Bula Spinner

CI
2,4-D
35819
Sipcam Nichino

Composição

2,4-D 806 g/L
Equivalente ácido de 2,4-D 670 g/L

Classificação

Terrestre
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo, Sistêmico

Arroz

Dosagem Calda Terrestre
Aeschynomene denticulata (Angiquinho) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Aeschynomene rudis (Angiquinho) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Bidens pilosa (Picão preto) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza bonariensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza sumatrensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Glycine max (Soja) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Gossypium hirsutum (Algodão voluntário) (Algodão voluntário) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ipomoea grandifolia (Corda de viola) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida rhombifolia (Guanxuma) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Cana-de-açúcar

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus viridis (Caruru comum) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Bidens pilosa (Picão preto) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cyperus rotundus (Tiririca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Emilia sonchifolia (Falsa serralha) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Galinsoga parviflora (Picão branco) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ipomoea grandifolia (Corda de viola) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Portulaca oleracea (Beldroega) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Richardia brasiliensis (Poaia branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida rhombifolia (Guanxuma) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Milho

Dosagem Calda Terrestre
Alternanthera tenella (Apaga fogo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Amaranthus deflexus (Caruru rasteiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Bidens pilosa (Picão preto) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza bonariensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza sumatrensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Glycine max (Soja voluntária) (Soja voluntária) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Gossypium hirsutum (Algodão voluntário) (Algodão voluntário) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ipomoea grandifolia (Corda de viola) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida rhombifolia (Guanxuma) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pastagens

Dosagem Calda Terrestre
Amaranthus deflexus (Caruru rasteiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Portulaca oleracea (Beldroega) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida cordifolia (Malva branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida rhombifolia (Guanxuma) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Soja

Dosagem Calda Terrestre
Bidens pilosa (Picão preto) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza bonariensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza sumatrensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Glycine max (Soja voluntária) (Soja voluntária) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Gossypium hirsutum (Algodão voluntário) (Algodão voluntário) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ipomoea grandifolia (Corda de viola) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Richardia brasiliensis (Poaia branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sida rhombifolia (Guanxuma) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Trigo

Dosagem Calda Terrestre
Bidens pilosa (Picão preto) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza bonariensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Conyza sumatrensis (Buva) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Galinsoga parviflora (Picão branco) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Glycine max (Soja voluntária) (Soja voluntária) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Gossypium hirsutum (Algodão voluntário) (Algodão voluntário) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Raphanus raphanistrum (Nabiça) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 0,1 - 6,0 L
Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 0,1 - 250 L
Tipo: Tambor
Material: Plástico e Metálico
Capacidade: 10 - 500 L
Tipo: Contentor intermediário (IBC)
Material:Plástico e Metálico com estrutura metálica externa
Capacidade: 500 - 2.000 L

INSTRUÇÕES DE USO

SPINNER® é um herbicida seletivo para controle de plantas daninhas infestantes na cultura do arroz (irrigado e de sequeiro), cana-de-açúcar, milho, pastagens, soja e trigo.

MODO DE APLICAÇÃO

SANVEX® é aplicado em volume de água suficiente para uma distribuição uniforme e pulverizado por
meio de equipamento costal (manual ou motorizado) ou tratorizado.
Na aplicação com pulverizadores tratorizados de barra, observar os seguintes parâmetros:
- Tipos de bicos: leque com ação anti-deriva
- Tamanho de gotas: DMV acima de 200 µm
- Densidade de Gotas: 30 gotas/cm2
- Volume de aplicação: 150 a 300 L/ha

Observações Gerais:

- Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo antes das aplicações.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Arroz e trigo: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso até a fase de emborrachamento.
Cana-de-açúcar: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso em pré e pós-emergência até 3 meses após o
plantio ou corte.
Milho: Intervalo de segurança não determinado por ser de uso desde a fase pré-emergência até o milho atingir a
altura de 25 cm.
Pastagem: Intervalo de segurança não determinado.
Soja: Uso permitido somente em pré-plantio.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24
horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamnetos de
proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

- O uso do produto está restrito ao indicado no rótulo e bula;
- Não aplicar em mistura com outros produtos;
- Evitar aplicação durante as horas mais quentes do dia;
- Respeitar um período mínimo de 24 horas para realização da irrigação;
- São sensíveis ao produto todas as culturas dicotiledôneas, hortaliças, bananeiras, quando a
pulverização atinge diretamente a folhagem.
- Também são sensíveis cereais, quando a aplicação é feita antes do perfilhamento ou após o
emborrachamento e milho plantado em solo arenoso ou quando a aplicação não é feita no período
recomendado.
- Pequenas quantidades ou mesmo a névoa da pulverização do SPINNER® podem causar sérios
danos em espécies susceptíveis. Dessa forma, não aplique quando houver possibilidade de atingir
diretamente, ou por deriva, estas espécies.
- Uma aplicação excessiva de SPINNER® pode atingir temporariamente a germinação das
sementes.
- Não misture SPINNER® em óleo.
- Devido à dificuldade em limpar o equipamento utilizado na aplicação deste herbicida, recomendase
não usá-lo na pulverização de outros produtos em plantas susceptíveis.
- Fitotoxicidade: O produto não é fitotóxico para as culturas indicadas nas doses e condições
recomendadas.

Utilize este produto de acordo com as recomendações em rótulo e bula. Esta é uma ação importante
para obter resíduos dentro dos limites permitidos no Brasil (referência: monografia da ANVISA). No
caso de o produto ser utilizado em uma cultura de exportação, verifique, antes de usar, os níveis
máximos de resíduos aceitos no país de destino para as culturas tratadas com este produto, uma vez
que eles podem ser diferentes dos valores permitidos no Brasil ou não terem sido estabelecidos. Em
caso de dúvida, consulte o seu exportador e/ou importador

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O produto herbicida SANVEX é composto por 2,4-D, que apresenta mecanismo de ação dos mimetizadores das auxinas, pertencente ao Grupo O, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas).
O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
- Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo O para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
- Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
- Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.