Produtores seguram feijão e vendem soja e milho
CI
Imagem: Marcel Oliveira
PULSES

Produtores seguram feijão e vendem soja e milho

Maioria diz que vai esperar para avaliar as perdas nas lavouras
Por: -Leonardo Gottems

O mercado de feijões continua muito calmo, aponta o Ibrafe (Instituto Brasileiro do Feijão e Pulses). Poucos negócios aconteceram, porém, no caso do Feijão-preto, o que se observa é que os produtores não estão dispostos a vender pelos preços que têm sido ofertados, abaixo de R$ 250. 

“Na verdade, boa parte dos produtores, ao serem sondados para vender, respondem que vão esperar para avaliar as perdas nas lavouras para depois pensar em vender. Muitos fazem as contas e comentam que, comparado com soja e milho, é melhor ficar com o feijão e vender o que tem melhor preço agora. Há muito tempo os produtores usam a paridade para determinar o valor que consideram razoável para vender. Até o momento, o feijão vai se tornando a menos atrativa alternativa de plantio”, diz a entidade.

De acordo com o presidente do Ibrafe, Marcelo Eduardo Lüders, acontece um paradoxo único no feijão e o governo não está percebendo: “Mesmo que os preços apareçam na imprensa com alta nos valores praticados de um ano para cá e com queda de consumo por conta do preço, a área não está aumentando. Uma coisa é o que se lê em relatórios da CONAB e outra é o que se vê no campo”. 

“A verdade é que, quando temos quebra de safra por estiagem, ela é mais nociva do que a quebra de safra por excesso de chuvas. Com muita chuva, o Feijão sai da estatística com quebra, mas acaba sendo secado, maquinado 4 ou 5 vezes, misturado aos poucos com Feijão um pouco melhor e acaba aparecendo nas prateleiras com preço baixo. Por outro lado, com seca a conversa é outra”, conclui Lüders.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink