Bula Trichodermil Super SC - Koppert

Bula TRICHODERMIL SUPER SC 1306

Trichoderma harzianum, cepa ESALQ-1306
22318
Koppert

Composição

Trichoderma harzianum (Rifai, 1969), cepa ESALQ-1306 48 g/L

Classificação

Terrestre
Fungicida microbiológico, Nematicida Microbiológico
3 - Produto Moderadamente Tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato

Tipo: Frasco.
Material: Plástico.
Capacidade: 0,05 - 5 L.
Tipo: Bombona.
Material: Plástico.
Capacidade: 3 - 100 L.
Tipo: Tambor.
Material: Metal/Plástico/Fibra.
Capacidade: 10 - 250 L.
Tipo: Tanque.
Material: Metal/Plástico/Fibra.
Capacidade: 100 - 20.000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

O fungicida microbiológico Trichodermil Super SC 1306 é um micoparasita necrotrófico de ocorrência natural em solos, eficaz no controle de inúmeros fungos fitopatogênicos, incluindo os fungos Fusarium spp., Rhizoctonia spp. e Sclerotinia sclerotiorum.

MODO DE APLICAÇÃO

Trichodermil Super SC 1306 deve ser aplicado na forma líquida, através de pulverizadores de barra ou costal, com jato dirigido ao sulco de plantio e através da utilização de pivôs.

PULVERIZAÇÃO

Primeiro passo - Limpeza do equipamento - Limpar muito bem o tanque/bicos do pulverizador para eliminar resíduos de inseticidas, herbicidas ou fungicidas químicos.
Atenção:
a) Não realizar a limpeza do pulverizador próximo de lagos, rios ou reservas de água;
b) Realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação.
- O ideal é encher o tanque do pulverizador com água e adicionar 1 litro de solupan ou 1 kg de sabão em pó para cada 400 litros de água. Deixar esta mistura em repouso por 12 horas. Em seguida, agitar a mistura e aspergir todo o volume através dos bicos de pulverização. Posteriormente, enxaguar com água limpa usando como escoamento sempre os bicos. Nessa operação, aproveita-se para testar a regulagem da vazão. No caso de polvilhadeira, após a lavagem deixar o equipamento secar completamente antes do uso.
Segundo passo - Preparação da calda
- Encher com água 2/3 do reservatório do pulverizador. Paralelamente, dissolver cada embalagem (1 L) do produto em 20 litros de água, usando um balde limpo como recipiente. Agitar com intensidade até formar calda homogênea. Derramar a calda no reservatório com água e iniciar a operação de pulverização. Tanque reservatório ou de pulverização em constante agitação. Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia.
Volume de calda recomendado
Pulverizador de barra: 1 litro: 80 litros;
Pivô: 1 litro - 1000 litros no injetor;
Pulverizador costal: 0,25 litros: 20 litros;
Aplicado via sulco: 1 litro - 200 litros

INTERVALO DE SEGURANÇA

Sem restrições.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área tratada em que o produto foi aplicado antes da completa secagem da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os EPI's recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente ao final da tarde ou à noite, em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições, a exposição dos conídios (esporos) do fungo à radiação UV do sol (fator de inviabilização do fungo) é menor.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir na sistemática de inspeção ou monitoramento e controle de pragas, quando a infestação atingir o limite de prejuízo econômico, outros métodos de controle de pragas (ex.: controle cultural, biológico, rotação de inseticidas, acaricidas etc.) visando o programa de Manejo Integrado de Doenças.

Não existem informações sobre o desenvolvimento de resistência de fitopatógenos a cepa ESALQ-1306.