Bula Kantor 1000 EC

CI
Malationa
2521
CropChem

Composição

Malationa 1000 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Inseticida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Inseticida

Algodão

Dosagem Calda Terrestre
Alabama argillacea (Curuquerê) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Anthonomus grandis (Bicudo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Aphis gossypii (Pulgão do algodoeiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Citros

Dosagem Calda Terrestre
Aethalion reticulatum (Cigarrinha do pedúnculo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ceratitis capitata (Mosca do mediterrâneo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diaphorina citri (Psilideo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ecdytolopha aurantiana (Bicho furão) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Heliothrips haemorrhoidalis (Tripes) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Maçã

Dosagem Calda Terrestre
Eriosoma lanigerum (Pulgão lanígero das rosáceas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Quadraspidiotus perniciosus (Piolho de São José) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sternocolaspis quatuordecimcostata (Besouro de limeira) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pêssego

Dosagem Calda Terrestre
Anastrepha obliqua (Mosca das frutas) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Anuraphis schwartzi (Pulgão da falsa crespeira) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ceratitis capitata (Mosca do mediterrâneo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Grapholita molesta (Mariposa oriental) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Repolho

Dosagem Calda Terrestre
Brevicoryne brassicae (Pulgão da couve) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Soja

Dosagem Calda Terrestre
Anticarsia gemmatalis (Lagarta da soja) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euschistus heros (Percevejo marrom) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tomate

Dosagem Calda Terrestre
Diabrotica speciosa (Vaquinha verde amarela) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Myzus persicae (Pulgão verde) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Neoleucinodes elegantalis (Broca pequena do tomateiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tipo: Frasco
Material: Plástico
Capacidade: 5 L

Tipo: Bombona
Material: Plástico
Capacidade: 20 L

INSTRUÇÕES DE USO

KANTOR 1000 EC é um inseticida organofosforado, com ação de contato e ingestão, apresentado sob a forma de concentrado emulsionável.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

ALGODÃO

Curuquerê

1. Aplicar quando encontrar em média 1 (uma) lagarta por planta quando a cultura não tiver "maçãs" abertas.
2. Aplicar quando encontrar em média 2 (duas) lagartas por planta e a cultura já possuir "maçãs" abertas.

Bicudo

Iniciar as aplicações quando encontrar 5% das estruturas de frutificação danificadas, fazendo baterias de três aplicações com intervalo de 7 dias entre aplicações.

Pulgão das inflorescências

Aplicar quando forem observados pulgões vivos ou ao se observarem folhas encarquilhadas pela ação do inseto no monitoramento. Manter o monitoramento e reaplicar caso necessário. Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

CITROS

Cigarrinha do pedúnculo e Tripes

Efetuar uma aplicação no início da infestação das pragas. Repetir a aplicação em caso de reinfestação.

Bicho-furão

Fazer a aplicação quando cerca de 2% dos frutos do talhão estiverem atacados. Repetir caso for necessário. Utilizar o volume máximo de calda por 2000 L/ha.

Mosca das frutas

As aplicações devem ser iniciadas durante a fase de inchamento do fruto, quando se constatar a presença da mosca através do monitoramento.

Psilídio

Aplicar quando for constatada a presença da praga (adultos e/ou ninfas). Utilizar volume de calda de 2000 L/ha. Caso seja necessário, fazer mais uma aplicação, respeitando-se o intervalo de segurança. Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

MAÇÃ

Pulgão lanígero

Aplicar quando for constatada a praga. Se necessário, alternar as aplicações com inseticidas de outros modos de ação.

Piolho de São José e Besouro de Limeira

Pulverizar no início do aparecimento das pragas. Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

PÊSSEGO

Mosca das frutas

Iniciar as aplicações durante a fase de inchamento do fruto, quando se constatar a presença da mosca através do monitoramento.

Pulgão da falsa crespeira

Pulverizar no início do aparecimento da praga.

Mariposa oriental

A aplicação deve ser feita no início da infestação da praga. Como o inseto tem preferência de atacar os ponteiros novos e os frutos do pessegueiro, a pulverização deve ser focada nessas regiões. Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

REPOLHO

Pulgão da couve

Iniciar as aplicações assim que for constatada a presença da praga. Reaplicar em caso de reinfestação. Em caso de pressão elevada e condições favoráveis para disseminação do inseto, intercalar as aplicações com inseticidas de diferentes mecanismos de ação.

Vaquinha verde-amarela

Aplicar no início da infestação, reaplicando caso necessário. Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

SOJA

Lagarta da soja

Aplicar quando se detectar desfolha de cerca de 30% no período vegetativo da cultura, e/ou desfolha de 15% no período reprodutivo, ou presença de 20 a 30 lagartas grandes (>1.5 cm) por pano de batida.

Percevejo marrom

Aplicar quando se detectar de 2 a 4 percevejos por pano de batida (ninfas grandes e adultos); Sob nível populacional maior ou no caso de reinfestação, realizar aplicação em bateria ou então intercalando com produto de diferente mecanismo de ação. Realizar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

TOMATE

Vaquinha verde-amarela

Aplicar quando for constado dano nas folhas e tiver presença da praga. Reaplicar em caso de reinfestação.

Pulgão verde

Aplicar quando forem observadas formas aladas, ou na presença de colônias nas folhas. Reaplicar em caso de reinfestação, intercalando com produtos de diferentes mecanismo de ação.

Broca pequena do fruto

Pulverizar quando os frutos estiverem pequenos. Garantir boa cobertura do produto, principalmente no local da postura (sépalas) Efetuar no máximo 3 aplicações por ciclo da cultura.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

Utilizar equipamento manual ou motorizado terrestre e pulverização aérea.

PULVERIZAÇÃO TERRESTRE

Utilizar pulverizador costal (manual ou motorizado) ou pulverizador tratorizado, munido de barra com bicos tipo leque ou cônicos recomendados para inseticidas de contato, ou outros tipos de equipamentos.
Regular o equipamento de acordo com as indicações do fabricante dos bicos, visando obter uma cobertura uniforme de toda a parte aérea das plantas.
Diâmetro de gotas: ajustar para cada volume de aplicação (litros de calda/ha) para proporcionar a adequada densidade de gotas sob condições climáticas adequadas.
Manter em funcionamento, durante toda a aplicação, o sistema de agitação do produto no interior do tanque. Nas culturas de citros, maçã e pêssego utilizar turbo atomizador, equipado com os bicos apropriados.
Também é possível empregar pistolas modelo FIX, com pressão de trabalho em torno de 300 libras/pol2 e vazão de 1.5 a 2.2 litros/min.

PULVERIZAÇÃO AÉREA

Para todas as culturas indicadas utilizar aeronaves equipadas com barra e bicos tipo cônico com pontas de D6 a D12 disco (core) inferior a 45º ou atomizador rotativo Micronair;
Volume de aplicação: 20 a 40 litros/ha;
Altura de voo: com barra de 4 a 5 m do alvo desejado;
Largura da faixa de deposição efetiva: 15m;
Tamanho/densidade de gotas: 100 - 120 micra com mínimo de 40 gotas/cm²;
Manter em funcionamento, durante toda a aplicação, o sistema de agitação do produto no interior do tanque.

Condições climáticas: efetuar observações locais visando evitar deriva e evaporação do produto. Evitar aplicar nas horas mais quentes e na presença de ventos fortes.
Umidade relativa do ar: em torno de 60%;
Velocidade do vento: no máximo 10 km/hora;
Providenciar sempre cobertura uniforme de pulverização das plantas.

NTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

Não há restrições de uso além de seguir criteriosamente as recomendações de uso do produto.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo Comitê de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.