Bula Trinity 250 SC - Stockton

Bula Trinity 250 SC

CI
Flutriafol
15508
Stockton

Composição

Flutriafol 250 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Frasco PEAD de 0,5 e 1 L;
Bombona PEAD de 2,5L , 5, 10 e 20 L;
Tambor PEAD ou metálico revestimento PVF de 10 0 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO

TRINITY 250 SC é um fungicida sistêmico, grupo químico triazol, recomendado para o controle de doenças da parte aérea das culturas de algodão, banana, batata, café, feijão, mamão, melão, soja e tomate, nas seguintes modalidades de aplicação:
- Aplicação foliar nas culturas de algodão, banana, batata, café, feijão, mamão, melão, soja e tomate.
- Aplicação localizada na cultura da banana.
- Aplicação no solo na cultura de café.

MODO DE APLICAÇÃO

Algodão:
Aplicação terrestre – Utilizar pulverizador tratorizado de barra, equipado com bicos apropriados, produzindo um diâmetro de gotas de 50 a 200 µm, uma densidade de 50 a 70 gotas por cm² , e uma pressão de 40 a 60 libras. Recomenda-se aplicar com temperatura inferior a 27ºC, com umidade relativa acima de 60% e ventos de no máximo 10 Km/ha. Se utilizar outro tipo de equipamento, procurar obter uma cobertura uniforme na parte aérea da cultura. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicação.
Aplicação Aérea – Utilizar barra com volume de 30 a 40 litros de calda por ha. Usar bicos apropriados para esse tipo de aplicação. Largura efetiva de 15-18 cm, com diâmetro de gitas de 80 µm, e um mínimo de 60 gotas por cm² . O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume da aplicação em litros por hectare, para proporcionar a cobertura adequada e a densidade de agotas desejada. Observar ventos de 3 a 10 Km/hora, temperatura inferior a 27ºC e umidade relativa a 60% visando reduzir ao mínimo as perdas por deriva ou evaporação. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda aplicação.

Banana:
Aplicação terrestre - Na aplicação com atomizador motorizado costal ou tratorizado, utilize óleo mineral como adjuvante, e aplique visando as folhas mais novas, principalmente as de número 0, 1 e 2. Evite que o produto atinja o cacho, pois o óleo mineral é fitotóxico. A aplicação deverá ser em ultra baixo volume.
Aplicação localizada - Com uma pistola dosadora de haste longa para atingir a inserção das folhas, deposite o produto na axila da folha número 2 (a segunda folha totalmente aberta, contando-se de cima para baixo).
Aplicação Aérea – Usar bicos de jato cone vazio do tipo D5 com disco (core) de 45 graus, espaçados a cada 20 cm. A pressão na barra deve ficar ao redor de 30 libras, com volume de calda de 15 litros de óleo de pulverização agrícola por hectare. A largura de vôo deve ser de 2 a 3 metros sobre a cultura. Em locais onde essa altura não for possível, fazer arremates com passadas transversais, paralelas aos obstáculos. Vento máximo de 15 Km por hora, sem ventos de rajadas. Para o uso de atomizadores rotativos (Mironair AU 3000), usar 4 atomizadores por barra. O ângulo das pás deve ser de 25 a 35ºC, ajustado segundo as condições de vento, temperatura e umidade relativa, para reduzir ao mínimo as perdas por deriva e evaporação. A largura de vôo deve ser de 3 a 4 metros sobre a cultura. A pressão deve ser estabelecida conforme a vazão, seguindo a tabela do fabricante. A vazão deve ser de 15 litros de óleo de pulverização agrícola por hectare.
Batata e Tomate: Utilize pulverizador tratorizado com barras, motorizado estacionário com mangueiras, ou costal manual equipado com pontas (bicos) de jato cônico. Poderá ser utilizado também o pulverizador costal motorizado. Utilize equipamento que permita excelente cobertura de toda a parte aérea das plantas, porém evitando-se o escorrimento do produto.

Café:
Aplicação foliar - Aplique o produto visando boa cobertura da planta evitando-se o escorrimento. Utilizar atomizador motorizado costal ou tratorizado.
Aplicação via solo - Pulverize o produto no solo com jato ou bico, dirigindo a aplicação sob a projeção da copa.

Feijão: Utilize pulverizador tratorizado com barra, ou costal manual, equipados com pontas (bicos) de jato cônico. Utilize equipamento que permita excelente cobertura de toda a parte aérea das plantas, porém evitando-se o escorrimento do produto. Siga a recomendação dos fabricantes de bicos e equipamentos utilizados.

Mamão: Utilize pulverizador costal, estacionário, montado ou tracionado por trator, turbinados. Use bicos de jato cônico ou jato plano (leque) com abertura e pressão que possibilitem densidade de 70 a 100 gotas/cm² , com diâmetro entre 100 a 200 micra, proporcionando distribuição uniforme da calda.

Melão: As aplicações devem ser terrestres, podendo-se utilizar equipamento costal ou equipamento acoplado a tratores; barra ou pistola munida de bicos cônicos. Em ambos os equipamentos utilize as doses recomendadas, diluídas em água e aplicadas em alta vazão (1.000 L de calda/ha), visando à completa cobertura das folhas.

Soja: utilize pulverizador montado ou tracionado por trator, com barra de bicos de jato cônico ou leque. Os bicos devem ser distribuídos a cada 50 cm na barra e esta mantida a uma altura que permita cobrir totalmente a parte aérea das plantas.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão: 21 dias;
Banana (aplicação foliar): 3 dias;
Banana (aplicação localizada): 60 dias;
Batata: 14 dias;
Café (aplicação foliar): 30 dias;
Café (aplicação no solo): 120 dias;
Feijão: 7 dias;
Mamão: 7 dias;
Melão 10 dias;
Soja: 28 dias;
Tomate: 7 dias;

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Agite vigorosamente o produto na embalagem original, antes de abri-la para preparo da calda. Não aplique Trinity 250 SC com ventos superiores a 6 km/hora e no horário mais quente do dia. Utilizado conforme as instruções de uso recomendadas, o produto não é fitotóxico.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex.: Resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.

Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Incluir outros métodos de controle de doenças (ex.: Resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Corrosivo ao ferro