Bula Faith SP - AllierBrasil

Bula Faith SP

acessos
Acefato
18918
AllierBrasil

Composição

Acefato 750 g/kg Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro rajado
(Tetranychus urticae)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Curuquerê
(Alabama argillacea)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
1 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca spp)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Lagarta do pescoço vermelho
(Stegasta bosquella)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes do bronzeamento
(Enneothrips flavens)
0,4 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 750 a 1500 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 400 a 600 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
0,75 a 1 kg p.c./ha 750 a 1500 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
50 g p.c./100 L de água 2000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Cochonilha
(Orthezia praelonga)
50 g p.c./100 L de água 2000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Cochonilha pardinha
(Selenaspidus articulatus)
75 g p.c./100 L de água 2000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Parlatoria
(Parlatoria pergandii)
75 g p.c./100 L de água 2000 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 21 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
0,5 a 1 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das axilas
(Epinotia aporema)
0,75 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Lagarta da soja
(Rachiplusia nu)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
0,2 a 0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Lagarta enroladeira das folhas
(Hedylepta indicata)
0,6 a 1 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Percevejo marrom
(Euschistus heros)
0,75 a 1 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Percevejo verde
(Nezara viridula)
0,5 a 0,75 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Percevejo verde pequeno da soja
(Piezodorus guildinii)
0,8 a 1 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella rodeos)
0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tripes do feijoeiro
(Caliothrips phaseoli)
0,5 kg p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações com intervalo de 10 dias. 14 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Tomate industrial Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mosca branca
(Bemisia tabaci)
1 kg p.c./ha 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 35 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Pulgão das solanáceas
(Macrosiphum euphorbiae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 35 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico
Pulgão verde
(Myzus persicae)
0,4 a 0,6 kg p.c./ha 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo três aplicações com intervalo de 10 dias. 35 dias. Iniciar o tratamento, quando as pragas atingirem o nível de dano econômico

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

INFORMAÇÃO SOBRE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:

Incluir outros métodos de controle de pragas (EX. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

RECOMENDAÇÕES PARA O MANEJO DE RESISTÊNCIA:

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;