Bula Regalia Maxx

acessos
lauril éter sulfato de sódio
13514
Prophyto

Composição

Extrato de Reynoutria achalinensis 224 g/L Antraquinona
lauril éter sulfato de sódio 224 g/L diversos
Physcion 5.88 g/L Antraquinona
Propilenoglicol 44.8 g/L Álcool

Classificação

Fungicida Bioquímico
I - Extremamente tóxica
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Fungicida Bioquímico
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
1 a 2 L p.c./ha 500 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações com intervalos de 7 dias. Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Deve ser aplicado preventivamente ao aparecimento das doenças para proteger o tecido foliar em crescimento
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
1 a 2 L p.c./ha 400 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações com intervalos de 7 dias. Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Deve ser aplicado preventivamente ao aparecimento das doenças para proteger o tecido foliar em crescimento
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
1 a 2 L p.c./ha 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações com intervalos de 7 dias. Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Deve ser aplicado preventivamente ao aparecimento das doenças para proteger o tecido foliar em crescimento

Garrafa ou galão plástico de 100; 250; 300; 500 e 600 ml e de 1; 1,5; 2; 3; 5 e 10 L;
Frasco plástico - polietileno de alta densidade de 0,5; 1; 2 e 3 L;
Bombona plástica - polietileno de alta densidade de 3; 4; 5; 10; 20; 50 e 100 L;
Container plástico ou metálico de 500 e 1.000 L;
Metal - Lata/Folha de flanders e Alúminio de 0,5; 1; 2; 3; 4; 5; 10 e20 L;
Tambor plástico ou metálico de 200 L;
Saco plástico ou de papel multifoliado de 10 e 20 L;
Caixa de papelão de 10 e 20 L.

Modo de aplicação:
Diluir a dose recomendada de REGALIA® Maxx em água para cada situação.
Equipamentos de aplicação:
Vide Modo de aplicação.
A escolha dos equipamentos a serem utilizados para aplicação deste produto poderá sofrer alterações a critério do Engenheiro Agrônomo, tomando-se o cuidado de evitar sempre a deriva e perdas do produto por evaporação.
Aplicação terrestre:
BATATA - Após diluição do produto, aplicar um volume de calda de 500L1ha, por meio de pulverizador costal motorizado equipado com barra e bico do tipo XR 110.02. Aplicar uma pressão de trabalho de 30 a 45 lb/pol2 de forma a obter uma boa cobertura das plantas.
FEIJÃO - Após diluição do produto, aplicar um volume de calda de 400L/ha, por meio de pulverizador costal manual equipado com lança e bico do tipo XR 110.02. Aplicar uma pressão de trabalho de 30 a 45 lb/pol2 de forma a obter uma boa cobertura das plantas.
TOMATE - Após diluição do produto, aplicar um volume de calda de 1000LIha, por meio de pulverizador costal motorizado equipado com lança e bico do tipo cone vazio XR 110.04. Aplicar uma pressão de trabalho de 30 a 55 lb/pol2 de forma a obter uma boa cobertura das plantas.

Intervalo de segurança para cada cultura:
Intervalo de segurança não determinado devido à ocorrência natural do ingrediente ativo extrato de Reynoutria sachalinensis.
Intervalo de reentrada:
Aplicação terrestre: Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
Quando fizer imersão de tubérculos e no tratamento pós-colheita, não há restrições para reentrada de pessoas.
Limitações de uso:
Para beneficiar a atuação do produto REGALIA Maxx na proteção de plantas, são recomendadas as seguintes práticas culturais:
• Recomenda-se evitar aplicações na presença de ventos fortes (acima de 10 km/hora), nas horas mais quentes do dia (temperatura acima de 27° C) e umidade relativa do ar abaixo de 50%, visando diminuir as perdas por deriva e evaporação;
• Não utilizar o produto Regalia Maxx em água com pH alcalino;
• O produto não é fito tóxico quando aplicado nas doses e épocas recomendadas;
• Não são conhecidos efeitos de incompatibilidade de Regalia Maxx com outros produtos.

MINISTÉRIO DA SAÚDE - AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA
DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA
ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES.
PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.
PRECAUÇÕES GERAIS:
• Produto para uso exclusivamente agrícola;
• Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto;
• Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados;
• Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser vestidos na
seguinte ordem: macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas; • Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) danificados;
• Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos;
• Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca;
• Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
• Produto extremamente irritante para os olhos.
• Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas
em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência;' -
• Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos;
• Utilize equipamento de proteção individual (EPI): macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima dos punhos das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral e luvas de nitrila.
• Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
• Evite o máximo possível o contato com a área tratada;
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. • Verifique a direção do vento e aplique de modo a não entrar na névoa do produto;
• Aplique o produto somente nas doses recomendadas;
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima dos punhos das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
• Evite o máximo possível o contato com a área tratada;
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. • Verifique a direção do vento e aplique de modo a não entrar na névoa do produto;
• Aplique o produto somente nas doses recomendadas;
• Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima dos punhos das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2 ou P3; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
• Sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ARFA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada.
• Caso necessite entrar na área tratada com o produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados para o uso durante a aplicação;
• Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
• Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPIs), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação;
• Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na
seguinte ordem: touca árabe, óculos; avental, botas, macacão, luvas e máscara; • Tome banho imediatamente após a aplicação do produto;
• Troque e lave as suas roupas de proteção separadas das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável;
• Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto;
• Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante;
• Não reutilize a embalagem vazia;
• No descarte de embalagens, utilize equipamento de proteção individual - EPIs: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência, levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para beber ou comer.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante pelo menos 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato, tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro.
Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deveria proteger-se da contaminação usando luvas e avental impermeáveis, por exemplo.

