Bula Malathion Prentiss

CI
Malationa
3288392
Prentiss Química

Composição

Malationa 500 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão

Algodão

Dosagem Calda Terrestre
Alabama argillacea (Curuquerê) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Anthonomus grandis (Bicudo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Dysdercus ruficollis (Percevejo manchador) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Frankliniella schultzei (Tripes) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Horcias nobilellus (Percevejo rajado) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Brócolis

Dosagem Calda Terrestre
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Brevicoryne brassicae (Pulgão da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Citros

Dosagem Calda Terrestre
Anastrepha grandis (Mosca das frutas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ceratitis capitata (Mosca do mediterrâneo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Chrysomphalus ficus (Cochonilha cabeça de prego) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Coccus viridis (Cochonilha verde) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Icerya purchasi (Cochonilha australiana) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Lepidosaphes beckii (Cochonilha escama vírgula) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Couve

Dosagem Calda Terrestre
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Brevicoryne brassicae (Pulgão da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Couve-flor

Dosagem Calda Terrestre
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Brevicoryne brassicae (Pulgão da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Feijão

Dosagem Calda Terrestre
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Aphis rumicis (Pulgão preto do feijão) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Empoasca kraemeri (Cigarrinha verde) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Thrips tabaci (Tripes do fumo) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Maçã

Dosagem Calda Terrestre
Anastrepha grandis (Mosca das frutas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ceratitis capitata (Mosca do mediterrâneo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Eriosoma lanigerum (Pulgão lanígero das rosáceas) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pepino

Dosagem Calda Terrestre
Anastrepha grandis (Mosca das frutas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diaphania nitidalis (Broca dos frutos) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pêssego

Dosagem Calda Terrestre
Anastrepha grandis (Mosca das frutas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ceratitis capitata (Mosca do mediterrâneo) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Repolho

Dosagem Calda Terrestre
Ascia monuste orseis (Lagarta da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Brevicoryne brassicae (Pulgão da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tomate

Dosagem Calda Terrestre
Corythaica cyathicollis (Percevejo rendado) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Helicoverpa zea (Lagarta da espiga do milho) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Myzus persicae (Pulgão verde) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Neoleucinodes elegantalis (Broca pequena do tomateiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phthia picta (Percevejo do tomate) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Trigo

Dosagem Calda Terrestre
Mocis latipes (Curuquerê dos capinzais) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudaletia sequax (Lagarta do trigo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Spodoptera frugiperda (Lagarta do cartucho) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Frasco de plástico de 100 ml, 250 ml, 500 ml, 1 litro e 20 litros.

INSTRUÇÕES DE USO

MALATHION PRENTISS é um inseticida de contato e ingestão utilizado para controle de pragas conforme recomendações da bula.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

Iniciar os tratamentos imediatamente após constatar a presença das pragas e tratar até a sua eliminação total com intervalos variáveis de acordo com a intensidade dos ataques, condições climáticas e resistência dos insetos, observando que para:
Bicudo: Na cultura do algodão, efetuar a aplicação no início da infestação, repetindo-se até 3 aplicações com intervalo médio de 7 dias.
Pulgão: Nas culturas de algodão, couve, couve-flor, brócolis, repolho, pepino, feijão e tomate, iniciar o tratamento no início da infestação, antes da praga provocar “engruvinhamento” das folhas. Efetuar 2 a 3 aplicações com intervalos de 15 dias.
Tripes: Nas culturas de algodão e feijão geralmente o ataque se inicia quando as plantas apresentam 2-4 folhas. Efetuar 2 aplicações com intervalos de 5-6 folhas.
Percevejos: Nas culturas de algodão, couve, couve-flor, brócolis, repolho e tomate, iniciar o tratamento quando em 100 batidas de rede ou em 100 botões examinados forem encontrados 5 ou mais percevejos. Efetuar em média 3 aplicações com intervalos de 7 a 10 dias.
Curuquerê: Na cultura de algodão, couve, couve-flor, brócolis e repolho efetuar iniciar o tratamento quando do aparecimento das primeiras lagartas ou mesmo dos primeiros ovos. Efetuar 1 aplicação, repetindo, se necessário, com intervalo de 7 dias.
Mosca das Frutas: Nas culturas de citros, maçã e pêssego, visando identificar o início do ataque, preparar "iscas" utilizando pequenas garrafas (boca estreita) contendo mistura de melaço com o produto. Iniciar o tratamento quando da maior incidência de moscas fêmeas repetindo, se necessário, semanalmente.

MODO DE APLICAÇÃO

Aplicações aéreas e terrestres com equipamentos tratorizados de barra ou pulverizadores costais.
Aplicação aérea:
Volume de calda: 15 a 20 litros/ha
Altura de voo: 3 a 5 metros
Largura de faixa de deposição: 15 metros
Tamanho da gota: DMY 80 - 125 micra.
Densidade da gota: 60 - 80 gotas/cm².
Tipos de Bicos: Micronair.
Pressão do trabalho: 15 - 30 libras.
Condições climáticas: Observações locais deverão ser efetuadas visando evitar a deriva e evaporação do produto. Não pulverizar quando a temperatura estiver acima de 27-28ºC. Evitar as aplicações nas horas mais quentes e na presença de ventos fortes. Umidade relativa do ar: em torno de 60%. Velocidade do vento: no máximo 10 km/hora.

Aplicação terrestre:
Equipamentos tratorizados de barra: Utilizar os bicos série X e D (tipo cônico – media X4), aplicando-se 100 a 200 litros/ha, com pressão entre 150 e 500 libras (4-8 km/h), observando que esteja ocorrendo uma boa cobertura.
Pulverizadores costais:
Seguir as instruções do fabricante, usando bicos adequados para uma cobertura boa e uniforme nas plantas, consultando sempre um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão, brócolis, citros, couve, couve-flor, maçã, pêssego, repolho e trigo: 7 dias;
Feijão, pepino e tomate: 3 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Até 24 horas após a aplicação do produto, deve-se utilizar macacão hidrorepelente, luvas e botas para reentrar na área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO

- Uso exclusivamente agrícola.
- Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo.
- O produto deve ser utilizado somente nas culturas para as quais está registrado, respeitando o intervalo de segurança para cada cultura.
- Fitotoxicidade: Desde que sejam seguidas as recomendações de uso, o produto não causa fitotoxicidade nas culturas registradas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as dosagens recomendadas na bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

GRUPO 1B INSETICIDA

O inseticida MALATHION PRENTISS pertence ao Grupo 1B (inibidores da acetilcolinesterase – Organofosforados) e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações resistentes em algumas culturas.

Produto inflamável (INFLAMÁVEL 1B).




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.