Bula Bioprogress - Mitsui

Bula Bioprogress

acessos
Hidróxido de cobre
1278791
Mitsui

Composição

Equivalente em cobre metálico 450 g/kg Inorgânico
Hidróxido de cobre 691 g/kg Inorgânico

Classificação

Bactericida, Fungicida
IV - Pouco tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato

Abacate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Verrugose
(Sphaceloma perseae)
250 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar de 4 a 5 aplicações em intervalos de 10 a 15 dias Sem restrições No viveiro, aplicar no aparecimento das folhas e em condições de campo, plantio definitivo, a primeira aplicação deverá ser feita antes da florada. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, diminuir o intervalo de aplicação
Aipo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha da folha
(Cercospora apii)
250 g p.c./100 L de água 200 a 300 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, reduzir o intervalo de aplicação
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha castanha
(Cercospora arachidicola)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar de 3 a 4 aplicações em intervalos de 10 a 15 dias Sem restrições Realizar a primeira entre os 35 e 40 dias após a germinação. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Mancha preta
(Pseudocercospora personata)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar de 3 a 4 aplicações em intervalos de 10 a 15 dias Sem restrições Realizar a primeira entre os 35 e 40 dias após a germinação. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Verrugose
(Sphaceloma arachidis)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar de 3 a 4 aplicações em intervalos de 10 a 15 dias Sem restrições Realizar a primeira entre os 35 e 40 dias após a germinação. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mal da sigatoka
(Mycosphaerella musicola)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 3 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente com as plantas com mais de 15 cm de altura. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
500 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente após as plantas atingirem 15 cm de altura. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Requeima
(Phytophthora infestans)
500 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente após as plantas atingirem 15 cm de altura. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Beterraba Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cercosporiose
(Cercospora beticola)
200 g p.c./100 L de água 300 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente. Em condições climáticas favoráveis à doença reduzir o intervalo de aplicação
Cacau Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Podridão parda
(Phytophthora palmivora)
4 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar de 3 a 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Iniciar as aplicações antes da incidência da doença. As aplicações do produto devem ser dirigidas à copa das árvores
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum coffeanum)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar até 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Aplicar preventivamente a partir do início das chuvas, durante o período crítico da cultura, entre fins de novembro e março. Caso as condições sejam favoráveis á doença, usar a maior dose
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
1,7 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar até 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Aplicar preventivamente a partir do início das chuvas, durante o período crítico da cultura, entre fins de novembro e março. Caso as condições sejam favoráveis á doença, usar a maior dose
Mancha aureolada
(Pseudomonas garcae)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar até 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Aplicar preventivamente a partir do início das chuvas, durante o período crítico da cultura, entre fins de novembro e março. Caso as condições sejam favoráveis á doença, usar a maior dose
Olho pardo
(Cercospora coffeicola)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar até 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Aplicar preventivamente a partir do início das chuvas, durante o período crítico da cultura, entre fins de novembro e março. Caso as condições sejam favoráveis á doença, usar a maior dose
Seca de ponteiros
(Phoma costaricensis)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar até 5 aplicações em intervalos de 30 dias Sem restrições Aplicar preventivamente a partir do início das chuvas, durante o período crítico da cultura, entre fins de novembro e março. Caso as condições sejam favoráveis á doença, usar a maior dose
Cenoura Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha das folhas
(Cercospora carotae)
250 g p.c./100 L de água 200 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações quando as plantas atingirem 15 cm. Em condições climáticas favoráveis a doença, aplicar com intervalo menor
Mancha de alternaria
(Alternaria dauci)
250 g p.c./100 L de água 200 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações quando as plantas atingirem 15 cm. Em condições climáticas favoráveis a doença, aplicar com intervalo menor
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Doença rosada
(Corticium salmonicolor)
200 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar 2 aplicações em intervalos de 28 dias Sem restrições Realizar a primeira aplicação quando 2/3 (dois terços) das pétalas estiverem caídas, e a segunda aplicação, 4 semanas após a primeira
Podridão penducular
(Diaporthe citri)
200 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar 2 aplicações em intervalos de 28 dias Sem restrições Realizar a primeira aplicação quando 2/3 (dois terços) das pétalas estiverem caídas, e a segunda aplicação, 4 semanas após a primeira
Verrugose
(Elsinöe fawcetti)
0,85 a 1,7 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar 2 aplicações em intervalos de 28 dias Sem restrições Realizar a primeira aplicação quando 2/3 (dois terços) das pétalas estiverem caídas, e a segunda aplicação, 4 semanas após a primeira
Verrugose da laranja doce
(Elsinöe australis)
0,85 a 1,7 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Realizar 2 aplicações em intervalos de 28 dias Sem restrições Realizar a primeira aplicação quando 2/3 (dois terços) das pétalas estiverem caídas, e a segunda aplicação, 4 semanas após a primeira
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Crestamento bacteriano comum
(Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli)
1 a 3 kg p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações após 25 dias de germinação. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, reduzir o intervalo de aplicação
Queima das folhas
(Phyllosticta phaseolina)
1 a 3 kg p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações após 25 dias de germinação. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, reduzir o intervalo de aplicação
Figo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem da figueira
(Cerotelium fici)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação, suspendendo uma semana antes da colheita
Mancha foliar
(Phyllosticta sycophila)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação, suspendendo uma semana antes da colheita
Podridão mole
(Rhizopus stolonifer)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação, suspendendo uma semana antes da colheita
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
250 g p.c./100 L de água 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações quando os botões se avolumarem. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar no intervalo menor
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Inserir as aplicações preventivamente, logo após o início das brotações. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar com o intervalo menor
Míldio
(Pseudoperonospora cubensis)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Inserir as aplicações preventivamente, logo após o início das brotações. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar com o intervalo menor
Pepino Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Inserir as aplicações preventivamente, logo após o início das brotações. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar com o intervalo menor
Mancha angular
(Pseudomonas syringae pv. lachrymans)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Inserir as aplicações preventivamente, logo após o início das brotações. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar com o intervalo menor
Queima
(Cladosporium cucumerinum)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Inserir as aplicações preventivamente, logo após o início das brotações. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, aplicar com o intervalo menor
Pimentão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições O tratamento deve ser iniciado na formação das mudas e continuado no campo. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Mancha-bacteriana
(Xanthomonas vesicatoria)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições O tratamento deve ser iniciado na formação das mudas e continuado no campo. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Requeima
(Phytophthora capsici)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições O tratamento deve ser iniciado na formação das mudas e continuado no campo. Em condições climáticas favoráveis à doença, aplicar com intervalo menor
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
250 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, 20 dias após o plantio definitivo. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Requeima
(Phytophthora infestans)
250 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, 20 dias após o plantio definitivo. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Elsinöe ampelina)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, úmido e chuvoso, diminuir o intervalo de aplicação
Cercospora
(Pseudocercospora vitis)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, úmido e chuvoso, diminuir o intervalo de aplicação
Míldio
(Plasmopara viticola)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, úmido e chuvoso, diminuir o intervalo de aplicação
Podridão amarga
(Greeneria uvicola)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha 50 L de calda/ha (aéreo) Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, úmido e chuvoso, diminuir o intervalo de aplicação

