Bula Inside FS - Sumitomo

Bula Inside FS

acessos
Clotianidina
12812
Sumitomo

Composição

Clotianidina 600 g/L Neonicotinóide

Classificação

Inseticida
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada para Tratamento de Sementes (FS)
Sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
350 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Tripes
(Frankliniella schultzei)
450 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha verde
(Empoasca kraemeri)
175 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Mosca branca
(Bemisia tabaci raça B)
250 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Pulgão
(Aphis craccivora)
250 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Tripes
(Thrips palmi)
250 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
250 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realiar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Vaquinha verde amarela
(Diabrotica speciosa)
175 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cigarrinha do milho
(Dalbulus maidis)
400 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
100 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Percevejo barriga verde
(Dichelops furcatus)
350 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Percevejo barriga verde
(Dichelops melacanthus)
350 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Pulgão
(Rhopalosiphum maidis)
400 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Tripes
(Frankliniella williamsi)
350 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Coró da soja
(Phyllophaga cuyabana)
100 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes
Torrãozinho
(Aracanthus mourei)
100 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de água/100 Kg de sementes - Realizar uma aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Uso exclusivo para tratamento de sementes

INSTRUÇÕES DE USO:

INSIDE FS é um inseticida sistêmico do grupo dos neonicotinóides específico para tratamento de sementes.

CULTURAS, PRAGAS E DOSES:
Vide "Indicações de Uso/Doses".

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Uso exclusivo para o tratamento de sementes, sendo recomendada uma única aplicação. MODO DE

APLICAÇÃO/ EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO:
O tratamento de sementes pode ser efetuado em tambores rotativos ou em máquinas especificas até que haja uma perfeita distribuição da calda inseticida sobre as sementes.
O tratamento é feito via úmida, diluindo-se a dose recomendada do inseticida em um volume que não exceda 500 mL de água por 100 Kg de sementes. No caso particular dos tambores rotativos, proceder a
mistura durante 3 minutos, para que ocorra uma perfeita uniformização do inseticida sobre a superficie das sementes.
Máquinas de tratamento de sementes: verificar o rendimento do equipamento e colocar a calda pronta no reservatório, calibrar a máquina e efetuar o tratamento.
Após o tratamento deixar as sementes secarem à sombra e proceder a semeadura.
As sementes tratadas deverão ser semeadas em solo úmido que garanta germinação e emergência uniforme.
Obedecer às recomendações oficiais de profundidade de semeadura
OBS: Em caso de dúvidas consulte um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA: ALGODÃO: (1)
FEIJÃO: (1) MILHO: (1) SOJA: (1)
(1) Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana ANVISA/MS)

LIMITAÇÕES DE USO:
O tratamento deverá ser efetuado em local arejado e específico para esse fim Utilizar somente sementes limpas (livres de poeira e impurezas) e de boa qualidade (alto poder germinativo e bom vigor).
Sementes tratadas não podem ser utilizadas para alimentação humana ou animal. Não deixar sementes tratadas expostas sobre o solo.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
VIDE DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA, conforme Avaliação Toxicológica da ANVISA, para cada Processo

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS: Vide Modo de Aplicação
DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TRÍPLICE LAVAGEM DA EMBALAGEM OU TECNOLOGIA EQUIVALENTE:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO, DESTINAÇÃO,
TRANSPORTE, RECICLAGEM, REUTILIZAÇÃO E INUTILIZAÇÃO DAS EMBALAGENS VAZIAS.
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

INFORMAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA A DEVOLUÇÃO E DESTINAÇÃO DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DO MEIO AMBIENTE.

DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS:
-Produto para uso exclusivamente agrícola
-Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados. Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
-Não desentupa bicos, orificios e válvulas com a boca.
-Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
-Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos
Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila. Manuseie o produto em local aberto e ventilado

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
- Evite o máximo possível o contato com a área tratada.
-Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
Verifique a direção do vento e aplique de forma a evitar o contato com o produto, dependendo do equipamento de aplicação.
-Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança (intervalo de tempo entre a última aplicação e a colheita).
Utilize equipamento de proteção individual — EP1: macacão de algodão hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EP1), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de proteção individual (EP1s) recomendados dev ser retirados na seguinte ordem:
touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
- Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.

Troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas da família. Ao lavar as roupas
utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.
Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
Não reutilizar a embalagem vazia.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão
hidrorepelente com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem,
rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a
água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deve proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

- INTOXICAÇÕES POR INSIDE FS - INFORMAÇÕES MÉDICAS
Grupo químico:CLOTIANIDINA - Neonicotinóide
Classe toxicológica: A ser determinada pela ANVISA/MS
Vias de exposição: Oral inalatória, ocular e dérmica.
Toxicocinética: Estudos realizados em animais de laboratório mostram que cerca de 90% do produto administrado foi rapidamente absorvido e distribuído por todos os tecidos e órgãos do organismo, sendo que em sua grande maioria (89,1 à 94,56%) foi excretado via retal. A absorção inicia-se imediatamente após a administração e até 72 horas o produto é quase que completamente excretado. O maior índice do produto (entre 0,09 e 0,327%) foi encontrado no fígado e nos rins. Em todos os outros órgãos estudados o nível sempre apresentou abaixo de 0,005%. As concentrações mais altas foram encontradas nos órgãos de excreção (urina, rins, figado e mucosas nasais) o que indica uma eliminação do produto imediatamente após a administração. O metabolismo ocorre através da desmetilação oxidativa do TI 435 para o TZNG, e quebra da ligação carbono nitrogênio entre a posição thiazol methyl e parte do nitroamino. Cerca de 10 a 18% dos metabólitos detectados originam-se da quebra da molécula. Não foi encontrado nenhum índice de acumulação em nenhum órgão/tecido
estudado.
Mecanismos de toxicidade: Não são conhecidos os mecanismos de toxicidade da Clotianidina em seres humanos e nem em animais de laboratório. Não há a produção de metabólitos tóxicos conhecidos. Animais expostos em diferentes concentrações apresentaram tremores temporários, respiração alterada e redução dos reflexos.
Sintomas e sinais clínicos: Os animais que receberam doses letais ou próximas apresentaram tremores temporários, atividade reduzida, olhos semi-abertos, respiração alterada e poucos reflexos. Os sintomas permaneceram até o 5 dia de tratamento.
Diagnóstico: Noções de exposição ao produto e anomalias das funções hepáticas e renais. Conjuntivas congestionadas. Vômitos em caso de ingestão.
Tratamento: Descontaminação a ser realizada por profissional protegido por avental impermeável, botas de borracha e luvas de nitrila. Pele: lavar abundantemente com água corrente e sabão neutro. Olho: lavar por, pelo menos, 15 minutos com soro fisiológico, mantendo as pálpebras abertas e evitando a contaminação do outro olho (posição lateral da cabeça). Ingestão: se o produto foi ingerido até 1 hora antes da chegada ao hopital, praticar lavagem gástrica com a proteção das vias respiratórias; aporte de carvão ativado. Inalação: verificar necessidade de oxigenação.
Tratamento sintomático e de manutenção das funções vitais.
Não há antídoto especifico recomendado.
Contra-indicações: Controlar a função he 1 ática e renal, hemograma e ionograma.
Efeitos sinérgicos: Não há a ocorrência de efeitos sinérgicos e/ou potencializadores relacionados aos diferentes inertes.
ATENÇÃO
Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica RENACIAT - ANVISA/MS
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN / MS)
Telefone de Emergência da empresa: 0800-141-149

Mecanismo de Ação, Absorção e Excreção para Animais de Laboratório:
Estudos realizados em animais de laboratório mostram que cerca de 90% do produto administrado foi rapidamente absorvido e distribuído por todos os tecidos e órgãos do organismo, sendo que em sua grande maioria (89,1 à 94,56%) foi excretado via retal. A absorção inicia-se imediatamente após a administração e até 72 horas o produto é quase que completamente excretado. O maior índice do produto (entre 0,09 e 0,327%) foi encontrado no fígado e nos rins. Em todos os outros órgãos estudados o nível sempre apresentou abaixo de 0,005%. As concentrações mais altas foram encontradas nos órgãos de excreção (urina, rins, fígado e mucosas nasais) o que indica uma eliminação do produto imediatamente após a administração.

