Bula Garant BR - Mitsui

Bula Garant BR

acessos
Hidróxido de cobre
4701
Mitsui

Composição

Equivalente em cobre metálico 450 g/kg Inorgânico
Hidróxido de cobre 691 g/kg Inorgânico

Classificação

Bactericida, Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato

Abacate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Verrugose
(Sphaceloma perseae)
250 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação no viveiro no aparecimento das folhas e, no plantio definitivo, realizar de 3 a 4 aplicações em intervalos de 10 a 15 dias Sem restrições No viveiro, aplicar no aparecimento das folhas e em condições de campo, no plantio definitivo, realizar a primeira aplicação antes da florada. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, diminuir o intervalo de aplicação
Aipo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha da folha
(Cercospora apii)
250 g p.c./100 L de água 200 a 300 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, reduzir o intervalo de aplicação
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha castanha
(Cercospora arachidicola)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Mancha preta
(Cercospora personata)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Verrugose
(Sphaceloma arachidis)
2 a 3 kg p.c./ha 300 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 10 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mal de sigatoka
(Cercospora musae)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações, quando as folhas estiverem no estádio de “vela”
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
500 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente após as plantas atingirem 15 cm de altura. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Requeima
(Phytophthora infestans)
500 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente após as plantas atingirem 15 cm de altura. Caso as condições climáticas sejam favoráveis à doença, usar o intervalo menor
Beterraba Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cercosporiose
(Cercospora beticola)
200 g p.c./100 L de água 300 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente. Em condições climáticas favoráveis à doença reduzir o intervalo de aplicação
Cacau Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Requeima
(Phytophthora infestans)
4 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar de 3 a 5 aplicações, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Efetuar as aplicações no período de março/abril
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum coffeanum)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - À campo, realizar de 3 a 5 aplicações, conforme o monitoramento da doença. Em viveiros realizar aplicações quinzenais Sem restrições Aplicar preventivamente durante o período crítico da cultura, entre novembro e abril
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
1,7 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - À campo, realizar de 3 a 5 aplicações, conforme o monitoramento da doença. Em viveiros realizar aplicações quinzenais Sem restrições Aplicar preventivamente durante o período crítico da cultura, entre novembro e abril
Mancha aureolada
(Pseudomonas garcae)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - À campo, realizar de 3 a 5 aplicações, conforme o monitoramento da doença. Em viveiros realizar aplicações quinzenais Sem restrições Aplicar preventivamente durante o período crítico da cultura, entre novembro e abril
Olho pardo
(Cercospora coffeicola)
3 a 5 kg p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - À campo, realizar de 3 a 5 aplicações, conforme o monitoramento da doença. Em viveiros realizar aplicações quinzenais Sem restrições Aplicar preventivamente durante o período crítico da cultura, entre novembro e abril
Cenoura Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha das folhas
(Cercospora carotae)
250 g p.c./100 L de água 200 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações quando as plantas atingirem 15 cm. Em condições climáticas favoráveis a doença, aplicar com intervalo menor
Mancha de alternaria
(Alternaria dauci)
250 g p.c./100 L de água 200 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 7 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações quando as plantas atingirem 15 cm. Em condições climáticas favoráveis a doença, aplicar com intervalo menor
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Doença rosada
(Corticium salmonicolor)
200 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar 2 aplicações, uma antes e outra após a florada Sem restrições Realizar a uma aplicação antes e outra após da florada
Podridão peduncular
(Phomopsis citri)
200 g p.c./100 L de água 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar 2 aplicações, uma antes e outra após a florada Sem restrições Realizar a uma aplicação antes e outra após da florada
Verrugose
(Elsinöe fawcetti)
0,85 a 1,75 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar 2 aplicações, uma antes e outra após a florada Sem restrições Realizar a uma aplicação antes e outra após da florada
Verrugose da laranja doce
(Elsinöe australis)
0,85 a 1,75 kg p.c./ha 1000 a 2000 L de calda/ha - Realizar 2 aplicações, uma antes e outra após a florada Sem restrições Realizar a uma aplicação antes e outra após da florada
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Crestamento bacteriano comum
(Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli)
1 a 3 kg p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações no aparecimento dos primeiros sintomas
Queima das folhas
(Phyllosticta phaseolina)
1 a 3 kg p.c./ha 200 a 400 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações no aparecimento dos primeiros sintomas
Figo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem da figueira
(Cerotelium fici)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação até uma semana antes da colheita
Mancha foliar
(Phyllosticta sycophila)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação até uma semana antes da colheita
Podridão dos frutos
(Rhizopus nigricans)
250 g p.c./100 L de água 800 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente logo após o início da brotação até uma semana antes da colheita
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Podridão amarga da macieira
(Glomerella cingulata)
250 g p.c./100 L de água 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Míldio
(Pseudoperonospora cubensis)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Realizar pulverização dos frutos desde o início da frutificação
Podridão amarga da macieira
(Glomerella cingulata)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Realizar pulverização dos frutos desde o início da frutificação
Pepino Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Pseudomonas syringae pv. lachrymans)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações no início das brotações
Podridão amarga da macieira
(Glomerella cingulata)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações no início das brotações
Queima
(Cladosporium cucumerinum)
200 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 10 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações no início das brotações
Pimentão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Mancha-bacteriana
(Xanthomonas vesicatoria)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Requeima
(Phytophthora capsici)
250 g p.c./100 L de água 500 a 800 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
250 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Requeima
(Phytophthora infestans)
250 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 7 a 14 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as pulverizações no aparecimento dos primeiros sintomas
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Elsinöe ampelina)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm
Mancha das folhas
(Isariopsis clavispora)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm
Míldio
(Plasmopara viticola)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm
Podridão amarga
(Melanconium fuligineum)
200 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Aplicar em intervalos de 5 a 15 dias, conforme o monitoramento da doença Sem restrições Iniciar as aplicações preventivamente, quando as brotações tiverem cerca de 5 a 7 cm

Sacos de polietileno multifolhado com e sem revestimento aluminizado de 1; 1,5; 1,7; 2; 5; 8; 10; 14; 15, 20 e 25 kg. Barricas de papelão 8, 10, 14, 15, 20 e 25 kg. 20 pacotes de 1 kg em sacos de polietileno ou de papel multifolhado com e sem revestimento aluminizado em barricas de papelão de 20 kg. 10 pacotes de 1,4 kg em sacos de polietileno ou de papel multifolhado com e sem revestimento aluminizado em barricas de papelão de 14 kg. 10 pacotes de 1,5 kg em sacos de polietileno ou de papel multifolhado com e sem revestimento aluminizado em barricas de papelão de 15 kg. 10 pacotes de 1,7 kg em sacos de polietileno ou de papel multifolhado com e sem revestimento aluminizado em barricas de papelão de 17 kg. Sacos hidrossolúveis (20) de 1 kg em barricas de papelão de 20 kg. Sacos hidrossolúveis (10) de 1,7 kg em barricas de papelão de 17 kg. Sacos hidrossolúveis (10) de 2,5 kg em barricas de papelão de 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO:
Garant BR é um fungicida-bactericida cúprico de ação de contato, do grupo químico inorgânico, que contém 691 g/kg do Ingrediente Ativo Hidróxido de Cobre, na formulação Pó Molhável.
Garant BR é um fungicida/bactericida indicado para as culturas de abacate, aipo, amendoim, banana, batata, beterraba, cacau, café, cenoura, citros, feijão, figo, manga, melão, pimentão, pepino, tomate e uva.
MÉTODOS DE APLICAÇÃO:
Equipamentos, Modo de aplicação e Preparo da Calda:
Equipamentos: Aplicar via terrestre, usando pulverizador tratorizado ou pulverizadores costais, dotados de bicos de jato cônico tipo D2 (apropriados para aplicação de formulações tipo Pó Molhável), seguindo especificações dos fabricantes quanto à pressão e tamanho de gotas. Calibrar os equipamentos, adequando-se à cultura e à vazão requerida. Os equipamentos de aplicação, reservatórios, etc., deverão ser lavados com água limpa após cada dia de operação, evitando-se corrosões às partes metálicas como ferro, ferro galvanizado e alumínio.
MODO DE APLICAÇÃO:
Aplicar de maneira uniforme, dando boa cobertura às partes aéreas das plantas. Para assegurar uma boa deposição da calda, evitar derivas. Instruções para preparo da calda: Encha 1/2 tanque do pulverizador com água. Adicione Garant BR lentamente ao tanque, mantendo o agitador mecânico operando e continue a encher com água. Não fazer pré-pasta com Garant BR. Espalhantes ou espalhantes-adesivos podem ser adicionados posteriormente. Utilizar a calda preparada no mesmo dia.
Limpeza do equipamento de aplicação:
Antes da aplicação, limpe o equipamento e verifique que está bem conservado. Imediatamente após a aplicação, proceda a uma completa limpeza de todo o equipamento para reduzir o risco da formação de depósitos sólidos que podem se tornar difíceis de serem removidos. A não lavagem ou mesmo a lavagem inadequada do pulverizador pode resultar em danos às culturas posteriores.
1. Esvazie o equipamento de pulverização. Enxágue completamente o pulverizador e faça circular água limpa pelas mangueiras, barras e bicos. Solte e remova os depósitos visíveis de produtos.
