Seca no Sul sustenta cotações na B3
CI
Imagem: Divulgação
BOLSA DE MERCADORIAS

Seca no Sul sustenta cotações na B3

Em Chicago o milho fecha em nova alta, puxado pelo petróleo e possível demanda de etanol
Por: -Leonardo Gottems

O mês de novembro permaneceu seco na região Sul do Brasil e acabou sustentando as cotações na B3, segundo informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “Ainda que reste quase dois meses para o início de alguma colheita de verão, o momento é crucial para o desenvolvimento das plantas”, comenta. 

“Neste início  de  dezembro,  a  maior  parte  das  lavouras  na região sul, especialmente do Paraná e Santa Catarina, encontram-se  na  fase  de  pendoamento,  que  surge geralmente  após  a  oitava  semana,  em  que  ocorre  a determinação  do  tamanho  da  espiga,  a  queda  das primeiras folhas, dentre outros importantes processos fenológicos.  Cientificamente,  é  reconhecido  como  o estágio em que a planta apresenta maior intolerância ao estresse hídrico”, completa. 

Tal  preocupação  foi  suficiente  para  que  a  B3  se mantivesse operando em campo positivo neste início de  semana,  em  que  a  precificação  dos  principais vencimentos beirou os R$ 95,00 por saca e subiu até +1,69%. “Com isto, os fechamentos do dia apresentaram-se da seguinte forma: O vencimento janeiro/21 era cotado à R$ 94,19 (+0,90%); março/22 fechou R$ 94,58 (+1,08%); maio/22 era negociado por R$ 89,40 (+0,81%) e o julho/22 tinha valor de R$ 85,30 (+0,65%)”, indica. 

Em Chicago o milho fecha em nova alta, puxado pelo petróleo e possível demanda de etanol. “A  cotação  do  milho  para  março22 fechou em leve alta de 0,04% ou 0,25 cents/bushel a $ 584,25.  A  cotação  de  julho22,  importante  para  as exportações  brasileiras,  fechou  também  em  alta  de 0,13% ou $0,75cents/bushel a $ 586,50. Sessão  sem  grandes  variações,  em  um mercado  sustentado  pela  recuperação  dos  preços  do petróleo.  Aguardam-se  os  dados  do  USDA  WASDE, onde  se  destacam  as  grandes  perspectivas  de abastecimento na América do Sul”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.