Bula COSTAR - Mitsui
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,170 (1,12%)
| Dólar (compra) R$ 5,59 (-0,36%)

Bula Costar

Bacillus thuringiensis var. kurstaki cepa SA-12
22316
Iharabras

Composição

Bacillus thuringiensis var. kurstaki cepa SA-12 850 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Inseticida microbiológico

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 1 kg

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 0,5 kg

Tipo: Saco
Material: Aluminizado
Capacidade de acondicionamento: 0,5 kg

Tipo: Saco
Material: Aluminizado
Capacidade de acondicionamento: 5 kg

Tipo: Saco
Material: Aluminizado
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Saco
Material: Aluminizado
Capacidade de acondicionamento: 1 kg

Tipo: Saco
Material: Fibra
Capacidade de acondicionamento: 500 kg

Tipo:Saco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 5 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 0,5 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 1 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico com estrutura metálica
Capacidade de acondicionamento: 1 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico com estrutura metálica
Capacidade de acondicionamento: 5 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico com estrutura metálica
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Saco
Material: Plástico com estrutura metálica
Capacidade de acondicionamento: 0,5 kg

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade de acondicionamento: 50 kg

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade de acondicionamento: 40 kg

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade de acondicionamento: 30 kg

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Tambor
Material: Metálico
Capacidade de acondicionamento: 10 kg

Tipo: Tambor
Material: Papelão
Capacidade de acondicionamento: 50 kg

Tipo: Tambor
Material: Papelão
Capacidade de acondicionamento: 40 kg

Tipo: Tambor
Material: Papelão
Capacidade de acondicionamento: 30 kg

Tipo: Tambor
Material: Papelão
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Tambor
Material: Papelão
Capacidade de acondicionamento: 10 kg

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 50 kg

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 40 kg

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 30 kg

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 20 kg

Tipo: Tambor
Material: Plástico
Capacidade de acondicionamento: 10 kg

INSTRUÇÕES DE USO

O produto COSTAR é um inseticida microbiológico com ação por ingestão, utilizado em pulverizações em infestações iniciais de lagartas que atacam folhas e partes reprodutivas das culturas.

MODO DE APLICAÇÃO

Aplicar o produto COSTAR nas dosagens recomendadas, diluído em água, conforme o tipo de aplicação.
A aplicação deve ser eficiente a ponto de promover a cobertura completa e uniforme das plantas. Aplicações no início do período da manhã e ao final da tarde, em condições adequadas de umidade relativa do ar, temperatura e vento são mais adequadas para COSTAR em aplicações aéreas e tratorizadas.
Este produto pode ser aplicado por via terrestre, através de equipamentos pulverizadores costais (manuais ou motorizados), tratorizados e por via aérea, conforme recomendação para cada cultura.
Utilize sempre tecnologias de aplicação que ofereçam boa cobertura das plantas.
As recomendações para aplicaç��o poderão ser alteradas à critério do Engenheiro Agrônomo responsável, respeitando sempre a legislação vigente na região da aplicação, a especificação do fabricante do equipamento e tecnologia de aplicação empregada.

- Preparo da calda: Encher com água o tanque do pulverizador com ¾ da capacidade. Com o sistema de agitação do tanque do pulverizador funcionando, adicionar lentamente o produto diretamente no tanque do pulverizador de acordo com as doses recomendadas. Completar o volume do tanque com água. Deve-se respeitar os volumes de calda recomendados para que seja possível proporcionar uma boa cobertura da área a ser tratada.

- Aplicação terrestre: Utilizar pulverizadores costais, estacionários, montados ou tracionados por trator, turbinados. Usar bicos de jato cônico ou leque com abertura e pressão que possibilitem densidade de 70 a 100 gotas/cm², com diâmetro de 110 a 140 µm, bem como a aplicação de volume de calda indicados. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação.

- Aplicação aérea: Para as culturas indicadas, usar bicos de jato cone vazio, com 37 bicos ou 4 micronairs da série AU 3000 ou 6 a 8 da série AU 5000 na pressão de 20 a 30 lb/pol², VMD na faixa de 200 a 400 µm e densidade de 30 a 40 gotas/cm², altura de voo de 3 a 4 m. A largura da faixa de deposição efetiva deve ser de 20 m, para aviões do tipo IPANEMA.
- O sistema de agitação no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda operação de preparo da calda e aplicação.

Condições Climáticas:
O produto deve ser aplicado obedecendo a ventos de no máximo 10 km/h e temperatura inferior a 28ºC e umidade relativa acima de 55%, visando reduzir ao máximo, perdas por deriva ou evaporação.
Observação: Seguir as recomendações de aplicação acima indicadas e consultar um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não determinado em função da não necessidade de estipular o LMR para este ingrediente ativo.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

A reentrada de pessoas nas culturas poderá ocorrer após 24 horas após a aplicação. Caso haja necessidade de reentrada na lavoura ou áreas tratadas antes deste prazo, usar macacão de algodão hidro-repelente de mangas compridas, luvas e botas de borracha.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula. A fim de prevenir a degradação do produto, recomenda-se realizar a aplicação do produto sempre no final da tarde, evitando os horários mais quentes do dia.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitóides), controle microbiano, controle por comportamento, uso de variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos com mecanismo de ação distinto.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência.
O uso repetido do COSTAR ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do COSTAR como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
• Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
• Aplicações sucessivas de COSTAR podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
• Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas.
• Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do COSTAR ou outros produtos quando for necessário;
• Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
• Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
• Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).