Cochonilha do abacaxi (Dysmicoccus brevipes)
CI

Cochonilha do abacaxi

Cochonilha pulverulenta do abacaxi (Dysmicoccus brevipes)

Culturas Afetadas: Abacaxi

Sinônimos: Dactylopius bromeliae, Lecanium bromeliae, Pseudococcus anonassae, Pseudococcus brevipes e Pseudococcus bromeliae

A fêmea adulta é recoberta por secreção pulverulenta, de cera branca, formando 34 porlongamentos em volta do corpo. Esses apêndices têm comprimento praticamente igual, sendo os quatro posteriores mais largos e mais grossos. Sem a secreção, a cochonilha é oval, de coloração rosada e mede pouco mais de 1 mm de comprimento. Essas cochonilhas atacam os frutos, axilas das folhas e raízes do abacaxi.

É uma importante praga da cultura do abacaxi e pode ser encontrada em todo o território brasileiro, em várias culturas, tais como abacate, algodão, amendoim, arroz, banana, batata, caqui, coco, milho, fruta-do-conde.

Danos: A cochonilha suga a seiva da planta, inocula uma toxina responsável pelo sintoma conhecido como "murcha do abacaxi". A praga localiza-se nas raízes e axilas das folhas, podendo ser encontrada nos frutos e rebentos, sugando seiva. Essas cochonilhas vivem em simbiose, por protocooperação, com as formigas, especialmente com a lava-pé.

Controle: Antes do plantio pode-se tratar as mudas, mergulhando-as em solução de inseticida fosforado, registrado para a cultura, durante três minutos. Após o plantio aplicar sistêmico granulado na axila das folhas durante a fase de crescimento.



Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.