Algodão 15
Cana-de-açúcar Não especificado devido a modalidade de aplicação
Citros 07
Crisântemo UNA (Uso não alimentar)
Rosa UNA (Uso não alimentar)
Mamão 07
Manga 07
Melão 07
Soja 30
Uva 07

LIMITAÇÕES DE USO:
- Fitotoxicidade: nas doses recomendadas o produto não causa fitotoxicidade a nenhuma das culturas indicadas.
- Compatibilidade: não há caso de incompatibilidade deste produto com outros princípios ativos.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentri do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle e insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas.
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não
deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas na bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre recomendações locais para o MRI.

Compatibilidade

Não há casos de incompatibilidade