INFORMAÇÕES MÉDICAS

Grupo químico: Não aplicável
Classe toxicológica: I - Extremamente tóxico
Vias de exposição: Oral, dérmica, ocular e inalatória.
Emodin: liberação de histamina e serotonina e inibição da Na/K ATPase na mucosa intestinal.
Toxicocinetica - Emodin: liberação de histamina e serotonina e inibição da Na/K ATPase na
mucosa intestinal.
Resveratrol: rapidamente absorvido no trato gastrointestinal humano e metabolizado no fígado (sulfo e glicuroconjungação). Sua meia vida é de 8 a 14 minutos e a de seu metabólitos é de 9,2 horas. A excreção é predoninantemente urinária.
Lauril Sulfato de Sódio: boa penetração dérmica, mesmo em baixas concentrações.
Propilenoglicol: rápida absorção pélas vias oral e dérmica. Ampla distribuição corporal; meia-vida de 2 a 5 horas, mas de 16 horas em crianças pequenas. Aproximadamente 45% da dose absorvida são excretados inalterados na urina e o restante é metabolizado, no fígado, a lactato e, em seguida, a piruvato e acetato.

Mecanismos de Toxicidade: Emodin: ação irritante em pele e mucosas, catártica e fotossensibilizante.
Resveratrol: nefrotoxicidade em altas doses.
Lauril Sulfato desódio: deslipidificante e irritante em pele e mucosas. Efeito degenerativo tissular por desnaturação de membranas celulares. Reações alérgicas, sobretudo em pessoas com dermatite.
Propilenoglicol: efeito irritante; depressor do sistema nervoso central (SNC).
Causa acidose metabólica quando metabolizado a ácido láctico pelas enzimas hepáticas.

Sintomas e Sinais Clínicos: Toxicidade Aguda:
Dérmica: irritação, eritema, dor, pele seca, dermatite de contato, eczema, aumento da permeabilidade do estrato córneo da pele para xenobióficos em geral. Elevado potencial de sensibilização dérmica.
Ocular: eritema conjuntival, blefaroespasmo, dor local, lacrimejamento e lesão
da córnea.
Inalatúria: congestão nasal, irritação, tosse, cefaleia, dispneia, faringite seca, edema das vias aéreas superiores e desconforto respiratório, broncoespasmo, pneumonia química e angústia respiratória, especialmente em crianças.
Orar irritação, diarreia, náuseas, vômitos, estimulação da produção gástrica de muco, cólicas abdominais, estenose de esôfago, lesões no trato gastrintestinal, hemorragia gastrintestinal, lesão hepática e nefrite para exposição a altas doses.
Urina: avermelhada quando alcalina; amarronzada quando ácida. Importante
diferenciar a urina vermelha de hematúria.
Sistêmica: alergias, reações anafiláticas, depleção de fuidos, hiperosmolaridade, hipotensão, tontura, convulsões, coma, palpitações, depressão do SNC, analgesia, acidose láctica, insuficiência renal, arritmias, parada cardíaca e óbito.
ATENÇÃO: população e risco: crianças, pacientes com insuficiência hepática
e renal, antecedentes alérgicos e úlceras orais recorrentes.

Toxicidade Crônica:
Emodin: não há dados para humanos.
Resveratrol: não há dados para humanos.
Lauril sulfato de sódio: pode produzirasma ou eczema ocupacional.
Propilenoglicol: em formulações de medicamentos, tem causado acidose láctica, toxicidade renal proximal, hipoglicemia, estupor, convulsões, arritmias e dermatite.

Diagnóstico:
O diagnóstico é estabelecido pela confirmação da exposição e ocorrência de
quadro clínico compatível, devendo buscar-se, no exame físico, antecedentes
pessoais, familiares e profissionais e demais informações disponíveis.

Tratamento:
Antídoto: não há antídoto específico.
Tratamento: remoção da fonte de exposição; descontaminação; proteção das vias respiratórias, pelo risco de aspiração em caso de vômito ou lavagem gástrica; tratamento sintomático e de suporte.
Exposição Oral: na maioria dos casos não é necessário realizar lavagem gástrica. Considere até 1 hora após a ingestão de uma grande quantidade do produto. Proteger as vias aéreas durante o procedimento.
Contra-indicações: perda de reflexos protetores das vias respiratórias ou alteração de consciência em pacients não-intubados; corrosivos e hidrocarbonetos; risco de hemorragia ou perfuração gastrintestinal
Intoxicação grave:
1. Emergência, suporte e tratamento sintomático: manter as vias
aéreas permeáveis: aspirar secreções, administrar oxigênio e intubar,
se necessário. Atenção especial para parada respiratória repentina,
hipotensão e arritmias. Uso de ventilação assistida, se requerida.
Monitorar funções renal e hepática, oxigenação, eletrólitos, ECG, etc.;
2. Avaliação oftalmológica para lesões na córnea;
3. Hemodiálise em caso de intoxicação grave, insuficiência renal e acidose grave;
4. Endoscopia: considere em casos de irritação gastrintestinal ou esofágica grave, para avaliar a extensão do dano. Atenção para o risco de perfuração esofagiana;
5. Monitorar sintomatologia alérgica.
- Manter internação por no mínimo 24 horas após o desaparecimento dos sintomas.

