Bula Cultifix - Basf

Bula Cultifix

CI
Imazapir
4216
Basf

Composição

Imazetapir 480 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
Não Classificado
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Seletivo condicional, Sistêmico

Bombona (plástico): 5 e 20 L

Filme (plástico): 1; 5 e 20 L

Frasco (plástico): 0,5 e 1 L

Saco (plástico): 1; 5 e 20 L

INSTRUÇÕES DE USO

Cultifix® é um herbicida sistêmico, desenvolvido para uso em produção de soja geneticamente modificada tolerante a imidazolinonas.
Cultifix® possui amplo espectro de controle das principais plantas daninhas infestantes da cultura da soja.
Cultifix® apresenta flexibilidade quanto à época de aplicação, podendo ser utilizado desde a pós-emergência inicial até a pós-emergência normal das plantas infestantes da soja.
Cultifix® foi desenvolvido para uso exclusivo no Sistema de Produção de soja geneticamente modificada tolerante às imidazolinonas - Soja CV; somente os cultivares de soja do Sistema de Produção Cultivance® têm tolerância ao herbicida. Esses cultivares foram desenvolvidos a partir de cruzamentos com o Evento de Transformação 127 e, são altamente tolerantes ao herbicida Cultifix®.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Aplicação única. Cultifix® pode ser aplicado na cultura de soja tolerante ao CULTIFIX desde a pósemergência inicial até a pós-emergência normal das plantas infestantes da soja.

MODO DE APLICAÇÃO

Informações sobre os equipamentos de aplicação a serem usados:
• Aplicação Terrestre: Utilizar equipamento de pulverização tratorizado ou costal manual, com volume de calda de 100 a 200 litros por hectare, produzindo pulverizações com gotas de categoria média a grossa, procurando obter boa cobertura do alvo a ser atingido e evitando deriva para culturas sensíveis:
Utilizar bicos XR TeeJet (em boas condições ambientais) ou os bicos de baixa deriva DG TeeJet, Turbo TeeJet (em condições ambientais mais críticas). Também podem ser utilizados bicos ADI Jacto e LD Jacto, AD Magnum e BD Magnum e ALBUZ (em boas condições ambientais) e ADGA Magnum, BJ Jacto (em condições ambientais mais críticas).
• Aplicação Aérea: Aplicar volume de calda de 40-50 litros/ha, bicos D-10 ou D-12 com core 45, altura de vôo de 4 a 5 metros do alvo a ser atingido, faixa de aplicação de 12 a 15 metros e ângulo do bico de 90º em relação à direção de voo.
Evite derivas para as culturas vizinhas, principalmente para soja não tolerante ao CULTIFIX. Aplique apenas em condições ambientais favoráveis. Evite sobreposição de faixas de pulverização durante a aplicação. A boa prática agrícola recomenda a aplicação sem vento ou com velocidade do vento menor do que 10 km/h.
• Recomenda-se uma faixa de segurança de 100 metros entre a área aplicada com avião e a área cultivada com soja convencional.
Obs.: Com outros equipamentos assegurar uma boa cobertura de pulverização. A critério do Engenheiro Agrônomo ou do Técnico responsável as condições poderão ser alteradas.

Adicionar adjuvante DASH a 0,25% v/v.

FATORES IMPORTANTES PARA O SUCESSO DO SISTEMA DE PRODUÇÃO DE SOJA TOLERANTE AO HERBICIDA CULTIFIX
Aplique Cultifix® somente nos cultivares de soja tolerantes ao herbicida.
1. Aplicação em pós-emergência na dose recomendada adicione o adjuvante DASH 0,25% v/v na calda de pulverização.
2. Faça a aplicação dentro do período ideal do estágio de desenvolvimento e mato competição das plantas daninhas na cultura da Soja
3. Evite aplicações nas horas mais quentes do dia e com baixa umidade relativa do ar ou com ventos acima de 10 km/hora.
4. Limpe completamente o equipamento de aplicação (tanque, barra e os bicos) antes de utilizá-los com outros produtos ou em outros campos de soja não CV ou outros cultivos.
5. Limpe a semeadora antes de utilizá-las com soja CV. Retire todo o resto de sementes de soja não CV (tolerante as imidazolinonas).
Preparação da Calda Para Pulverização:
Coloque água limpa no tanque do pulverizador até 3/4 de sua capacidade. Com o agitador (retorno) acionado, adicione a quantidade recomendada de Cultifix®, adicione o adjuvante usado somente no caso da aplicação em pós-emergência e complete o volume do tanque com água.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Soja: 60 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Recomenda-se aguardar 24 horas para reentrada na lavoura ou após a secagem completa da calda. Caso haja necessidade de entrar na área tratada antes da secagem total da calda aplicada, utilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) indicados para uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Seletividade: Cultifix® é um herbicida seletivo para uso exclusivo no sistema de produção Soja - Cultivance, recomendado especificamente para este herbicida.
1. PRECAUÇÃO: utilizar somente sementes identificadas com o Sistema de Produção Soja Cultivance recomendadas para o herbicida Cultifix®.
2. Cultifix® não é seletivo para outros cultivares não - Cultivance.
3. Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas ao Cultifix®, não plantar Soja Cultivance mais de 2 safras seguidas. Recomenda-se a rotação com a Soja Convencional. Dessa forma evita-se o controle continuado das plantas daninhas com o mesmo grupo químico e as mesmas práticas, dentro de um programa de manejo de resistência de plantas daninhas com herbicidas de diferentes modos de ação e diferentes práticas de manejo.
4. Rotação de culturas após a safra de Soja Cultivance: somente as culturas de inverno e verão abaixo relacionadas poderão ser feitas em sucessão ou rotação com a Soja Cultivance.
Culturas de inverno e/ou sucessão: Trigo, ervilha, azevém, cevada, aveia, milho safrinha, feijão, amendoim, cana-de-açúcar e cultivares tolerantes a imidazolinonas do Sistema Clearfield como o milho CL e Arroz CL.
Culturas de verão (rotação): Soja Cultivance, Soja convencional, milho, algodão, feijão, amendoim, arroz, sorgo, cana-de-açucar e cultivares tolerantes a imidazolinonas do Sistema Clearfield como o milho CL e Arroz CL.
5. Durante a aplicação do produto evite a deriva para as culturas adjacentes e/ou limítrofes à área a ser tratada.
6. Para maiores esclarecimentos consulte representante da BASF S.A.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

A rotação de culturas pode permitir também rotação nos métodos de controle das plantas infestantes que ocorrem na área, Além do uso de herbicidas, outros métodos são utilizados dentro de um manejo integrado de plantas infestantes, sendo eles o controle manual, o controle mecânico, através de roçadas ou cultivadores, a rotação de culturas e a dessecação da área antes do plantio os mais utilizados e eficazes.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo B para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
• Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA:www.agricultura.gov.br).

GRUPO B HERBICIDA

O produto herbicida Cultifix® é composto por imazapir, que apresenta mecanismo de ação dos inibidores da ALS (Acetolactato sintase) (ou acetohidroxidoácido sintase AHAS), pertencente ao Grupo B, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas)