Bula Tiger 100 EC - Sumitomo

Bula Tiger 100 EC

acessos
Pyriproxyfen
5498
Sumitomo

Composição

Piriproxifem 100 g/L Éter piridiloxipropílico

Classificação

Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Translaminar

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
0,3 a 0,5 L p.c./ha 200 a 250 L de calda/ha - 15 dias. 7 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Berinjela Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tripes
(Thrips palmi)
75 mL p.c./100L água 500 a 1000 L de calda/ha - 7 - 10 dias. 3 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho mineiro
(Leucoptera coffeella)
0,5 a 1 L p.c./ha 400 a 500 L de calda/ha - 15 - 20 dias. 15 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cochonilha
(Orthezia praelonga)
75 mL p.c./100L água 10 L de calda / planta - 30 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
50 a 75 mL p.c./100L água 10 L de calda / planta - 30 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Cochonilha parlatoria
(Parlatoria cinerea)
100 mL p.c./100L água 10 L de calda / planta - 30 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Psilideo
(Diaphorina citri)
6,25 mL p.c./100L água 10 L de calda / planta - 30 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
250 a 300 mL p.c./ha 200 a 250 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Gérbera Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
75 mL p.c./100L água 1200 L de calda/ha - 10 - 15 dias. Uso não alimentar. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mariposa oriental
(Grapholita molesta)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações. 45 dias. Fazer no máximo 2 aplicações, sendo a primeira aplicação imediatamente após a florada e a segunda duas semanas após a primeira
Melancia Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
75 a 100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - 7 dias. 3 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
75 a 100 mL p.c./100L água 600 a 1000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Pepino Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tripes
(Thrips palmi)
75 a 100 mL p.c./L de água 500 a 1000 L de calda/ha - 15 dias. 1 dia. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
50 a 75 mL p.c./100L água 625 L de calda/ha - 7 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Rosa Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
50 a 75 mL p.c./100L água 400 L de calda/ha - 10 dias. Uso não alimentar. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
250 a 300 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 30 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
50 a 100 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - 7 dias. 7 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
75 a 100 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - 7 dias. 7 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
50 a 75 mL p.c./100L água 500 a 1000 L de calda/ha - 10 dias. 14 dias. As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens

Frascos de plástico (Pet ou Coex) de 225, 250, 450, 500, 600mL; 1, 1,5, 2, 3, 5, 10 e 20 Litros;
Bombonas plásticas de 5, 10 e 20 Litros;
Tambores plásticos e metálicos de 25, 50, 100, 150 e 200 Litros;
Isocontainers metálicos de 100, 200, 500, 1.000, 1.200, 1.500, 2.000, 2.500, 5.000, 10.000, 20.000, 23.000 e 25.000 Litros.

INSTRUÇÕES DE USO:

TIGER 100 EC é um inseticida fisiológico juvenóide, análogo ao hormônio juvenil, regulador de crescimento de insetos. O produto atua por contato e ação translaminar, principalmente sobre os ovos e ninfas, provocando distúrbio no equilíbrio hormonal, impedindo que os insetos das formas jovens tornem-se adultos.
As fêmeas que entram em contato com o produto colocam ovos inviáveis e também, diminuem a postura.

INDICAÇÕES DE USO E DOSES: Vide secção de Uso/Doses.

INÍCIO, NÚMERO E ÉPOCA DE APLICAÇÃO:

As aplicações do “TIGER 100 EC” devem ser iniciadas no início da infestação das pragas, quando forem constatadas a presença de ovos ou as primeiras “ninfas” ou formas jovens, intercalando as aplicações com outros produtos do programa de Manejo de Produtos, realizando no máximo 2 a 3 aplicações do produto “TIGER 100 EC”, por ciclo da cultura.
No controle, principalmente da Mosca Branca, a pulverização deve ser feita de modo a atingir os ovos e formas jovens ou ninfas, na face inferior das folhas. É importante observar o nível populacional de “adultos”, e se for alto, recomenda-se aplicar antes um produto que tenha ação sobre os adultos e logo em seguida aplicar o “TIGER 100 EC”.

INTERVALO DE APLICAÇÃO:

- ALGODÃO: Recomenda-se fazer de 1 a 2 aplicações durante o ciclo da cultura com intervalo de 15 dias, utilizando volume de calda de 200 a 250 litros/ha.
- BERINJELA: Fazer no máximo até 2 aplicações durante o ciclo da cultura, com intervalo de 7 a 10 dias. Deve-se utilizar de 500 a 1.000 litros de volume de calda por hectare, dependendo do estádio da cultura. Para se obter melhor controle do Tripes, recomenda-se fazer as pulverizações de tal forma que atinja também o solo, considerando que este inseto passa o estádio pupal no solo.
- CAFÉ: Recomenda-se fazer 2 aplicações por ano com intervalos de 15 a 20 dias, utilizando-se de 400 a 500 litros de volume de calda/ha.
- CITROS: Recomenda-se fazer de 1 a 2 aplicações durante o ano, com intervalo de 30 dias devendo-se gastar volume de 10 litros de calda/planta.
- FEIJÃO: Recomenda-se iniciar a aplicação do produto TIGER 100 EC quando forem constatadas presença de ovos e primeiras ninfas, realizando no máximo 2 aplicações por ciclo da cultura. Utilizar 200 a 250 L/ha de volume de calda, intercalando-se com outros produtos no programa de Manejo de Produtos.
- GÉRBERA: Deve-se fazer de 2 a 3 aplicações com intervalos de 10 a 15 dias, utilizando volume de até 1.200 litros de calda/ha.
- MAÇÃ: Fazer no máximo 2 aplicações, sendo a primeira aplicação imediatamente após a florada e a segunda duas semanas após a primeira.
- MELANCIA: Recomenda-se de 1 a 2 aplicações durante o ciclo da cultura com intervalos de 7 dias, gastando-se 1.000 litros de calda/ha.
- MELÃO: Recomenda-se realizar 1 aplicação durante o ciclo da planta, devendo utilizar o volume de calda variando entre 600 a 1.000 litros/ha, dependendo do estagio e crescimento das plantas.
- PEPINO: Recomenda-se fazer de 2 aplicações durante o ciclo da cultura, com intervalos de 15 dias para controlar Thrips palmi. Deve-se utilizar de 500 - 1.000 litros de calda/ha, dependendo do estádio da cultura para o controle do Thrips palmi.
- REPOLHO: Aplicar no máximo 2 aplicações com intervalos de 7 dias, devendo utilizar em torno de 625 litros de calda/ha de tal forma que haja boa uniformidade na cobertura em todas as partes aérea das plantas.
- ROSA: Recomenda-se aplicar até 2 aplicações com intervalo de 10 dias, gastando-se 400 litros de calda/ha, dependendo do estádio de desenvolvimento da cultura.
- SOJA: Recomenda-se realizar 1 aplicação no inicio da infestação da Bemisia tabaci raça B, utilizando-se o volume de calda de 200 a 300 litros/ha.
- TOMATE: Fazer até no máximo de 3 aplicações durante o ciclo da cultura com intervalos de 7 dias devendo-se gastar de 400 a 1.000 litros de calda/ha, dependendo do estádio da cultura.
- UVA: Recomenda-se aplicar até 2 aplicações durante o ciclo da cultura, com intervalos de 10 dias entre as aplicações utilizando-se de 500 a 1.000 litros de volume de calda/ha, dependendo do estádio de desenvolvimento das plantas.

MODO DE APLICAÇÃO:

“TIGER 100 EC” deve ser aplicado em pulverização via terrestre utilizando-se pulverizador costal manual ou motorizado ou pulverizador de barra tratorizado, munido de bicos adequados. Em caso de aplicação com pulverizadores tratorizados dotado com barra/bicos, recomenda-se o uso de bicos cônicos tipo D2, D3 ou séries X2, X3, e pressão de 80 a 150 lbs/pol2. Deve-se regular o pulverizador de tal forma que a altura da barra fique de 30 a 50 cm acima do topo das plantas, e a distância entre bicos de 30 a 50 cm entre si.
Usando-se outros tipos de equipamento, procurar obter uma cobertura uniforme em toda a parte aérea das plantas.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS:

As aplicações devem ser feitas nas horas mais frescas do dia, de preferência na parte da manhã ou à tarde em condições de temperatura inferior a 27ºC, unidade relativa do ar acima de 70% e ventos abaixo de 10 Km/h, utilizando-se quantidade de calda suficiente para dar boa cobertura sobre as plantas. Em caso de dúvidas, consultar um Eng.º Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA:

CULTURA DIAS

Algodão 7
Berinjela 3
Café 15
Citros 14
Feijão 14
Gérbera U.N.A.*
Maçã 45
Melancia 3
Melão 14
Pepino 1
Repolho 14
Rosa U.N.A.*
Soja 30
Tomate 7
Uva 14

*U.N.A. = Uso Não Alimentar


INTERVALOS DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO:

- Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
- Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.

PRECAUÇÕES GERAIS: Antes de usar o produto, leia com atenção as instruções: Uso exclusivamente agrícola. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilizar equipamento com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Produto irritante para os olhos. Use Protetor ocular. Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente com água em abundância e veja PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo o nariz e a boca. Ao contato com a pele, lave-a imediatamente e veja PRIMEIROS SOCORROS. Use luvas de borracha, viseira protetora. Use macacão com mangas compridas, luvas, botas e avental impermeável.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Não aplique o produto contra o vento, nem na presença de ventos. Use macacão com mangas compridas, viseira, chapéu de aba larga, luvas impermeáveis, protetor ocular e botas. O produto produz neblina. Use máscara cobrindo o nariz e a boca.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Ingestão: Não provoque vômito e procure logo um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Olhos: Lave com água em abundância e se houver sinal de irritação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e se houver sinal de irritação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto. Inalação: Procure local arejado, procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receita agronômica do produto.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO: Não há Antídoto específico, o tratamento é sintomático.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Efeitos agudos: DL50 oral (rato) = 8.100 mg/kg, DL50 dérmica (rato) = 2.000 mg/kg. Não são esperados efeitos crônicos ao ser humano com o produto como resultado de seu uso agrícola. Em estudos realizados a longo prazo (2 anos) em ratos não se observou nenhum efeito adverso significativo.

EFEITO COLATERAL: Não se conhece qualquer efeito colateral no homem.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente (CLASSE II). Este produto é ALTAMENTE BIOCONCENTRÁVEL em peixes. Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos (microcrustáceos). É PROIBIDA a aplicação deste produto em áreas alagadas ou sujeitas a inundação por causar danos ao meio ambiente, quando aplicado nessas condições. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto. Siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ESTOCAGEM: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazenamento, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes das legislações estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Para intervenção em casos de acidente utilize equipamentos adequados de proteção individual (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções: Piso pavimentado: Colocar o material absorvente (por exemplo: serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado. Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em um recipiente, que em seguida deverá ser lacrado e identificado devidamente. Remova conforme orientações de destinação adequada de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. As embalagens devem ser furadas de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. Observar legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido o enterrio de embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO: Incineração em forno rotativo/câmara de post-combustão, devidamente licenciado pelo órgão de meio ambiente, operando à temperatura de 1.200 ºC e tempo de 30 minutos.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA A INSETICIDAS:

- Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticida - IRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticida, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo.
- Consultar sempre um engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência Inseticidas.
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.