Efeitos Agudos e Crônicos para Animais de Laboratório com o produto PLEO 500 EC:
Efeitos agudos:

DL 50 oral, ratos Superior a 500 mg/Kg
DL 50 dermal, coelhos Superior a 4.000 mg/Kg
CL 50 inalatória, ratos Superior a 2.628 mg/m3 ar/4 h
Irritação primária da pele, coelhos Produto pouco irritante para pele de coelho.
Irritação primária dos olhos, coelhos Produto pouco irritante para olhos de coelhos.
Sensibilização cutânea Produto não sensibilizante

Efeitos crônicos:
Em estudos toxicológicos de longa duração, nos quais os animais são observados durante toda ou boa
parte de suas vidas, exposta a Clotianidina, em diferentes concentrações, alguns ratos submetidos a uma dieta por um período de 2 anos apresentaram redução do consumo alimentar e de peso corpóreo, hemorragia no estomago e aumento dos cálculos renais na maior dose. Houve um aumento de hiperplasia
intersticial nos ovários nas três maiores doses. Em um estudo com camundongos por um período de 18 meses, foi observada a diminuição do peso do fígado na maior dose e diminuição do peso dos rins nas 3
maiores doses. Outros estudos foram realizados com o ingrediente ativo Clotianidina e não foram
observados efeitos mutagênicos, teratogênicos, entre outros.

1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE

Este produto é:
- (X) PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III).
Este produto é ALTAMENTE MÓVEL, apresentando alto potencial de deslocamento no solo, podendo atingir, principalmente, águas subterrâneas.
Este produto é ALTAMENTE TOXICO para minhocas.
Evite a contaminação ambiental — Preserve a Natureza.
Não utilize equipamentos com vazamentos.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas.
Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação ambiental.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona a contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇAO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
-A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustivel.
O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

3. INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES
-Isole e sinalize a área contaminada.
Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL REPRESENTAÇÕES LTDA. — Telefone de Emergência: 0800-111767.
-Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão de impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores).
-Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
•Piso pavimentado — absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com o auxílio
de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não
deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o registrante, através do telefone indicado no
rótulo para sua devolução final;

•Solo — retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse
material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
•Corpos d'água — interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as
medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

4. PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E
DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGEM RIGIDA NÃO LAVÁVEL
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA - ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado
em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Essa embalagem deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens lavadas.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com
tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo e ainda estiver dentro de sue
prazo de validade, sertã facultada a devolução da embalagem em até 6 (seis) meses após o termino do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

EMBALAGEM FLEXÍVEL
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA - ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado
em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio desta embalagem.
Esta embalagem deve ser armazenada separadamente das lavadas, em saco plástico
transparente (Embalagem Padronizada — modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é vazia, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente dentro de sue prazo de validade, sertã facultada a devolução da o termino do prazo de validade.
obrigatória a devolução da embalagem produto ou no local indicado na nota
utilizado nesse prazo e ainda estiver embalagem em até 6 (seis) meses após

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas,
medicamentos, rações, animais e pessoas. Devem ser transportadas em sacos plásticos transparentes (Embalagem Padronizada - modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição

EMBALAGEM SECUNDARIA (CAIXA DE TRANSPORTE - NÃO CONTAMINADA)
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA

- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

- TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas,
medicamentos, rações, animais e pessoas.

EMBALAGEM TIPO SACARIA
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER REUTILIZADAS PARA OUTROS FINS.
- AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER LAVADAS.

ARMAZENAMENTO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
O armazenamento das embalagens — SACARIAS- vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio das SACARIAS.
As embalagens — SACARIAS - vazias devem ser armazenada separadamente, em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas — modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.

- DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGENS — SACARIAS - VAZIAS
Devem ser devolvidas em conjunto com a embalagem do agrotóxico INSIDE FS ou no local onde foram adquiridas as sementes tratadas.
Terceiros que efetuarem o manuseio do agrotóxico INSIDE FS, devem descrever nas sacarias que as sementes foram tratadas com o agrotóxico e informar que as mesmas devem ser devolvidas no local em que foram tratadas ou adquiridas.

Para TODOS os tipos de embalagens:

- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.

- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa
contaminação do solo, da água e do ar prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas. -

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tomar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fomos destinados para esse tipo de
operação, equipados com câmara de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.
Para desativação do produto, contate a empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL REPRESENTAÇÕES LTDA.e o Órgão Estadual do Meio Ambiente.

5. TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS.
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

RECOMENDAÇÕES PARA O MANEJO DE RESISTÊNCIA A INSETICIDAS:
Qualquer agente de controle de inseto pode se tomar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência.
O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticida - IRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a acaricida, visando prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga
- Usar somente as doses recomendadas na bula e no rótulo.
- Consultar sempre um engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência aos Inseticidas.
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado