Cercosporiose (Cercospora sesami)
CI

Cercosporiose

Mancha branca foliar (Cercospora sesami)

Culturas Afetadas: Gergelim

 

SinônimoMycosphaerella sesami

A cercosporiose tem sido a principal doença do gergelim no Brasil, ocorrendo em quase todas as áreas de plantio, incidindo com maior intensidade nas regiões onde a umidade relativa do ar é mais alta. Doença muito severa em condições de chuva durante o cultivo pode ocasionar sérios prejuízos, reduzindo a produção entre 5 e 20

%. 

Sintomas

Pequenas manchas circulares aparecem dispersas em ambas as superfícies foliares. Iniciam como diminutas manchas que aumentam de tamanho, alcançando 5 mm de diâmetro, exibindo centro cinza-claro envolto por uma margem púrpura ou negra. As manchas podem ser encontradas em folhas, pecíolos, ramos e cápsulas. Podem aumentar de tamanho rapidamente e coalescer, formando manchas irregulares, freqüentemente com 4 cm de diâmetro, sendo zonadas concentricamente. No centro das manchas, pode-se observar a esporulação do fungo, sendo os conídios mais abundantes na face superior das folhas.

Nas cápsulas, as lesões são mais ou menos circulares, com centro cinza-claro e bordo marrom-brilhante, um pouco sobressalente. O tamanho das mesmas varia de 0,5 a 4,0 mm (2,1 mm em média). Nos talos, ramos e pecíolos, as manchas são largas, elípticas, podendo formar cancros com áreas necrosadas e deprimidas. Normalmente, a doença não é observada no estádio inicial da cultura (0-15 dias após a semeadura). Em condições de umidade elevada, a doença torna-se severa, ocasionando desfolha prematura.

Frequentemente, o fungo pode ser encontrado nas sementes tanto externa como internamente. Quando as sementes germinam, os cotilédones apresentam pequenas manchas negras. Em casos severos, os cotilédones podem secar, causando a morte da plântula.

Cercospora sesami pode sobreviver em sementes infectadas e também em resíduos vegetais no solo. Embora o fungo seja transmitido por sementes, o armazenamento destas reduz a viabilidade do mesmo.

Controle: Entre as medidas de controle, destacam-se o emprego de sementes sadias e a queima dos resíduos vegetais. O uso de variedades resistentes é recomendado. O tratamento das sementes com água quente na temperatura de 53ºC por 30 minutos pode propiciar um controle adequado. O tratamento de sementes é recomendado. 

Recomenda-se o uso de produtos defensivos registrados para a cultura.

 

Fotos



Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.