Bula Campeon - Stockton
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)

Bula Campeon

2,4-D-dimetilamina
16607
Stockton

Composição

2,4-D 806 g/L
Equivalente ácido de 2,4-D 670 g/L

Classificação

Terrestre
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo, Sistêmico

Arroz

Dosagem Calda Terrestre
Aeschynomene denticulata (Angiquinho)
Aeschynomene rudis (Angiquinho)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Cana-de-açúcar

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea grandifolia (Corda de viola)
Portulaca oleracea (Beldroega)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Sida cordifolia (Malva branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Milho

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Glycine max (Soja)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea grandifolia (Corda de viola)
Physalis angulata (Joá de capote)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Senecio brasiliensis (Maria Mole)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Senna occidentalis (Fedegoso)
Sida cordifolia (Malva branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Solanum sisymbriifolium (Joá bravo)

Pastagens

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea grandifolia (Corda de viola)
Physalis angulata (Joá de capote)
Senecio brasiliensis (Maria Mole)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Senna occidentalis (Fedegoso)
Sida cordifolia (Malva branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Solanum sisymbriifolium (Joá bravo)

Soja

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Conyza bonariensis (Buva)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Glycine max (Soja)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea grandifolia (Corda de viola)
Physalis angulata (Joá de capote)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Senecio brasiliensis (Maria Mole)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Senna occidentalis (Fedegoso)
Sida cordifolia (Malva branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)
Solanum sisymbriifolium (Joá bravo)

Trigo

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Bidens pilosa (Picão preto)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Glycine max (Soja)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea grandifolia (Corda de viola)
Raphanus raphanistrum (Nabiça)
Richardia brasiliensis (Poaia branca)
Sida cordifolia (Malva branca)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Frasco PEAD 0,5 e 1 L.
Bombona de PEAD 2,5; 5; 10 e 20 L.
Balde metálico de 20 L.
Tambor de PEAD ou metálico com revestimento PVF de 40; 50; 100 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO

CAMPEON é um herbicida seletivo de ação sistêmica, hormonal à base de 2,4-D, recomendado para o controle pós-emergente de plantas daninhas de folhas largas, em operação de manejo no sistema de plantio-direto da soja, e nas culturas estabelecidas de arroz, arroz irrigado, cana-de-açúcar, milho, trigo e pastagens de gramíneas forrageiras, visando o controle de infestantes na fase inicial de crescimento.


MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO

O herbicida CAMPEON deve ser diluído em água limpa e aplicado por pulverização foliar.
Para aplicação foliar em área total nas culturas de arroz, arroz irrigado, cana-de-açúcar, milho, trigo e pastagens, e em operação de manejo no plantio-direto da soja:
- Aplique em área total dando boa cobertura sobre as plantas daninhas, utilizando-se pulverizador tratorizado dotado de barra com bicos tipo leque Teejet XR 110.02 ou XR 110.03 ou similares.
- Volume de calda: Arroz e Arroz irrigado - use 150 a 300 litros de calda/ha. Trigo - use 200 litros de calda/ha. Milho, Soja e Cana-de-açúcar: use 200 a 300 litros de calda/ha. Pastagens: use 200 a 400 litros de calda/ha.
Uso de adjuvantes: Não adicione adjuvantes à calda de pulverização quando for aplicar sobre as culturas. A adição de adjuvantes tais como espalhantes-adesivos, agentes molhantes ou óleos emulsionáveis diminuem a seletividade do produto nas culturas, embora melhorem a atividade sobre as plantas daninhas. Para aplicação em operação de manejo em plantio-direto, antes do plantio da soja, poderá ser adicionado um espalhante adesivo não-iônico ou óleo emulsionável, nas doses registradas.
CAMPEON deve ser aplicado via terrestre, com pulverizadores tratorizados de barra dotados de bicos tipo leque Teejet XR 110.02 ou XR 110.03 ou similares.
Produto corrosivo ao cobre e ferro. Lave adequadamente os equipamentos de aplicação após sua utilização.

É PROIBIDA A APLICAÇÃO COM EQUIPAMENTO MANUAL OU COSTAL

Condições climáticas: As condições climáticas no momento da aplicação deverão ser adequadas para permitir a melhor interceptação das gotas de pulverização pelas folhas das plantas infestantes alvo, com a menor evaporação possível das gotas do trajeto entre o orifício da ponta de pulverização e o alvo biológico, com menor deslocamento horizontal possível (deriva) e evitando condições de inversão térmica (deslocamento vertical). Visando este objetivo, a aplicação deve ser realizada somente nas seguintes condições meteorológicas, cumulativamente:
- temperatura ambiente menor que 30°C;
- umidade relativa do ar acima de 55%;
- velocidade do vento menor que 10 km/h;
- na ausência de orvalho, na presença de luz solar, evitando período de chuva de até 6 horas após a aplicação.

Recomendações gerais sobre deriva:
O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores relativos ao equipamento de pulverização (independente dos equipamentos utilizados para pulverização, o tamanho das gotas é um dos fatores mais importantes para evitar deriva) e ao clima (velocidade do vento, umidade e temperatura). Estes fatores devem ser avaliados e considerados quando da decisão de aplicação. Para se evitar a deriva objetiva-se aplicar com o maior tamanho de gota possível, sem prejudicar a cobertura do alvo e, consequentemente, a eficiência do produto.
A definição dos equipamentos de pulverização terrestre e dos parâmetros mais adequados à tecnologia de aplicação deverá ser feita com base nas condições específicas locais, sob a orientação de um engenheiro agrônomo.
Preparação da calda: Encher metade do tanque do pulverizador com água e adicionar CAMPEON, mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.
Atenção: Para aplicação tratorizada, o mesmo indivíduo não pode realizar as atividades de mistura, abastecimento e aplicação.


INTERVALO DE SEGURANÇA

Arroz: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso até a fase de emborrachamento.
Cana-de-açúcar: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso em pré e pós-emergência até 3 meses após o plantio ou corte.
Milho: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso desde a fase pré-emergência até o milho atingir a altura de 25 cm.
Soja: Intervalo de segurança não determinado quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e pré-emergência da cultura.
Trigo: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso até a fase de emborrachamento.
Pastagens: Uso não alimentar


INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Tabela com os intervalos de reentrada de trabalhadores nas áreas com aplicação do agrotóxico 2,4-D, segundo a cultura e o tempo de atividades.




Culturas Modalidade de Emprego (Aplicação) INTERVALO DE REENTRADA*
2h de atividades 8h de atividades
Arroz Pré/Pós-emergência 24 horas 14 dias
Cana-de-açúcar Pré/Pós-emergência 13 dias 31 dias (1)
Milho Pré/Pós-emergência - 18 dias
Pastagens Pré/Pós-emergência 5 dias (2) 23 dias (2)
Soja Pré/Pós-emergência - 18 dias
Trigo Pré/Pós-emergência 2 dias 20 dias

* A entrada na cultura no período anterior ao intervalo de reentrada somente deve ser realizada com a utilização pelos trabalhadores de vestimenta simples de trabalho (calça e blusa de manga longa) e os equipamentos de proteção individual (EPI): vestimenta hidrorrepelente e luvas.
(1) Necessária a utilização pelos trabalhadores, após o intervalo de reentrada, de vestimenta simples de trabalho (calça e blusa de manga longa) e luvas como equipamento de proteção individual (EPI) para se realizar qualquer trabalho nas culturas de cana-de-açúcar após a aplicação de produtos contendo 2,4-D.
(2) Mantido em 24 horas para as situações de aplicações individuais nas plantas que se quer eliminar.

MEDIDAS DE MITIGAÇÃO DE RISCO PARA OS RESIDENTES E TRANSEUNTES DE ÁREAS PRÓXIMAS DAS CULTURAS COM APLICAÇÃO DO AGROTÓXICO 2,4-D:
- É exigida a manutenção de bordadura mínima de 10 metros livres de aplicação costal e tratorizada de produtos formulados contendo 2,4-D, conforme resultados da avaliação de risco da exposição de residentes. A bordadura terá início no limite externo da plantação em direção ao seu interior e será obrigatória sempre que houver povoações, cidades, vilas, bairros, bem como moradias ou escolas isoladas, a menos de 500 metros do limite externo da plantação.
- É exigida a utilização de tecnologia de redução de deriva nas culturas de cana-de-açúcar de pelo menos 55% para aplicação costal e de pelo menos 50% para aplicação tratorizada.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

