Extensionistas apresentam formas de cuidado com o solo

Agronegócio

Extensionistas apresentam formas de cuidado com o solo

O objetivo é esclarecer sobre formas sustentáveis e econômicas de cuidados com o solo.
Por:
3760 acessos

A Emater, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, apresenta técnicas de conservação do solo na 39ª Expointer. No espaço, próximo ao pavilhão da agricultura familiar, os extensionistas dão explicações e fazem demonstrações técnicas sobre práticas mecânicas e vegetativas. O objetivo é esclarecer sobre formas sustentáveis e econômicas de cuidados com o solo.

O extensionista Marcelo Biassusi, um dos responsáveis pelo estande de conservação do solo, mostra o que se deve evitar no cuidado com o solo. Segundo ele, a opção de passar a plantadeira no sentido do declínio do terreno faz com que a água escorra mais rapidamente sobre a terra, prejudicando sua absorção e removendo substâncias importantes, causando degradação. Outro problema seria o arado, mecanismo que agita a terra. Marcelo diz que dessa forma, retiramos os principais nutrientes do solo, que deveriam estar na primeira camada, e os afundamos, dificultando o contato dos mesmos com as plantas.

Pensando em evitar esses métodos, a Emater apresenta para o agricultor formas corretas e acessíveis para conservação do solo, com práticas mecânicas e vegetais. Opções como trabalhos com curva de nível, adubação verde utilizando vegetação de adubo e nível de pé de galinha, são apresentados no estande Conversação de Solo e Água, no espaço Emater da 39ª Expointer.

Está disponível também, o estande Projetos de Compostagem e Minhocultura, apresentando trabalhos com minhocários, compostagem e reutilização do chorume. Carine Barros, técnica agrícola da Emater responsável por mostrar aos visitantes os resultados dessas práticas, diz ser possível extrair nutrientes do chorume, produto normalmente tratado como prejudicial ao solo. A comerciária Jussara Gonçalves, visitante do estande, disse que as informações foram enriquecedoras e que possibilitaram entender melhor a terra. O agricultor Osmar Piveta falou que foi possível conhecer práticas e plantas novas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink