Bula Bioprogress - Mitsui

Bula Bioprogress

Hidróxido de cobre
1278791
Mitsui

Composição

Hidróxido de cobre 691 g/kg
Equivalente em cobre metálico 450 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Bactericida, Fungicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não Classificado
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato

Abacate

Sphaceloma perseae (Verrugose)

Aipo

Cercospora apii (Mancha da folha)

Amendoim

Cercospora arachidicola (Mancha castanha)
Pseudocercospora personata (Mancha preta)
Sphaceloma arachidis (Verrugose)

Banana

Mycosphaerella musicola (Mal da sigatoka)

Batata

Alternaria solani (Pinta preta grande)
Phytophthora infestans (Requeima)

Beterraba

Cercospora beticola (Cercosporiose)

Cacau

Phytophthora palmivora (Podridão parda)

Café

Cercospora coffeicola (Olho pardo)
Colletotrichum coffeanum (Antracnose)
Hemileia vastatrix (Ferrugem do cafeeiro)
Phoma costaricensis (Seca de ponteiros)
Pseudomonas syringae pv. garcae (Mancha aureolada)

Cenoura

Alternaria dauci (Mancha de alternaria)
Cercospora carotae (Mancha das folhas)

Citros

Corticium salmonicolor (Doença rosada)
Diaporthe citri (Podridão penducular)
Elsinoë australis (Verrugose da laranja doce)
Elsinoë fawcetti (Verrugose)

Feijão

Phyllosticta phaseolina (Queima das folhas)
Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli (Crestamento bacteriano comum)

Figo

Cerotelium fici (Ferrugem da figueira)
Phyllosticta sycophila (Mancha foliar)
Rhizopus stolonifer (Podridão mole)

Manga

Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose)

Melão

Colletotrichum orbiculare (Antracnose)
Pseudoperonospora cubensis (Míldio)

Pepino

Cladosporium cucumerinum (Queima)
Colletotrichum orbiculare (Antracnose)
Pseudomonas syringae pv. lachrymans (Mancha angular)

Pimentão

Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose)
Phytophthora capsici (Requeima)
Xanthomonas vesicatoria (Mancha-bacteriana)

Tomate

Alternaria solani (Pinta preta grande)
Phytophthora infestans (Requeima)

Uva

Elsinoë ampelina (Antracnose)
Greeneria uvicola (Podridão amarga)
Plasmopara viticola (Míldio)
Pseudocercospora vitis (Cercospora)

Sacos plásticos de 1,7; 14 e 17 Kg.
Sacos de papel multifoliado com filme plástico de 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

Bioprogress é um fungicida-bactericida cúprico de ação de contato, devendo ser aplicado de forma preventiva e/ou no aparecimento dos primeiros sintomas das doenças que se deseja o controle. Bioprogress é um fungicida/bactericida indicado para as culturas de abacate, aipo, amendoim, banana, batata, beterraba, cacau, café, cenoura, citros, feijão, figo, manga, melão, pimentão, pepino, tomate e uva.

MODO DE APLICAÇÃO

Aplicar de maneira uniforme, dando boa cobertura às partes aéreas das plantas. Para assegurar uma boa deposição da calda, evitar derivas.
Instruções para preparo da calda: Encha 1/2 tanque do pulverizador com água. Adicione Bioprogress lentamente ao tanque, mantendo o agitador mecânico operando e continue a encher com água.
Não fazer pré-pasta com Bioprogress. Espalhantes ou espalhantes-adesivos podem ser adicionados posteriormente. Utilizar a calda preparada no mesmo dia.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Sem restrições.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não há.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade para as culturas indicadas: respeitadas as doses e o modo de aplicação, o produto não apresenta restrições. Evite contato com superfícies metálicas. O produto pode reagir com superfícies metálicas, como metais galvanizados.

FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS

- Em videiras (uva) pode ocorrer leve bronzeamento nas folhas de variedades sensíveis como Niágara, porém sem danos para os frutos e à produção.
- Condições ambientais, tais como períodos prolongados de umidade, chuva ácida, etc, que podem alterar o pH da superfície da folha, podem influir no desempenho do produto, resultando em diminuição da eficácia, ou fitotoxicidade em cultivares sensíveis. Recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala, no caso de dúvida.
- Aplicações de dosagens elevadas a intervalos reduzidos podem provocar fitotoxicidade em cultivares sensíveis ao cobre.
- Descontinuar o uso quando ocorrerem sintomas de fitotoxicidade.
- Em viveiros e casa-de-vegetação sob condições especiais, recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala.

INFORMAÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS

Recomenda-se o uso de pulverizadores manuais, motorizados ou acoplados a tratores com bicos cônicos tipo D2 apropriados para a aplicação de Pó Molhável. A aplicação de doses recomendadas em g/100 litros de água se refere a alto volume (1000 L ou mais de calda/ha); para volumes menores de água por ha, manter a quantidade equivalente do fungicida por ha. Por via aérea 50 L/ha, tão somente por empresa especializada, sob orientação de um Engenheiro Agrônomo.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de patógenos (Ex. controle cultural, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriado.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando à perda de eficiência do produto e conseqüente prejuízo. Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
• Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M1 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
• Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc.;
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M01 FUNGICIDA

O produto Bioprogress é composto por Hidróxido de cobre, que apresenta mecanismo de atividade de contato multi-sítio, pertencente ao grupo M01, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).