Bula BequeBR - Ouro Fino

Bula BequeBR

acessos
Fipronil
23518
Ouro Fino

Composição

Fipronil 250 g/L Fenilpirazol

Classificação

Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada para Tratamento de Sementes (FS)
Contato, Ingestão

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca do algodoeiro
(Eutinobothrus brasiliensis)
250 a 300 mL p.c./100 kg de sementes 500 a 600 L de calda/ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Tripes
(Frankliniella schultzei)
250 a 300 mL p.c./100 kg de sementes 500 a 600 L de calda/ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Tamanduá da soja
(Sternechus subsignatus)
200 mL p.c./100 kg de sementes 600 L de calda/100 Kg de sementes - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
200 mL p.c./100 kg de sementes 600 L de calda/100 Kg de sementes - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
40 a 80 mL p.c./ha 80 a 200 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Pastagens Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cupim
(Cornitermes cumulans)
20 a 40 mL p.c./ha 200 a 400 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Saúva parda
(Atta capiguara)
20 a 40 mL p.c./ha 200 a 400 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
bicho bola
(Porcellio laevis)
80 mL p.c./100 kg de sementes 240 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Broca do colo
(Elasmopalpus lignosellus)
200 mL p.c./100 kg de sementes 600 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
100 mL p.c./100 kg de sementes 300 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Tamanduá da soja
(Sternechus subsignatus)
200 mL p.c./100 kg de sementes 600 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Torrãozinho
(Aracanthus mourei)
100 mL p.c./100 kg de sementes 300 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
200 mL p.c./100 kg de sementes 600 mL de calda / ha - Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura. Não determinado. Deve ser usado uma única vez no tratamento de sementes antes da semeadura

MODO / EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:

Aplicar o produto homogeneamente sobre as sementes na dose recomendada, utilizando equipamentos específicos que propiciem uma distribuição uniforme da dose desejada sobre as sementes.

Manutenção:
Os mecanismos dosadores e pulverizadores destes equipamentos devem ser revisados e limpos diariamente ou a cada parada do equipamento. Resíduos de calda podem reduzir a capacidade das canecas ou copos dosadores ou afetar a regulagem de bicos e ou mecanismos de aplicação de calda sobre as sementes.

Operação de tratamento de sementes:

Com equipamentos de tratamento de bateladas ou lotes, tambores rotativos, betoneiras e/ou similares:
Passo 1 Colocar um peso de sementes conhecido.
Passo 2 Adicionar o volume de calda desejada para este peso de sementes.
Passo 3 Proceder à agitação/operação do equipamento de forma a obter uma distribuição uniforme de calda sobre as sementes durante o tempo necessário.
Com equipamentos de tratamento com fluxo contínuo de sementes:
Passo 1 Aferir o fluxo de sementes (peso) em um determinado período de tempo;
Passo 2 Regular o volume de calda desejada para esse peso de sementes no mesmo período de tempo.

Importante:
Aferir, periodicamente, o fluxo de sementes e calda a fim de evitar erros na aplicação.
Não tratar sementes diretamente sobre lonas, sacos ou mesmo nas caixas de sementes que provoquem uma distribuição incompleta ou desuniforme do produto sobre as sementes pode resultar em níveis indesejáveis ou falhas no controle de pragas.

ALGODÃO:
Distribuir o produto de forma homogênea sobre as sementes nas doses recomendadas.
Se necessário poderá ser feita à diluição na proporção de 1:1 (1 litro do produto em 1 litro de água).
Se diluído, utilizar 500 a 600 mL da calda inseticida para 100 kg de sementes de algodão para se obter a quantidade de produto conforme recomendação.

FEIJÃO:
Distribuir o produto de forma homogênea sobre as sementes na dose recomendada.
Se necessário poderá ser feita a diluição do produto na proporção de 1:2 (1 litro do produto em 2 litros de água). Se diluído, utilizar 600 mL da calda inseticida para 100 kg de sementes de feijão para se obter a quantidade de produto conforme recomendação.

MILHO:
Distribuir o produto de forma homogênea sobre as sementes nas doses recomendadas.
Se necessário poderá ser feita a diluição na proporção de 1:1 (1 litro do produto em 1 litro de água).
Se diluído, utilizar 80 a 200 mL da calda inseticida e distribuir homogeneamente sobre a quantidade de sementes suficiente para 1 (um) hectare de área semeada para se obter a quantidade de produto conforme recomendação.

PASTAGEM:
Distribuir o produto de forma homogênea sobre as sementes nas doses recomendadas.
Se necessário poderá ser feita a diluição do produto na proporção de 1:9 (1 litro do produto em 9 litros de água). Se diluído, utilizar 200 a 400 mL da calda inseticida e distribuir homogeneamente sobre a quantidade de sementes suficiente para 1 (um) hectare de área semeada para se obter a quantidade de produto conforme recomendação.

SOJA:
Distribuir o produto de forma homogênea sobre as sementes nas doses recomendadas.
Se necessário poderá ser feita a diluição do produto na proporção de 1:2 (1 litro do produto em 2 litros de água). Se diluído, utilizar os volumes de calda a seguir:
Utilizar 600 mL da calda inseticida quando a dose recomendada for de 200 mL do produto/100 Kg de
sementes para se obter as quantidades de produto conforme recomendação (controle do tamanduá-da-soja, vaquinha- verde-amarela e lagarta-elasmo).
Utilizar 300 mL da calda inseticida quando a dose recomendada for de 100 mL do produto/ 100 Kg de sementes para se obter as quantidades de produto conforme recomendação (controle de coró e torrãozinho).
Utilizar 240 mL da calda inseticida quando a dose recomendada for de 80 mL/ 100 kg de sementes para se obter as quantidades de produto conforme recomendação (controle de piolho-de-cobra)

INTERVALO DE SEGURANÇA
Não determinado devido à modalidade de emprego.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não há necessidade de observância de intervalo de reentrada, desde que as pessoas estejam calçadas ao entrarem na área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO:
Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.
Não efetuar o tratamento das sementes diretamente na caixa da semeadora em função da cobertura desuniforme e baixa aderência.
BEQUEBR é compatível, em aplicação sequencial, com fungicidas usualmente utilizados para tratamento
de sementes.
Não é recomendada a mistura de BEQUEBR com produtos de reação fortemente alcalina (hormônios, fertilizantes, estimuladores de crescimento) como qualquer outro agrotóxico.
BEQUEBR nas doses registradas e da forma que é recomendado se mostrou bastante seletivo contra a maioria dos insetos benéficos das plantas cultivadas.
Para tratamento de sementes de feijão e soja, utilizar no máximo 600 mL de calda inseticida para 100 kg de sementes, em função do risco de absorção do excesso de umidade pelo tegumento, alterando a qualidade das sementes quanto à germinação e vigor.
Efetuar a regulagem das semeadoras com as sementes tratadas, pois poderá haver alteração na fluidez das sementes.
Não é recomendado efetuar o tratamento de sementes com uso de ferramentas manuais ou com o uso de lonas plásticas.
A utilização de meios de tratamento de sementes que provoquem uma distribuição incompleta ou desuniforme do produto sobre as sementes pode resultar em níveis indesejados ou falhas no controle de pragas.
Não utilizar as sementes tratadas para consumo humano ou animal. As sementes tratadas não devem ficar expostas ao sol.
As embalagens utilizadas para acondicionar as sementes tratadas devem ser consideradas flexíveis e contaminadas, devendo seguir as orientações descritas em DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS FLEXÍVEIS.

AVISO AO USUÁRIO:

BEQUEBR deve somente ser utilizado de acordo com as recomendações dessa bula/rótulo.
A OURO FINO QUÍMICA LTDA. não se responsabilizará por danos ou perdas resultantes do uso deste produto de modo não recomendado especificamente na bula/rótulo. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo. O usuário assume todos os riscos associados ao uso não recomendado.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
Os EPI’s visam proteger a saúde dos trabalhadores e reduzir o risco de intoxicação decorrente de exposição aos agrotóxicos. Para cada atividade envolvendo o uso de agrotóxicos é recomendado o uso de EPI’s específicos descritos nas orientações para preparação da calda, durante a aplicação, após a aplicação, no descarte de embalagens e no atendimento aos primeiros socorros.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide Modo de Aplicação.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO, TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

Precauções quanto a Saúde Humana

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

Precauções quanto ao Meio Ambiente

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:

Incluir outrosmétodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico,etc..) dentro do programade Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

RECOMENDAÇÕES PARAO MANEJO DE RESITÊNCIA:

GRUPO 2B INSETICIDA

A resistência de pragasa agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problemaeconômico, ou seja, fracassos no controle da praga podemser observados devido à resistência.
O inseticidaBEQUEBRpertence ao grupo 2B (Bloqueadoresde canais de cloro mediados pelo GABA-Fenilpirazole o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o riscode desenvolvimento de populações resistentes em algumasculturas.
Para manter a eficácia e longevidade doBEQUEBRcomo uma ferramenta útil de manejo de pragasagrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
Adotar as práticas de manejoa inseticidas, taiscomo:
•Rotacionarprodutoscommecanismo de ação distinto do Grupo 2.Sempre rotacionarcomprodutos de mecanismo de ação efetivos para a pragaalvo.
•UsarBEQUEBRou outro produto do mesmo grupo químicosomente dentro de um “intervalo de aplicação” (janelas) de cerca de 30dias.
•Aplicaçõessucessivas de BEQUEBRpodemserfeitasdesde que o período residualtotaldo“intervalo de aplicações” não exceda o período de uma geração dapraga-alvo.
•Seguirasrecomendaçõesde bula quanto ao número máximo de aplicaçõespermitidas.No caso específicodoBEQUEBRoperíodototaldeexposição(númerodedias)ainseticidasdogrupo químico dos(Fenilpirazois)não deve exceder 50% do ciclo da culturaou 50% do número total de aplicações recomendadas na bula.
•Respeitaro intervalo de aplicação para a reutilização do BEQUEBRou outrosprodutosdoGrupo2 quando for necessário;
•Sempre que possível, realizar as aplicaçõesdirecionadas às fasesmais suscetíveis daspragasa serem controladas;
•Adotaroutrastáticasde controle,previstasno Manejo Integradode Pragas(MIP)comorotação de culturas,controlebiológico,controleporcomportamentoetc.,semprequedisponíveleapropriado;
•Utilizar as recomendaçõese da modalidade de aplicação deacordo coma bula doproduto;
•Sempre consultarumEngenheiro Agrônomo para odirecionamento dasprincipaisestratégias regionais paraomanejoderesistênciaeparaaorientaçãotécnicanaaplicaçãodeinseticidas;
•Informaçõessobre possíveiscasosde resistência eminsetose ácarosdevemserencaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).