Bula Abamex Maxx

CI
Abamectina
5221
CropChem

Composição

Abamectina 72 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Acaricida, Inseticida, Nematicida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Alabama argillacea (Curuquerê)
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)
Tetranychus ludeni (Ácaro vermelho)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)

Café

Calda Terrestre Dosagem
Leucoptera coffeella (Bicho mineiro)
Oligonychus ilicis (Ácaro vermelho)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Phyllocnistis citrella (Minadora da folhas)
Phyllocoptruta oleivora (Ácaro da falsa ferrugem)
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)

Crisântemo

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)

Maçã

Calda Terrestre Dosagem
Panonychus ulmi (Ácaro da macieira )

Melancia

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Morango

Calda Terrestre Dosagem
Steneotarsonemus pallidus (Ácaro do enfezamento)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Pepino

Calda Terrestre Dosagem
Liriomyza huidobrensis (Larva minadora)

Pimentão

Calda Terrestre Dosagem
Polyphagotarsonemus latus (Ácaro branco)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Rosa

Calda Terrestre Dosagem
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Helicoverpa armigera (Helicoverpa)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Aculops lycopersici (Ácaro do brozeamento)
Tetranychus urticae (Ácaro rajado)
Tuta absoluta (Traça do tomateiro)

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 20; 25; 50; 100; 110; 125; 200 L

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 0,25; 0,5; 1,0; 5,0; 10 L

Tipo: Tambor
Material: Metálico/Plástico
Capacidade: 50; 100; 110; 125; 200; 500; 1000 L.

INSTRUÇÕES DE USO

Culturas indicadas

O produto é indicado como acaricida e inseticida nas culturas do algodão, batata, café, citros, crisântemo, feijão, maçã, melancia, morango, pepino, pimentão, roseira, soja e tomate.

MODO DE APLICAÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO APLICAÇÃO TERRESTRE

O produto é um líquido prontamente emulsionável em água. É aplicado através de pulverizadores costais ou tratorizados de barra equipados com bicos de jato em cone da Serie X ou D como por exemplo JA-2, TXV 4 Coneejet, D2 ou similares. Os bicos regulados à pressão 80 a 200 lb/pol², deverão proporcionar gotas de 110 a 250 micras de diâmetro com densidade mínima de 40 gotas/cm². Evitar aplicação na presença de ventos fortes (acima de 10 Km/hora), nas horas mais quentes do dia (temperatura acima de 27ºC) e umidade relativa do ar abaixo de 50%. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

PEPINO E TOMATE PARA CONTROLE DE NEMATÓIDES

Fazer uma aplicação na bandeja antes do transplantio em forma de rega, seguida de quatro aplicações em esguicho, na superfície do solo ao redor das plantas, de modo a cobrir a zona do sistema radicular. Aplicação em bandeja (antes do transplante): utilizar volume de calda de 0,5 L/m², suficiente para dar uma boa cobertura, sem escorrimento. Irrigar levemente com água, logo após a aplicação do produto. Aplicação via esguicho (pós-transplante): utilizar pulverizador costal e fazer aplicação na superfície do solo, ao redor das plantas, de modo a cobrir a zona do sistema radicular. Utilizar volume de calda de 50 a 100 mL/planta; irrigar logo após a aplicação do produto ou aplicar em solo úmido.

APLICAÇÃO AÉREA

Recomendada para as culturas Algodão, Batata, Café, Citros, Feijão, Maçã, Melancia e Tomate. Uso de barra ou atomizador rotativo “micronair”.
Volume de aplicação: 20 a 40L/ha.
Tamanho de gota: 100 a 300 micrômetros.
Densidade mínima de gotas: 20 a 30 gotas/cm².
Pressão de trabalho: 35 a 50 lb/pol².
Largura da faixa de deposição efetiva: 18 a 20 m.
Altura de voo: 2 a 3 metros do topo da cultura.

No caso de aeronave equipada com barra, usar bicos (pontas) cônicos D6 a D12, com disco (core), ajustado no ângulo inferior a 45 graus. Observações locais deverão ser feitas visando reduzir ao máximo as perdas por deriva e volatilização. Sobre outros equipamentos, providenciar uma boa cobertura de pulverização nas plantas.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Aplicação foliar

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Fitotoxicidade para as culturas indicadas

O produto deve ser utilizado apenas nas doses recomendadas. A calda deve der aplicada no mesmo dia da preparação. Não deixar a calda de um dia para o outro. Mantenha a calda em agitação no tanque de pulverização. Não use surfactantes/adjuvantes com o produto em flores e plantas ornamentais.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS

Os EPI’s visam proteger a saúde dos trabalhadores e reduzir o risco de intoxicação decorrente de exposição aos agrotóxicos. Para cada atividade envolvendo o uso de agrotóxicos é recomendado o uso de EPI’s específicos descritos nas orientações para preparação da calda, durante a aplicação, após a aplicação, no descarte de embalagens e no atendimento aos primeiros socorros.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

- Rotacionar as aplicações com produtos efetivos para a praga alvo com mecanismos de ação distintos do Grupo 6;
- Aplicações sucessivas podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da pragaalvo;
- Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do produto ou outros produtos do Grupo 6 quando for necessário;
- Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações e modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).

GRUPO 6 INSETICIDA

O inseticida pertence ao grupo 6 (moduladores alostéricos de canais de cloro mediados pelo glutamato) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas. Para manter a eficácia e longevidade do produto como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as estratégias de MIP que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.