- Para que haja boa absorção e translocação do produto nas plantas, aplique CAMPEON quando as plantas daninhas infestantes estiverem na fase de intenso metabolismo e desenvolvimento vegetativo.
- Faça um levantamento prévio na área. A dose de produto a ser utilizada depende da espécie a ser controlada e estágio de desenvolvimento.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade para a cultura indicada:
- Utilizado conforme as instruções de uso e nas doses recomendadas, CAMPEON não causa danos às culturas indicadas.

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS

Respeitar uma área de bordadura (área não aplicada) mínima de 10 metros entre o local de aplicação e áreas vizinhas com culturas sensíveis ao 2,4-D, tais como uva, oliva, tomate, algodão e batata.
- Não aplicar com ventos a favor de culturas sensíveis ao 2,4-D, como uva, oliva, tomate, algodão e batata.
- Pequenas quantidades da pulverização do CAMPEON podem causar sérios danos em espécies suscetíveis. Dessa forma, não aplique quando houver possibilidade de atingir diretamente, ou por deriva, estas espécies.
- Não é recomendado aplicar em cereais (trigo e arroz) antes do perfilhamento ou após o emborrachamento e em milho plantado em solo arenoso ou quando a aplicação não é feita no período recomendado.
- Não aplique na cultura do milho, após o estágio de 4 a 6 folhas.
- Não aplique em cultivar ou híbrido sensível ao 2,4-D.
- A semeadura da soja antes de 10 dias da aplicação de CAMPEON poderá causar danos à cultura.
- A eficiência do CAMPEON pode ser reduzida se ocorrerem chuvas até o período de 6 horas após a aplicação.
- Por se tratar de um herbicida sistêmico, não aplicar sobre plantas daninhas cobertas com poeira ou qualquer barreira que impeça a penetração do herbicida nas plantas daninhas alvo.
- Não utilizar águas turvas ou com presença de argilas (barrentas), pois a eficiência do produto poderá ser prejudicada.
- O pulverizador usado para a aplicação do CAMPEON deve ser rigorosamente limpo realizando a tríplice lavagem (tanque, barra, filtros em geral e pontas de pulverização) antes da aplicação de outros produtos.
- Não armazenar a calda de pulverização em quaisquer recipientes, ou mesmo, para aplicação no dia subsequente.
- Para aplicação Tratorizada: o mesmo indivíduo não pode realizar as atividades de mistura, abastecimento e aplicação
- Retire os animais da área de pastagem, antes de realizar as aplicações do herbicida.
- Não aplique via aérea.
- Não utilize o esterco de curral ou de campo para adubar culturas sensíveis, quando oriundos de animais que tenham pastado em áreas tratadas com CAMPEON nos últimos 7 dias.
- Não aplique quando houver prenúncio de chuva.
- Não aplique em plantas daninhas sob condições de "stress".

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Execute as operações de plantio e cultivo de modo a diminuir a infestação de plantas daninhas e a sua disseminação.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
A integração de métodos de controle: cultural (uso de sementes certificadas, rotação de culturas, variação de espaçamento e uso de diferentes coberturas de solo); mecânico ou físico (capina manual, roçada, inundação, cobertura não viva e cultivo mecânico); controle biológico e controle químico (herbicidas pré e pós-emergentes), tem como objetivo mitigar o impacto dessa interferência com o mínimo de dano ao meio ambiente.
Em relação a algumas espécies de difícil controle, no manejo em dessecação como Conyza spp., considere sempre a aplicação sequencial com herbicidas de contato após o uso do herbicida CAMPEON assim como o uso de herbicidas pré emergentes, de acordo com a recomendação do fabricante como estratégia de manejo de resistência.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo O para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas. • Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO O HERBICIDA

O produto herbicida CAMPEON é composto por 2,4-D, que apresenta mecanismo de ação dos mimetizadores das auxinas, pertencente ao Grupo O, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).

Corrosivo ao cobre e ferro.