Bula Bac-Control Max WP - Vectorcontrol

Bula Bac-Control Max WP

CI
Bacillus thuringiensis, subsp. kurstaki CCT 1306
1917
Vectorcontrol

Composição

Bacillus thuringiensis var. kurstaki cepa CCT 1306 64 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida microbiológico
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Ingestão

Abóbora

Calda Terrestre Dosagem
Diaphania hyalinata (Broca das cucurbitáceas)
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos)

Alfafa

Calda Terrestre Dosagem
Colias lesbia pyrrhothea (Lagarta da alfafa)
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Alabama argillacea (Curuquerê)
Helicoverpa armigera (Helicoverpa)
Heliothis virescens (Lagarta da maçã)

Amendoim

Calda Terrestre Dosagem
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja)
Mocis latipes (Curuquerê dos capinzais)

Arroz

Calda Terrestre Dosagem
Mocis latipes (Curuquerê dos capinzais)
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Brócolis

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)
Plutella xylostella (Traças das crucíferas)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Café

Calda Terrestre Dosagem
Eacles imperialis magnifica (Lagarta dos cafezais)

Cana-de-açúcar

Calda Terrestre Dosagem
Mocis latipes (Curuquerê dos capinzais)
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Ecdytolopha aurantiana (Bicho furão)

Coco

Calda Terrestre Dosagem
Brassolis sophorae (Lagarta das palmeiras)

Couve

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)
Plutella xylostella (Traças das crucíferas)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Couve-flor

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)
Plutella xylostella (Traças das crucíferas)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Eucalipto

Calda Terrestre Dosagem
Thyrinteina arnobia (Lagarta dos eucalipotos)

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja)

Fumo

Calda Terrestre Dosagem
Heliothis virescens (Lagarta da maçã)
Manduca sexta paphus (Mandarová do fumo)

Mandioca

Calda Terrestre Dosagem
Erinnyis ello (Mandarová)

Melancia

Calda Terrestre Dosagem
Diaphania hyalinata (Broca das cucurbitáceas)
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos)

Melão

Calda Terrestre Dosagem
Diaphania hyalinata (Broca das cucurbitáceas)
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos)

Milho

Calda Terrestre Dosagem
Helicoverpa armigera (Helicoverpa)
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Pastagens

Calda Terrestre Dosagem
Mocis latipes (Curuquerê dos capinzais)
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho)

Pepino

Calda Terrestre Dosagem
Diaphania hyalinata (Broca das cucurbitáceas)
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos)

Repolho

Calda Terrestre Dosagem
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve)
Plutella xylostella (Traças das crucíferas)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja)
Helicoverpa armigera (Helicoverpa)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Helicoverpa zea (Lagarta da espiga do milho)
Trichoplusia ni (Trichoplusia)

Saco - papel aluminizado: 50 g; 500 g e 1 kg; 5 kg e 10 kg
Saco - plástico multifolhado: 50 g; 500 g e 1 kg; 5 kg e 10 kg
Caixa (secundário) - papel cartão e papel ondulado: 50 g; 500 g e 1 kg; 5 kg e 10 kg

INSTRUÇÕES DE USO

BAC CONTROL MAX WP é um inseticida microbiológico, indicado para aplicação foliar para o controle das pragas descritas no quadro abaixo. Produto com eficiência agronômica comprovada para as culturas: abóbora, alfafa, algodão, amendoim, arroz, brócolis, café, cana-de-açúcar, citros, coco, couve, couve-flor, eucalipto, fumo, mandioca, melão, melancia, pastagens, pepino, repolho, soja e tomate, podendo ser utilizado em qualquer cultura com ocorrência dos alvos biológicos.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO/ MODO DE APLICAÇÃO

Efetuar o tratamento sempre no início do aparecimento das pragas, e repetir sempre que necessário. Em caso de chuva após o tratamento, repetir a aplicação.
O BAC CONTROL MAX WP deve ser aplicado através de pulverização, fazendo uma pré mistura antes de colocar o produto no pulverizador. Pulverizar uniformemente procurando atingir toda a planta.
O BAC CONTROL MAX WP deve ser reaplicado com intervalos de 7 a 10 dias repetindo-se em caso de chuva. Usar sempre um espalhante adesivo, seguindo as recomendações do fabricante.

Aplicação terrestre
Recomenda-se o uso de pulverizadores manuais, motorizados ou acoplados a tratores, com bicos cônicos tipo D8 e D9 ou leque XR.

Aplicação aérea
Cultura do eucalipto: Utilizar aeronaves agrícolas equipadas com barras de bicos cônicos ou “micronair”. Devese adequar o equipamento para trabalhar com um volume de calde de 10 – 40 L/ha e um tamanho de gotas de 100 a 200 micra. A aplicação deverá ser feita de forma a cobrir a área de maneira uniforme, sendo a altura de voo de 2 a 4 metros. Respeitar as condições de velocidade do vento inferior a 8 km/h e evitar temperaturas altas e umidade relativa maior que 70%, visando reduzir ao máximo as perdas por deriva e evaporação.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não determinado em função da não necessidade de estipular o limite máximo de resíduo (LMR) para este ingrediente ativo. 1.6.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar na área antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO

Não aplicar o BAC CONTROL MAX WP nas horas de sol muito forte, dê preferência para fazer as aplicações ao entardecer. Não aplicar o BAC CONTROL MAX WP em dias de chuva forte ou com prenúncio das mesmas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitóides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos com mecanismo de ação distinto.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. O uso repetido do BAC CONTROL MAX WP ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do BAC CONTROL MAX WP como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência: Adotar as práticas de manejo a inseticidas, tais como:
• Rotacionar produtos com mecanismo de ação distinto. Sempre rotacionar com produtos de mecanismo de ação efetivos para a praga alvo.
• Aplicações sucessivas de BAC CONTROL MAX WP podem ser feitas desde que o período residual total do “intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração da praga-alvo.
• Seguir as recomendações de bula quanto ao número máximo de aplicações permitidas.
• Respeitar o intervalo de aplicação para a reutilização do BAC CONTROL MAX WP ou outros produtos quando for necessário;
• Sempre que possível, realizar as aplicações direcionadas às fases mais suscetíveis das pragas a serem controladas;
• Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
• Utilizar as recomendações e da modalidade de aplicação de acordo com a bula do produto;
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas; Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).

Produto potencialmente irritante para os olhos.