Bula Granary - Albaugh

Bula Granary

CI
Imidacloprido
3414
Albaugh

Composição

Imidacloprido 700 g/kg

Classificação

Terrestre
Inseticida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Sistêmico

Alface

Calda Terrestre Dosagem
Bemisia tabaci raça B (Mosca branca)
Dactynotus sonchi (Pulgão da alface)

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro)
Frankliniella schultzei (Tripes)

Batata

Calda Terrestre Dosagem
Myzus persicae (Pulgão verde)
Thrips palmi (Tripes)

Café

Dosagem
Chiromyza vittata (Mosca das raízes)
Leucoptera coffeella (Bicho mineiro)
Quesada gigas (Cigarra)

Cana-de-açúcar

Calda Terrestre Dosagem
Heterotermes tenuis (Cupim)
Migdolus fryanus (Broca da cana)
Thrips tabaci (Tripes do fumo)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Chrysomphalus ficus (Cochonilha cabeça de prego)
Coccus viridis (Cochonilha verde)
Oncometopia facialis (Cigarrinha)
Orthezia praelonga (Cochonilha)
Phyllocnistis citrella (Minadora da folhas)
Pinnaspis aspidistrae (Cochonilha escama farinha)
Selenaspidus articulatus (Cochonilha pardinha)
Toxoptera citricida (Pulgão preto dos citros)

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela)
Empoasca kraemeri (Cigarrinha verde)

Fumo

Calda Terrestre Dosagem
Faustinus cubae (Broca do fumo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Myzus persicae (Pulgão verde) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Melancia

Calda Terrestre Dosagem
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro)
Bemisia tabaci raça B (Mosca branca)
Thrips palmi (Tripes)

Melão

Calda Terrestre Dosagem
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro)
Bemisia tabaci raça B (Mosca branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Thrips palmi (Tripes)

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Bemisia tabaci (Mosca branca)
Bemisia tabaci raça B (Mosca branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Myzus persicae (Pulgão verde)
Thrips palmi (Tripes) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tipo: Balde/Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 5; 10 e 20 kg.

Tipo: Big-bag
Material: Plástico estruturado
Capacidade: 100; 200; 1.000; 5.000; 10.000 e 25.000 kg.

Tipo: Container
Material: Metálico
Capacidade: 1.000; 5.000; 10.000 e 25.000 kg.

Tipo: Frasco/Pote
Material: Plástico/Metal
Capacidade: 0,1; 0,5 e 1 kg.

Tipo: Saco
Material: Hidrossolúvel
Capacidade: 0,250 kg.

Tipo: Saco
Material: Aluminizado; Plástico ou Papel revestido com polietileno
Capacidade: 0,1; 0,5; 1; 5; 10 e 20 kg.

Tipo: Tambor
Material: Metálico/Plástico
Capacidade: 20; 100 e 200 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

GRANARY é um inseticida com modo de ação sistêmico do grupo químico neonicotinóide, usado em aplicação de solo e foliar para controle de pragas, nas culturas de alface, algodão, batata, café, cana-de-açúcar, citros, feijão, fumo, melancia, melão e tomate, conforme bula.
OBS: o volume de calda indicado poderá ser alterado considerando as especificações técnicas do equipamento de aplicação ou a critério do Engenheiro Agrônomo responsáveis pela recomendação.

MODO DE APLICAÇÃO

GRANARY é indicado para aplicações terrestres, nas dosagens recomendadas, diluído em água, de acordo com as diferentes modalidades de aplicação recomendadas abaixo:

APLICAÇÃO TERRESTRE EM ÁREA TOTAL:
- Para as culturas de algodão, batata e feijão empregam-se pulverizadores de barra com bicos cônicos;
- Em citros, para as aplicações foliares, recomenda-se o emprego de turbo atomizadores, e uso de óleo mineral ou vegetal a calda de pulverização.

APLICAÇÃO TERRESTRE LOCALIZADA (JATO DIRIGIDO):
- Em café a aplicação deverá ser dirigida para o solo, utilizando-se pulverizadores de barra adaptado para alta vazão, sendo realizada no local de maior concentração de raízes e nas proximidades do tronco;
- Em cana-de-açúcar, a aplicação deverá ser realizada através de pulverização em jato dirigido sobre os toletes dentro do sulco de plantio, utilizando o bico de jato leque de deposição uniforme ou similar;
- Em fumo, para as aplicações em campo, após o transplante de mudas, o produto diluído em água deverá ser aplicado na modalidade de esguicho dirigindo-se o jato do pulverizador para a base da planta de forma que o produto atinja o caule e escorra até o solo.

APLICAÇÃO SOBRE BANDEJAS DE MUDAS:
- Para as culturas de alface, melão e tomate o produto também pode ser aplicado diretamente sobre as bandejas de mudas com o auxílio de um pulverizador costal manual dotado de bico de jato plano (leque). Logo após a aplicação recomenda-se nova pulverização com água no mesmo volume indicado para que seja feito o arraste do produto das folhas e ramos para o substrato, facilitando a absorção radicular.

APLICAÇÃO JUNTO A IRRIGAÇÃO POR GOTEJO:
- Para as culturas de melão e tomate, o produto pode ser aplicado diluído na água de irrigação, respeitando-se a dose de produto recomendada por hectare.

Recomendação Geral:
GRANARY deve ser aplicado com temperatura inferior a 27°C, com umidade relativa acima de 60% e ventos de no máximo 10 Km/h.
Na preparação da calda, diluir o produto na dose recomendada em quantidade de água suficiente para uma boa cobertura da área a ser tratada.

INTERVALO DE SEGURANÇA (período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita)

Alface: 14 dias;
Algodão: 30 dias;
Batata, citros e feijão: 21 dias;
Tomate: 07 dias;
Cana-de-açúcar: Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego;
Fumo: Uso não alimentar;
Melão, melancia: 40 dias;
Café: 45 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das pragas, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, inseticidas, manejo da irrigação e outros visam o melhor equilíbrio do sistema.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. As seguintes estratégias podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência.
O inseticida GRANARY é composto por imidacloprido, que apresenta mecanismo de ação - moduladores competitivos de receptores nicotínicos da acetilcolina, pertence ao grupo 4A e o uso repetido deste inseticida ou de outro produto do mesmo grupo pode aumentar o risco de desenvolvimento de populações de insetos resistentes em algumas culturas.
Para manter a eficácia e longevidade do GRANARY como uma ferramenta útil de manejo de pragas agrícolas, é necessário seguir as seguintes estratégias que podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência. Adotar as práticas de manejo de resistência de pragas a inseticidas, tais como:
- Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos do grupo 4A para o controle do mesmo alvo, quando apropriado;
- Adotar outras táticas de controle, previstas no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www.agricultura.gov.br).

As embalagens tipo "Saco" podem conter saquinhos hidrossolúveis de 250 g.