Produtores gaúchos apostam na agroindustrialização

Agronegócio

Produtores gaúchos apostam na agroindustrialização

O Rio Grande do Sul é o terceiro estado brasileiro em participação da agricultura familiar
Por: -Gabriella Bontempo
1562 acessos

O Rio Grande do Sul é o terceiro estado brasileiro em participação da agricultura familiar, de acordo com o Censo Agropecuário. São mais de 378 mil produtores que representam 86% de todos os estabelecimentos rurais do Estado. Além de produzir 100% do café, 92% da mandioca e 85% do leite, os agricultores familiares gaúchos dão show na agroindustrialização. 

São  fábricas de pequeno porte de laticínios, embutidos, panificados, doces, sucos, entre outros produtos, que movimentam a economia local e fortalecem, ainda mais, a produção do setor. Somente na Expointer 2015, o Pavilhão da Agricultura Familiar, com 239 estandes, comercializou mais de R$ 2,2 milhões em sete dias de feira.

Ação conjunta
Para participar de eventos como esse, o agricultor ou empreendimento familiar gaúcho que agrega valor a produção, precisa estar inscrito no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf). É por ele que os produtores que processam alimentos in natura têm acesso a diversas políticas públicas da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), entre elas, a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater); ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf); além dos cursos de qualificação da Emater e ao licenciamento ambiental.

Ao todo, mais de 2,7 mil famílias e 917 agroindústrias estão cadastradas no programa. “A ação existe há 16 anos e em 2012 se tornou uma política de estado. Ela tem duas etapas: a primeira, de cadastramento, é a maneira de conhecer a família que quer agregar valor à produção. A partir do cadastro, oferecemos todo apoio para o produtor e empreendimento rural na formalização da agroindústria”, explicou a engenheira de alimentos e coordenadora do Peaf na Emater/RS, Bruna Bresolin Roldan.

Depois que algumas exigências são cumpridas tais como a apresentação do licenciamento ambiental, sanitário e o laudo de potabilidade da água, é emitido ao produtor rural o certificado de inclusão no programa, que comprova que o agricultor ou empreendimento está apto a participar de feiras estaduais e chamadas públicas. A coordenadora do programa explica que o êxito das agroindústrias gaúchas é fruto de uma série de iniciativas assertivas que beneficiaram diretamente esses produtores rurais.  

“O Peaf com diversas políticas que foram criadas ao longo do tempo, como os programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e o de Alimentação Escolar (Pnae), formaram todo um ambiente institucional que favoreceu a agricultura familiar e a formalização e comercialização desses empreendimentos”, ressaltou a coordenadora. A expectativa, para os próximos quatro anos, é de incluir mais 600 agroindústrias no programa estadual.

Expointer
Para participar na Expointer que vem sendo realizada há 18 anos, em Esteio (RS), os empreendimentos legalizados devem procurar as entidades representativas da agricultura familiar para fazer a inscrição. “Depois de inscritas, uma comissão formada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), a Emater e as entidades representativas, promovem a seleção das famílias e agroindústrias que participarão do Pavilhão da Agricultura Familiar”, destacou Bruna. 

Uma das selecionadas para a edição 2016 é a agroindústria Sabores da Montanha, de Bento Gonçalves (RS) a 120 quilômetros da capital Porto Alegre. Esta será a oitava vez que a produção da agricultora familiar Sirlei Lorenzatti, 59 anos, marcará presença no evento. 

“A Expointer é muito importante para mim. Por causa dela, os meus produtos foram parar até em Vila Velha, no Espírito Santo, e em todo o Rio Grande. A Expointer é uma das melhores e maiores feiras do estado”, contou. O carro-chefe da Sabores da Montanha são as frutas desidratadas.

“No começo eu recebi muita ajuda da Emater, porque a gente tinha pouca terra e tentava fazer alguma coisa diferente para agregar valor no que a gente produzia. E foi a assistência técnica e a extensão rural que deu a ideia de fazer a agroindústria, já que não tinha muitas desse tipo na região”, afirmou Sirlei. Além das frutas desidratadas, Sirlei produz frutas cristalizadas, geleias, molhos e extratos de tomate, tomate seco e antepasto de berinjela. 

Serviço
18ª Feira da Agricultura Familiar na Expointer
Data: 27 de agosto a 4 de setembro de 2016
Horário: 8h30 às 20h30
Local: Parque de Exposição Assis Brasil – Esteio (RS)

O Pavilhão da Agricultura Familiar é uma promoção do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, pela Secretaria de Desenvolvimento Rural e Cooperativismo (SDR). A comissão organizadora é composta pela Emater-RS, FETAG-RS, FETRAF-RS e Via Campesina.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink