Mancha da folha (Cercospora apii)
CI

Mancha da folha

(Cercospora apii)

Culturas Afetadas: Aipo

A mancha de folha pode causar perdas severas nos rendimentos e na qualidade, particularmente se os ataques ocorrerem no começo da cultura. A doença causa desfolhação e definhamento das plantas. Esta doença está amplamente distribuída em todas as regiões do mundo onde se cultiva aipo. No Brasil, existem registros publicados nos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Cercospora apii, além do aipo, é capaz de atacar hospedeiros em mais de 15 famílias de plantas diferentes.

Danos: O sintoma típico da doença são manchas cloróticas em ambas as faces das folhas, com textura de papel. As lesões ocorrem em ambas as faces da folha e aparecem como pequenas manchas cloróticas, circulares, secas, com textura de papel, que aumentam rapidamente de tamanho até 1-2 cm de diâmetro, tornam-se cinza-amarronzadas e não têm um bordo limitante. Nos pecíolos, as manchas são alongadas e paralelas ao eixo longitudinal destes. As folhas, com várias manchas, tornam-se cloróticas e murchas. Sob condições favoráveis ao desenvolvimento da doença, forma-se grande quantidade de conídios no interior das lesões, e as plantas murcham completamente.

Controle: A maioria das cultivares de aipo são suscetíveis a Cercospora apii, no entanto há algumas cultivares tolerantes, entre elas, Emerson Pascal, June-Belle e Aerlibelle, todas de origem canadense. A principal medida de controle é o uso de sementes limpas e adequadamente tratadas, assim como mudas também sadias, produzidas sob estrito controle fitossanitário. Após a colheita, os restos da cultura infectados devem ser retirados do campo e queimados. As sementes devem ser tratadas com fungicidas protetores antes de serem plantadas. Realizar pulverizações com fungicidas protetores nas sementeiras.