2. Complete o pulverizador com água limpa e adicione amônia caseira (AJAX, AMONÍACO ou SIMILAR com 3% de AMÔNIA) na proporção de 1% (1L para 100L de água). Circule esta solução pelas mangueiras, barras e bicos. Desligue a barra e encha o tanque com água limpa. Circule pelo sistema de pulverização por 15 minutos. Circule então pelas mangueiras, barra e bicos. Esvazie o tanque.
3. Remova e limpe bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza.
4. Repita o passo 2.
5. Enxágue completamente o pulverizador, mangueiras, barra e bicos com água limpa diversas vezes. Limpe tudo que estiver associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento de tanque. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fontes de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação local.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Sem restrições.
INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Aguardar o completo secamento do produto nas folhas das plantas tratadas.
LIMITAÇÕES DE USO:
Use de acordo com as recomendações da bula/rótulo e observe as precauções necessárias. Somente usar as doses recomendadas. Evite contato com superfícies metálicas. O produto pode reagir com superfícies metálicas, como metais galvanizados.
FITOTOXICIDADE PARA AS CULTURAS INDICADAS:
- Em videiras (variedade Niagara e Reg Globe) pode ocorrer leve bronzeamento nas folhas, porém sem danos para os frutos e à produção.
- Condições ambientais, tais como períodos prolongados de umidade, chuva ácida, etc, que podem alterar o pH da superfície da folha, podem influir no desempenho do produto, resultando em diminuição da eficácia, ou fitotoxicidade em cultivares sensíveis. Recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala, no caso de dúvida.
- Aplicações de dosagens elevadas a intervalos reduzidos podem provocar fitotoxicidade em cultivares sensíveis ao cobre. Descontinuar o uso quando ocorrerem sintomas de fitotoxicidade.
- Em viveiros e casa-de-vegetação sob condições especiais, recomenda-se realizar teste prévio em pequena escala.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Além dos métodos recomendados para o manejo de resistência a fungicidas, incluir outros métodos de controle de patógenos (Ex. controle cultural, biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriado.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando à perda de eficiência do produto e consequente prejuízo. Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
• Alternância de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M1 para o controle do mesmo alvo, sempre que possível;
• Adotar outras práticas de redução da população de patógenos, seguindo as boas práticas agrícolas, tais como rotação de culturas, controles culturais, cultivares com gene de resistência quando disponíveis, etc.;
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
• Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO M01 FUNGICIDA

O produto Garant BR é composto por Hidróxido de cobre, que apresenta mecanismo de atividade de contato multi-sítio, pertencente ao grupo M01, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).

Compatibilidade

Incompatível com ziram, dicloran e carbamatos.