Sacos plásticos de 1,7; 14 e 17 Kg.
Sacos de papel multifoliado com filme plástico de 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO: Bioprogress é um fungicida-bactericida cúprico de ação de contato, devendo ser aplicado de forma preventiva e/ou no aparecimento dos primeiros sintomas das doenças que se deseja o controle.
Bioprogress é um fungicida/bactericida indicado para as culturas de abacate, aipo, amendoim, banana, batata, beterraba, cacau, café, cenoura, citros, feijão, figo, manga, melão, pimentão, pepino, tomate e uva.
MODO DE APLICAÇÃO: Aplicar de maneira uniforme, dando boa cobertura às partes aéreas das plantas. Para assegurar uma boa deposição da calda, evitar derivas.
Instruções para preparo da calda: Encha 1/2 tanque do pulverizador com água. Adicione Bioprogress lentamente ao tanque, mantendo o agitador mecânico operando e continue a encher com água.
Não fazer pré-pasta com Bioprogress. Espalhantes ou espalhantes-adesivos podem ser adicionados posteriormente. Utilizar a calda preparada no mesmo dia.
INTERVALO DE SEGURANÇA: Sem restrições.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Não há.
LIMITAÇÕES DE USO: Fitotoxicidade para as culturas indicadas: respeitadas as doses e o modo de aplicação, o produto não apresenta restrições. Evite contato com superfícies metálicas. O produto pode reagir com superfícies metálicas, como metais galvanizados.
FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS:
- Em videiras (uva) pode ocorrer leve bronzeamento nas folhas de variedades sensíveis como Niágara, porém sem danos para os frutos e à produção.
- Condições ambientais, tais como períodos prolongados de umidade, chuva ácida, etc, que podem alterar o pH da superfície da folha, podem influir no desempenho do produto, resultando em diminuição da eficácia, ou fitotoxicidade em cultivares sensíveis. Recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala, no caso de dúvida.
- Aplicações de dosagens elevadas a intervalos reduzidos podem provocar fitotoxicidade em cultivares sensíveis ao cobre.
- Descontinuar o uso quando ocorrerem sintomas de fitotoxicidade.
- Em viveiros e casa-de-vegetação sob condições especiais, recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala.
INFORMAÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: recomenda-se o uso de pulverizadores manuais, motorizados ou acoplados a tratores com bicos cônicos tipo D2 apropriados para a aplicação de Pó Molhável. A aplicação de doses recomendadas em g/100 litros de água se refere a alto volume (1000 L ou mais de calda/ha); para volumes menores de água por ha, manter a quantidade equivalente do fungicida por ha. Por via aérea 50 L/ha, tão somente por empresa especializada, sob orientação de um Engenheiro Agrônomo.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de patógenos (Ex. controle cultural, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriado.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando à perda de eficiência do produto e consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
• Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M1 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
• Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc.;
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M01 FUNGICIDA

O produto Bioprogress é composto por Hidróxido de cobre, que apresenta mecanismo de atividade de contato multi-sítio, pertencente ao grupo M01, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).

Compatibilidade

Incompatível com calda sulfocálcica e carbamatos.