Bula Dermacor

acessos
Clorantraniliprole
9515
Du Pont

Composição

Clorantraniliprole 625 g/L Antranilamida

Classificação

Inseticida
IV - Pouco tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada para Tratamento de Sementes (FS)
Ingestão, Sistêmico
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
48 mL p.c. / 60.000 sementes 0,6 a 0,7 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Coró-da-soja
(Liogenys fuscus)
48 a 72 mL p.c. / 60.000 sementes 0,6 a 0,7 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
48 a 72 mL p.c. / 60.000 sementes 0,6 a 0,7 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca do colo
(Elasmopalpus lignosellus)
100 mL/100 kg de sementes 0,3 a 0,6 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
50 mL/100 kg de sementes 0,3 a 0,6 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
50 mL/100 kg de sementes 0,3 a 0,6 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
100 mL/100 kg de sementes 0,3 a 0,6 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
100 mL/100 kg de sementes 0,3 a 0,6 L de calda/100 Kg de sementes - - Não determinado. Deve ser aplicado em tratamento de sementes antes do plantio

Modo de Aplicação Industrial
1) Colocar uma quantidade de semente conhecida;
2) Adicionar volume de calda desejada para esta quantidade de semente e,
3) Obrigatoriamente adicionar o agente corante
4) Realizar a agitação/movimentação lenta das sementes até obter uma perfeita cobertura das sementes,
5) Atentar para que no final do tratamento, não haja sobra de produto no equipamento utilizado.
6) E obrigatória a utilização de EPI completo durante a operação de tratamentos de sementes.
Observação: Antes da utilização do Dermacor, agitar lentamente a embalagem para uniformização do produto.

Manutenção do equipamento de tratamento da semente:
a) Para todos os métodos de tratamento de sementes é importante realizar medições periódicas dos equipamentos, fluxos de sementes e volume de calda para que o tratamento efetuado seja o mais uniforme possível.
b) Não tratar sementes sobre lonas, sacos ou mesmo nas caixas de sementes dos equipamentos de plantio (semeadoras),
c) Para obter o controle almejado, recomenda-se o uso de equipamentos que promovam uma completa cobertura das sementes. Importante: manter a calda em agitação constante para evitar decantação.
d) Os mecanismos dosadores e/ou pulverizadores destes equipamentos devem ser revisados e limpos diariamente ou a cada parada do equipamento Resíduos de calda podem reduzir a capacidade das canecas ou copos dosadores ou afetar a regulagem de bicos e ou mecanismos de aplicação da calda sobre as sementes.
e) E obrigatória a utilização de EPI completo durante a operação de tratamentos de sementes.

Modo de aplicação na propriedade
Para a cultura do milho: A recomendação de calda para milho é de 600 a 700 ml de calda a cada100Kg de sementes.
Para a cultura da soja: Se necessário poderá ser feita a diluição do produto formulado na proporção de 1: 5 (1 litro de produto: 5 litros de água). Utilizar 600 ml de calda inseticida quando a dose recomendada do produto for de 100 mL do produto comercial/100 kg de sementes (controle de lagarta-elasmo, lagarta Helicoverpa e lagarta militar) e 300 ml de calda inseticida quando for recomendado a dose do produto de 50 mL produto comercial, 100 kg de sementes (controle de coró e lagarta-da-soja) para se obter as quantidades de produto conforme recomendação.

Tratamento da semente:
1) Colocar um peso de semente conhecida,
2) Adicionar volume de calda desejada para esta quantidade de semente e,
3) Obrigatoriamente adicionara agente corante,
4) Realizar a agitação/movimentação lenta das sementes até obter uma perfeita cobertura das sementes,
5) Atentar para que no final do tratamento, não haja sobra de produto no equipamento utilizado.
6) E obrigatória a utilização de EPI completo durante a operação de tratamentos de sementes.
Observação: Antes da utilização do Dermacor, agitar lentamente a embalagem para uniformização do produto.

Recomendações quanto à utilização e armazenamento das sementes tratadas:
a) Não utilizar o produto em desacordo às instruções do rótulo e bula.
b) Para o armazenamento das sementes tratadas, utilize sacos de papel
c) Não deixe as sementes tratadas expostas ao sol

Manutenção dos equipamentos de tratamento das sementes
a) Para todos os métodos de tratamento de sementes é importante realizar medições periódicas dos equipamentos, fluxos de sementes e volume de calda para que o tratamento efetuado seja o mais uniforme.
b) Não tratar sementes sobre lonas, sacos ou mesmo nas caixas de sementes dos equipamentos de plantio (semeadoras).
c) Para obter o controle desejado, recomenda-se o uso de equipamentos que promovam uma completa cobertura das sementes. Importante: manter a calda em agitação constante para evitar decantação.
d) Os mecanismos dosadores e/ou pulverizadores destes equipamentos devem ser revisados e limpos diariamente ou a cada parada do equipamento. Resíduos de calda podem diminuir a capacidade das canecas ou copos dosadores ou afetar a regulagem de bicos e ou mecanismos de aplicação da calda sobre as sementes.
e) E obrigatória a utilização de EPI completo durante a operação de tratamentos de sementes.
f) A aplicação do produto com equipamentos desregulados ou inadequados podem resultar em cobertura desuniforme das sementes com consequente redução no controle das pragas.

PRECAUÇÕES GERAIS:
• Produto para uso exclusivamente agrícola.
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
• Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
• Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
• Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas.
• Não utilize equipamentos de aplicação/tratamento com vazamentos ou defeitos.
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
• Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
• Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2); óculos de segurança com proteção lateral, touca árabe e luvas de nitrila.
• Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
• Evite ao máximo possível o contato com a semente tratada.
• Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2); óculos de segurança com proteção lateral, touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
• Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EM), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
• Os equipamentos de proteção individual (EPI5) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara. /
• Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
• Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
• Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
• Fique atento ao tempo de uso dos filtros do respirador, seguindo, corretamente as especificações do fabricante.
• Não reutilizar a embalagem vazia.
• No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronómico do produto e informe o Telefone de Emergência do fabricante 0800 701 0109.
• Ingestão: se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
• Olhos: em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho. -
• Pele: em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
• Inalação: se o produto for inalado ("respirado"), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

INTOXICAÇÕES POR CLORANTRANILIPROLE
INFORMACÕES MÉDICAS

Grupo química: Antranilamida.
Vias de exposição: Oral, ocular e dérmica.
Toxicocinetica: A absorção de 14C-DPX-E2Y45 foi rápida, com picos de concentração ocorrendo em 5 a 12 horas após a administração de dosagem baixa ou alta (10 ou 200 mg/kg pc). A absorção percentual diminuiu após a administração da dosagem alta. As meias-vidas de eliminação plasmática variaram de 38 a 82 horas. A distribuição da dosagem absorvida nos tecidos foi ampla e indicou baixo potencial para acumulação. Os resíduos em tecidos foram maiores nos ratos fêmeas do que nos ratos machos, coerente com o fato dos ratos fêmeas apresentarem meia vida de eliminação mais longa e uma maior AUC (área sob as curvas de concentração de plasma [Area Under Plasma Concentration Curves) plasmática. A excreção foi substancialmente completa após 48 a 72 horas após a dosagem. A excreção fecal foi a via principal de eliminação, seguida pela urina, sem excreção significativa por exalação. O metabolismo da dose absorvida foi extenso.
Sintomas e sinais clínicos: Pode causar irritação ocular transitória com lacrimejamento, dor ou visão borrada.
Diagnóstico: O diagnóstico é estabelecido pela confirmação da exposição e pela ocorrência de quadro clínico compatível.
Tratamento: Tratamento sintomático e de manutenção
Antídoto: Não existe antídoto especifico
Contra-indicações: A indução do vômito é contra-indicada em razão do risco de aspiração desenvolvimento de pneumopatia química secundária.
Efeitos sinérgicos: Não relatados.
ATENÇÃO - Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter
informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional da Centros de Informação e Assistência Toxicológica - RENACIAT - ANVISAI/MS
Notifique ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN/MS)
Telefone de emergência da Du Pont do Brasil: 08007010109

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE
• Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE Ii)

- Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
- Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamentos com vazamento.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave as embalagens ou equipamento aplicador cm lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações OU outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis para envolver embalagens rompidas OU para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a empresa DU PONT DO BRASIL S.A. - telefone de emergência: 0800.701.0109.
- Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetor e máscara com filtros).
- Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
• Piso: pavimentado absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
• Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa rcgistrante conforme indicado acima.
• Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicações.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPROPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
EMBALAGEM RIGIDA NÃO LAVÁVEL
• ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

• ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio dessa embalagem.
Essa embalagem vazia deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens lavadas.

• DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

• TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER REUTILIZADAS PARA OUTROS FINS.
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER LAVADAS.

• ARMAZENAMENTO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
O armazenamento das embalagens - SACARIAS- vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio das SACARIAS.
As embalagens - SACARIAS - vazias devem ser armazenada separadamente, em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas - modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

• DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGENS - SACARIAS - VAZIAS
Devem ser devolvidas em conjunto com a embalagem do agrotóxico DERMACOR ou no local onde foram adquiridas as sementes tratadas.
Terceiros que efetuarem o manuseio do agrotóxico, devem descrever nas sacarias que as sementes foram tratadas com o agrotoxico DERMACOR e informar que as mesmas devem ser devolvidas no local em que foram tratadas ou adquiridas.

EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA)
ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

• ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve .ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

• DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

•TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.
• É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.
• EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO
INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS:
A Destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a hora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPROPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte está sujeito ás regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos e outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL:
De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS;
Além dos métodos recomendados para o manejo de resistência a inseticidas, incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: controle cultural, biológico, etc...) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP), quando disponível e apropriado.

RECOMENDAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA A INSETICIDAS:
Dermacor® é um inseticida do (Grupo 28). O uso repetido e exclusivo de inseticidas do Grupo 28 podem aumentar o risco de populações de insetos resistentes. Para manter a eficácia e longevidade das Diamidas como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é essencial implementar programas de Manejo de Resistência de Inseticida (MRI) a campo. Estes programas devem seguir as recomendações básicas de MRI listadas abaixo, em associação com boas práticas culturais e de controle biológico. Consultar o seu engenheiro agrônomo local para maiores informações.
As seguintes práticas são recomendadas para prevenir ou retardar o desenvolvimento de resistência ao Dermacor® ou outros inseticidas do Grupo 28:
• Evitar o uso de produtos com mesmo modo de ação em gerações consecutivas das pragas alvo.
• É recomendado que se estabeleça um programa de rotação de inseticidas com pelo menos 3 modos de ação distintos, usando o conceito de intervalos de aplicação'.
• O "intervalo de aplicação" é definido como período de atividade residual resultante de uma única aplicação ou aplicações sequenciais de produtos com o mesmo modo de ação. Este "intervalo de aplicação" não deverá exceder a duração de uma geração da praga a ser controlada ou aproximadamente 30 dias.
• Após um intervalo de uma ou mais aplicação com produtos inseticidas de modo de ação do Grupo 28 e havendo necessidade de tratamentos adicionais para o controle da praga alvo, deve-se rotacionar para um intervalo de aplicações com outro modo de ação diferente ao do Grupo 28. Este novo "intervalo de aplicação" com produtos que apresentem o modo de ação diferente ao do Grupo 28, deve ter a duração de uma geração da praga a ser controlada ou aproximadamente 30 dias.
• Após a utilização do produto Dermacor, não aplicar produtos a base de Clorantraniliprole ou outro ingrediente ativo do Group 28 por aproximadamente 60 dias.
• Realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas.
• Monitorar as populações de pragas quanto à suscetibilidade das mesmas aos inseticidas registrados para o seu controle.
Para obtenção de informações adicionais sobre modo de ação dos inseticidas, manejo e monitoramento de resistência, visite o site do IRAC, no endereço www.irac-org.br