Bula Topgan 150

acessos
Imazaquim
4504
Adama

Composição

Imazaquim (Equivalente ácido) 150 g/L Imidazolinonas
Imazaquim (Sal de amônio) 161 g/L Imidazolinonas

Classificação

Herbicida
IV - Pouco tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo, Sistêmico, Pré-emergência
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Amendoim bravo
(Euphorbia heterophylla)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Apaga fogo
(Alternanthera tenella)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru comum
(Amaranthus viridis)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru de espinho
(Amaranthus spinosus)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Catirina
(Hyptis lophanta)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Cheirosa
(Hyptis suaveolens)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Corda de viola
(Ipomoea purpurea)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Corda de viola
(Ipomoea nil)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Erva de touro
(Tridax procumbens)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Falsa serralha
(Emilia sonchifolia)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Gervão branco
(Croton glandulosus)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Joá bravo
(Solanum sisymbriifolium)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Joá de capote
(Nicandra physaloides)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Maria preta
(Solanum americanum)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
1 L p.c./ha 100 a 400 L de calda/ha - Única. Não determinado. Em pré-emergência da cultura e das plantas daninhas

Frasco de plástico de 1 L. Galão e bombona de plástico de 5 e 10 L. Balde ou bomobona de plástico de 20 e 50 L. Balde folha de flandres de 200 L. Tambor de plástico de 200 L. Tamque container L de 10.000, 15.000 e 20.000 L.

INDICAÇÕES DE USO:

CULTURAS:
O TOPGAN 150 é um herbicida seletivo para controle das plantas infestantes em pré-emergência na cultura da soja, no sistema de plantio convencional e direto.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
O TOPGAN 150 deve ser aplicado em uma única vez, podendo ser em pré-plantio e incorporado (PPI) ou aplicação sem incorporação e logo em seguida realizar o plantio, sistema Aplique-plante (AP) ou logo após o plantio da soja, antes da emergência da soja e das plantas daninhas, sistema pré-emergência (PRÉ).

MODO DE APLICAÇÃO:
TOPGAN 150 é versátil quanto a sua forma de aplicação, podendo ser aplicado em PPI (Pré-plantio e incorporado), AP (Aplique-plante) ou em PRE (Pré-emergência).
Independentemente da forma de aplicação do TOPGAN 150, as espécies daninhas sensíveis, poderão ter sua emergência inibida e aquelas que germinarem morrerão posteriormente no prazo de 7 a 14 dias.
As aplicações em Pré-plantio e Incorporado (PPI) poderão ser realizadas com o solo seco ou com baixa umidade, desde que permita uma boa incorporação do produto e ausência da formação de torrões.
A incorporação deverá ser realizada com uma grade niveladora a uma profundidade de 5 a 8 cm em velocidade adequada a permitir melhor incorporação possível.
Para as aplicações em Aplique-plante (AP) e Pré-emergência (PRÉ), aplicar o mais próximo possível após a última gradagem, devendo o solo possuir umidade suficiente para a chegada do produto até a região das sementes. Chuvas moderadas após a aplicação propiciam a obtenção de melhores resultados, devido promover com maior rapidez a chegada do produto até a região em que se encontram as sementes.
Melhores resultados serão obtidos quando ocorrer bom preparo do solo, ausência de torrões e restos de culturas, sendo esta última, não caracterizada como cobertura morta oriunda de culturas de inverno.

EQUIPAMENTOS E APLICAÇÕES:
O TOPGAN 150 pode ser aplicado com pulverizadores costais manuais, costais pressurizados e tratorizados convencionais em aplicações terrestres.
O TOPGAN 150 pode ser aplicado com bicos de jato plano leque das séries 8001 a 8004; 11001 a 11004, espaçados de 50 cm um do outro, em pressões de 20 a 40 lib/pol² em volumes de calda de 100 a 400 l/ha, observando a formação de uma boa cobertura, obtendo-se no mínimo de 20 a 40 gotas/cm², aplicado em adequação com os requisitos dos equipamentos observando as condições do meio ambiente, evitando-se deriva.
Por necessidade ou opção de uso de outros equipamentos e aplicações, poderão ser realizados, a critério do Engenheiro Agrônomo ou Técnico habilitado responsável.

-Preparo da calda:
O TOPGAN 150 deve ser adicionado ao pulverizador quando este estiver com 3/4 de sua capacidade com água limpa. Ao adicionar a quantidade recomendada do produto, manter a calda em constante agitação. Após a adição do produto, completar o volume do tanque com água, dando continuidade à agitação.

-Condições climáticas:
O TOPGAN 150 pode ser aplicado o dia todo, preferencialmente nos primeiros horários da manhã, evitando-se as horas mais quentes e retornando as aplicações nos finais da tarde.
Evitar aplicar em temperaturas superiores a 30ºC, para reduzir as perdas por evaporação das gotas pequenas.
Evitar aplicações com ventos superiores a 6 km/hora, ou então fazer uso de equipamento que reduza significativamente a deriva em condições adversas, evitando o contato com as culturas vizinhas.
Não utilizar o TOPGAN 150 em condições climáticas desfavoráveis e durante a aplicação evitar sobreposições nas faixas divisórias das pulverizações.

INTERVALO DE SEGURANÇA PARA A CULTURA INDICADA:

Soja ........................ (1)

(1) Intervalo de segurança não determinado devido a modalidade de emprego.

LIMITAÇÕES DE USO:
TOPGAN 150 é seletivo à cultura da soja, em razão do rápido metabolismo de degradação do herbicida pela planta.

-Outras restrições a serem observadas:
Atenção:
Até o presente momento os estudos disponíveis permitem indicar que somente as culturas de inverno e verão indicadas abaixo poderão ser feitas em rotação com a soja nas áreas tratadas com o produto:
- culturas de verão: soja, feijão e amendoim.
- culturas de inverno: trigo e ervilha.
Durante a aplicação do produto, deve-se evitar a deriva para as culturas vizinhas as áreas a serem cultivadas com a soja.
a) não se deve plantar algodão em rotação à cultura da soja nas áreas que foram tratadas com o produto.
b) na cultura do milho deve-se respeitar o intervalo de 300 dias entre a aplicação do produto e seu plantio.

PRECAUÇÕES GERAIS: Este produto é exclusivamente agrícola: não deve ser transportado juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas; Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, utilize os Equipamentos de Proteção Individual recomendados; Antes de vestir, certifique-se de que os equipamentos de proteção individual estão limpos e descontaminados; Não utilize equipamentos de proteção individual danificados e/ou defeituosos, bem como, equipamentos de aplicação com vazamentos; Não desentupa bicos, orifícios, tubulações e válvulas com a boca.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA: Use protetor ocular (óculos ou viseira facial): se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS;
Use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6 m) cobrindo o nariz e a boca: caso o produto seja inalado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Use luvas de borracha: ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS; Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos: use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6 m) cobrindo o nariz e a boca, luvas e botas de borracha, macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, protetor ocular (óculos ou viseira facial) e avental impermeável; Não manipule e/ou carregue embalagens danificadas; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe do local de trabalho.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação; O produto produz neblina, use máscara apropriada (com filtro para partículas e/ou névoas tóxicas de até 6 m) cobrindo o nariz e a boca, botas de borracha, macacão com mangas compridas e chapéu de aba larga na aplicação tratorizada, alem desses, use protetor ocular (óculos ou viseira facial), luvas de borracha e avental impermeável na aplicação costal, manual ou motorizada; Aplique somente nas doses recomendadas pelo fabricante; Não aplique o produto contra o vento e nas horas mais quentes do dia; Se durante a aplicação sentir qualquer sintoma de intoxicação, interrompa imediatamente os trabalhos, saia da área tratada, retire os equipamentos de proteção individual e tome banho com água à temperatura ambiente; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe da área de aplicação.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO DO PRODUTO: Não reutilize embalagens vazias, após seu uso e esgotamento, proceda a tríplice lavagem e certifique-se que as embalagens foram inutilizadas, siga as instruções dispostas nos itens abaixo; Mantenha as embalagens com sobras de produtos adequadamente fechadas em local seco, trancado e próprio para o armazenamento, longe do alcance de crianças e animais; No descarte de rejeitos contaminados utilize os equipamentos de proteção individual indicados no item 2.2; Recolha os rejeitos contaminados e coloque-os em sacos plásticos, tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados, siga o disposto no item __ da bula; Tome banho e troque de roupa, estas devem ser lavadas separadamente das outras roupas da família;
Os equipamentos de proteção individual contaminados devem ser lavados e/ou limpos e arrumados em local próprio, seco e limpo, aguardando o próximo uso; Mantenha pessoas, principalmente crianças e animais domésticos longe da lavoura, até a secagem completa da calda de aplicação ou pelo menos por 72 horas, fora deste período, use os equipamentos de proteção individual.

INFORMAÇÕES RELATIVAS AOS CUIDADOS COM A SAÚDE HUMANA:

Mecanismo de Ação para o Ser Humano.O Imazaquim apresenta uma toxicidade muito baixa em mamíferos e não é bioacumulativo, o que explica o desinteresse pela verificação do seu mecanismo de ação, que não foi perfeitamente caracterizado pelas informações disponíveis na literatura consultada.Absorção, Metabolização e Excreção.Segundo os resultados obtidos com ratos de laboratório, que foram tratados com uma dose oral simples de 120 ppm de Imazaquim radiomarcado na ração, um total de 101,9 % da radioatividade foi recuperada em um período de coleta de 48 horas; 94,28 % na urina, 3,94 % nas fezes e 3,75 % no metanol utilizado na lavagem das caixas para estudo de metabolismo utilizado no estudo. O valor da meia vida da substância teste radiomarcada nos animais foi menor que 24 horas.Os níveis de radioatividade residual no fígado, rins, músculos, gordura e sangue 24 e 48 horas após o tratamento foi medido; o Imazaquim em quantidades relativamente significantes foi detectado no fígado (0,025 ppm), e rins (0,17 ppm) 24 horas após o tratamento. 43 horas após o tratamento, o fígado continha somente 0,01 ppm de Imazaquim residual (limite e detecção) e resíduos insignificantes nos rins.Os dados indicam que a substância teste não se acumula nos tecidos dos ratos e que uma vez neles, é rapidamente eliminada; que do total eliminado pela urina 99,7 % foi do Imazaquim de forma inalterada.Efeitos Agudos (Sintomas de intoxicação).Não devem ser considerados específicos; em doses altas pode ocorrer mal estar, fadiga, tontura, tremores, cefaléia, náuseas, vômitos e dores abdominais.Efeitos Crônicos para o Ser Humano.Não devem ser considerados específicos; exposições intensas podem levar a danos hepáticos e renais. Eventualmente depressão do S.N.C.. Estudos em ratos de laboratório não indicaram alterações patológicas, histopatológicas, na análise da urina e na química sangüínea; pequenas alterações estatisticamente significantes no peso absoluto e relativo dos órgãos foram constatadas, mas nada digno de nota.Efeitos Colaterais para o Ser Humano.Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.Primeiros Socorros.Ingestão: não provoque vômito, procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.Olhos: lave-os com água em abundância e procure o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.Pele: lave-a com água em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.Inalação: procure lugar arejado e vá ao médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.Tratamento Médico de Emergência.O tratamento é sintomático e deve ser instituído a critério médico; as ocorrências clinicas devem ser tratadas segundo seu surgimento e gravidade, em caso de ingestão, o tratamento envolve lavagem gástrica, até 1 hora após a exposição e/ou o aparecimento dos sintomas de intoxicação, após este período, proceder como descrito no item Antídoto; e em caso de exposição por contato, o tratamento envolve a higienização das áreas do corpo do paciente atingidas, dando atenção especial as regiões que sofreram maior depósito ou que podem reter o produto (cabelo, ouvido, axilas, umbigo, unhas e genitais). Avaliações especializadas do trato respiratório, oftalmoscópica e dermatológica podem ser requeridas.Antídoto.A critério médico, utilizar antídotos de ação ampla, que modifiquem a toxicocinética e/ou a toxicodinâmica do produto, como o Carvão Ativado (adsorção digestiva) e Purgativos Salinos (catarse), monitorando o equilíbrio hidroeletrolítico.Diagnóstico laboratorial.Provas de função hepática e urinária, detecção do produto no vômito coletado ou lavado da pele. Mensurações de resíduos do produto na urina e no sangue.

Telefone de Emergência: 0800 400 7505Centro de Controle de Intoxicações: (0xx43) 3371 2244.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE.

Este produto é: PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE MÓVEL no meio ambiente, apresentando alto potencial de deslocamento no solo, podendo atingir principalmente águas subterrâneas. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água. Evite a contaminação da água. Não execute aplicação aérea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamento de animais e vegetação susceptível a danos. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES.
Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material no comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre recipientes disponíveis para envolver embalagens rompidas.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Observe legislação estadual e municipal.

EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Utilize equipamentos de proteção individual. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa MILENIA AGRO CIÊNCIAS S/A - Telefone da empresa: 0800-400-7505 e o CCI - Centro de Controle de Intoxicações: (0xx43) 371-2244. Procure impedir que o produto atinja bueiros, drenos ou corpos d’água. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DEVOLUÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS:É obrigatória a devolução desta embalagem ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado, por escrito, na nota fiscal de compra, conforme instruções da bula. Não armazene ou transporte embalagens vazias junto com alimentos, bebidas, rações, medicamentos, animais ou pessoas. A destinação inadequada de embalagens e restos de produtos no meio ambiente ocasiona contaminação do solo, da água e do ar.
- SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NA BULA REFERENTES AOS PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM E/OU DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO: Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone 0800-400-7505, para sua devolução e destinação final.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS: Está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas infestantes a ele resistentes.
Como prática de manejo de resistência em plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas, com diferentes mecanismos de ação, devidamente registrada para cultura. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.