Bula Yang - BRA

Bula Yang

Acetamiprido
6518
BRA

Composição

Acetamiprido 200 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó solúvel (SP)
Sistêmico

Tipo: Caixa.
Material: Fibra celulósica.
Capacidade: 1 - 2 kg.
Tipo: Caixa.
Material: Fibra celulósica com bolsa plástica interna.
Capacidade: 0,25 - 1,0 kg.
Tipo: Frasco.
Material: Plástico.
Capacidade: 1 - 5 kg.
Tipo: Saco.
Material: Plástico/Plástico aluminizado/Hidrossolúvel.
Capacidade: 0,01 - 2,0 kg.
Tipo: Saco.
Material: Plástico/Plástico aluminizado/Hidrossolúvel.
Capacidade: 0,125 - 1,0 kg.
Tipo: Tambor.
Material: Plástico.
Capacidade: 5 - 200 kg.
Tipo: Tambor.
Material: Metálico.
Capacidade: 20 - 200 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

YANG é um inseticida sistêmico de ação translaminar empregado na forma de pulverizações no controle das pragas nas culturas de algodão, batata, feijão, maça, mamão, melão, melancia, pinhão manso, soja, tomate e trigo.

Recomenda-se fazer aplicações intercaladas com produtos de modo de ação diferente devidamente registrados para o controle da referida praga, para que seja evitado o aparecimento da resistência dos insetos ao inseticida.

MODO E EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

Aplicação terrestre: pulverizadores costais, manuais ou motorizados ou tratorizado de barra. Com pulverizador tratorizado de barra, utilizar bicos jato cônico vazio da série JA ou D utilizando nesta série o difusor 23 ou 25, de forma a se obter um diâmetro de gotas de 110 a 140 µm e uma densidade de 50 a 70 gotas/cm², com volume de calda suficiente para que as plantas e a praga recebam uma boa cobertura da calda. A pressão de trabalho para os bicos recomendados deverá ser de 80 a 120 lb. Utilizando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter uma cobertura uniforme da parte aérea das plantas, pulverizando de modo a atingir a praga. Procurar fazer as aplicações nas horas mais frescas do dia.

Aplicação aérea: pulverizadores aéreos com aeronaves agrícolas devidamente equipada com barra/bico, empregando o volume de 20 a 30 L/ha e 40 a 50 L/ha para os alvos: Thrips palmi na cultura do tomate; Empoasca kraemeri na cultura do feijão e Bemisia tabaci raça B nas culturas de feijão, melão, melancia e soja, seguindo sempre as boas práticas de aplicação. Tamanho/densidade de gotas: 110 - 140 micra com mínimo de 40 gotas/cm². Porém, para o controle da Mosca-branca, Pulgão-verde e Tripes na cultura do tomate esta prática não é recomendada por ser necessário aplicações com alto volume e o contato do produto com a praga (adulto ou ninfa).

Para atomizador Micronair AU 3000/5000 utilizar máximo de 18 L/Micronair/min.
Altura de voo: com barra ou micronair, 4-5 metros em relação ao topo das plantas.
Largura da faixa de deposição efetiva: 20m para aviões do tipo Ipanema. No caso barra, usar bicos cônicos da série D com disco (core) 45°. Manter a angulação das barras entre 90° (para umidade do ar acima de 80%), ajustando-a durante a aplicação de acordo com a variação da umidade relativa do ar, até a angulação máxima de 180° em relação a direção do voo do avião.
Seguir sempre as recomendações de ajuste do avião sob orientação de um engenheiro agrônomo responsável pela coordenação da aviação agrícola, devidamente credenciado pelo Ministério da Agricultura.
Condições climáticas: o diâmetro de gotas deve ser ajustado de acordo com as variações da umidade relativa do ar durante todo a aplicação, de modo que se obtenha a densidade e deposição das gotas, obedecendo ventos de até 8 km/h, temperatura inferior à 27°C e umidade relativa acima de 70%, visando reduzir ao mínimo perdas por deriva ou evaporação.
O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação.

Obs.: Seguir as recomendações técnicas de aplicação e consultar sempre um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão (foliar), batata (foliar), feijão (foliar), maçã (foliar): 7 dias
Mamão (foliar): 5 dias
Melancia (foliar), melão (foliar), tomate (foliar): 3 dias
Pinhão-manso (foliar): Uso não alimentar
Soja (foliar): 14 dias
Trigo (foliar): 15 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Recomenda-se aguardar 24 horas para reentrada na lavoura ou após a secagem completa da calda, evitando-se sempre que possível que pessoas alheias ao tratamento com a cultura e animais domésticos circulem pela área tratada. Utilizar os EPI indicados no item 8., caso houver necessidade de entrar na área tratada antes da secagem total da calda aplicada.

LIMITAÇÕES DE USO

Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, não ocorre fitotoxicidade nas culturas para as quais o produto é recomendado.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

- Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência.
- Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência à inseticidas (MRI) podemos prolongar a vida útil dos inseticidas.
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
Utilizar somente as doses recomendadas na bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex: controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.