Bula Helymax EC

acessos
Bacillus thuringiensis
31217
Ballagro

Composição

Bacillus thuringiensis 64 g/L Inseticida microbiológico

Classificação

Inseticida biológico
I - Extremamente tóxica
I - Produto extremamente perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Inseticida biológico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Helicoverpa spp
(Helicoverpa spp)
250 a 375 g p.c./ha 100 a 120 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar em intervalo de 7 a 10 dias Intervalo de segurança não determinado devido à característica microbiológica do ingrediente ativo Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Helicoverpa spp
(Helicoverpa spp)
250 g p.c./ha 40 a 200 L de calda/ha - Reaplicar em intervalo de 7 a 10 dias Intervalo de segurança não determinado devido à característica microbiológica do ingrediente ativo Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO / MODO DE APLICAÇÃO:
Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas, e repetir sempre que necessário. Em caso de chuva após o tratamento, repetir a aplicação.
Deve ser aplicado através de pulverização, fazendo uma pré mistura antes de colocar o produto no pulverizador. Pulverizar uniformemente procurando atingir toda a planta. Reaplicar em intervalo de 7 a 10 dias. Usar sempre um espalhante adesivo, seguindo as recomendações do fabricante.
MODO DE APLICAÇÃO:
ALGODÃO:
Aplicação aérea: Avião agrícola equipado com barra de bicos cônicos ou micronair, altura de vôo de 2 a 4 metros, pressão de 30 a 50 Ib/pol2, volume de calda de 20 a 40 litros/ha,
velocidade do vento menor que 8km/hora e UR do ar maior que 70%.
Aplicação terrestre: Utilizar pulverizadores tratorizados de barra equipados com bicos de jato cônico vazio série D2 ou D3 / difusores adequados de modo a se obter uma boa cobertura das plantas na pulverização. Tamanho de gotas indicado é de 100 a 200 micra.
Pressão de 80 a 100 Ib/pol2 e volume de calda de 100 a 120 litros/ha.
SOJA:
Aplicação terrestre: Utilizar pulverizador manual, equipamento tratorizado ou motorizado:
Para alto volume, utilizar um mínimo de 200 litros por hectare. Para baixo volume, utilizar um mínimo de 40 litros por hectare.
Equipamentos de Aplicação:
Recomenda-se o uso de pulverizadores manuais, motorizados ou acoplados a tratores, com bicos cônicos tipo D8 e D9.
INTERVALO DE SEGURANÇA: Intervalo de segurança não determinado devido à característica microbiológica do ingrediente ativo.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.
LIMITAÇÕES DE USO:
Não aplicar nas horas de sol muito forte, dê preferência para fazer as aplicações ao entardecer. Não aplicar em dias de chuva forte ou com prenúncio das mesmas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitóides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos com mecanismo de ação distinto.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas - IRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle da praga, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientações sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (ex: Controle Cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.