Contra-indicações: A indução de vômito é contraindicada em razão do risco de aspiração.
Efeitos Sinergéticos:
Resveratrol: efeitos sinérgicos quando administrado com outros antioxidantes. Produz intermediários reativos que podem inibir as enzimas do citocromo P450, como a CYF1A1.
Lauril sulfato de sódio: aumenta a permeabilidade do estrato córneo da pele para outros agentes nocivos, facilitando a irritação. Sinergismo com outros irritantes de pele e mucosas.

Outros componentes: podem afetar a biodisl3onibilidade de certas drogas,
por inibição do citocromo P450 3A (por exemplo: benzodiazepínicos).
Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter informações especializadas sobre o diagnstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica
RENACIAT - ANVISA/MS

Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN/MS)
Telefone de emergência da empresa: (Oxx11) 3124-4455.

MECANISMOS DE AÇÃO ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO:
Os mecanismos de ação, absorção e excreção não são conhecidos em seres humanos.
EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS:
Exposição aguda:
- DL50 oral: em ratos, é superior a 2000 mg/kg p.c.
- DL50 dermal: em ratos, é superior a 4000 mg/kg p.c.
- CLso inalatória (4 horas): em ratos, é superior a 1,205 mg/L de ar (maior concentração atingida na zona de respiração). Não houve mortalidade e os animais não apresentaram sinais de toxicidade.
- Irritação dérmica: em coelhos albinos, foram observados leve eritema e edema; não foram observados efeitos sistêmicos nos animais testados durante o período de observação.
Irritação ocular: em coelhos albinos, foram observados os seguintes efeitos: opacidade da córnea e conjuntivite (até o 40 dia após instilação) e irite (até 24 h após instilação). Todos os animais estavam livres de irritação ocular no 70 dia.
- Sensibilização dérmica: em cobaias, o produto não foi considerado sensibilizante.
Exposição crônica:
Emodin: nefrotoxicidade e pigmentação dos túbulos renais em murinos.
Resveratrol: em camundongos, houve aumento no peso do fígado é elevação do colesterol sérico para administração de altas doses, pelo período de seis meses. Além disso, apontaram-se hidronefrose e hiperplasia epitelial da bexiga. Estudos in vitro demostraram que dosesorais e subcutâneas geraram atamento de efeitos estrogênicos. Efeitos sinérgicos com estradiol em camundongos também foram observados, como por exemplo, a redução do colesterol sérico.
Lauril sulfato de sódio: diarreia e edema intestinal; aumento da produção de muco e reações alérgicas respiratórias. Dses orais de 200 mg/kg/dia e tópicas de 170 a 1700 mg/kg/dia produziram toxicidade maerna e' aumento nas taxas de malformação e de morte da prole. Doses menores (60 a 90 mg/kg/dia) mostraram toxicidade materna associada à redução no peso dos fetos.
Propilenoglicol: gatos expostos cronicamente pela via oral desenvolveram depressão, ataxia, acidose láctica e anemia hemolítica.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS
RENOVÁVEIS - IBAMA
1. PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
• Este produto é
- Altamente perigoso ao Meio Ambiente (Classe l)
- Muito perigoso ao Meio Ambiente (Classe II)
- Perigoso ao Meio Ambiente i Classe III)
- (x) Pouco perigoso ao Meio Ambiente (Classe IV)
• Evite a contaminação ambiental - Preserve a natureza.
• Não utilize equipamento com vazamento.
• Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. • Aplique somente as doses recomendadas.
• Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
• A destinação inadequada de embalagens ou restos do produto ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

2. INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
• Manter o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis para envolver adequadamente
embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. -
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. da
Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.
3. INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
• Isole e sinalize a área contaminada.
• Contate as autoridades locais competentes e a empresa PROPHYTO COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA - Telefone de Emergência: (Oxx11) 3124-4455.
• Utilize o Equipamento de Proteção Individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetor e máscara com filtro combinado
• Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado - absorva o produto com serragem ou areia, recolha o produto com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
Solo - retire as camadas de terra contaminadas até que atinja o solo não contaminado Recolha este material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima
Corpos d'água - interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
• Em caso de incêndio, use extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA DE CO2 OU PÓ QUÍMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

4. PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO
TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
- EMBALAGEM RÍGIDA LAVÁVEL:
• LAVAGEM DA EMBALAGEM
Durante o procedimento de lavagem e operador deverá estar utilizando os mesmos EPIs - Equipamentos de Proteção Individual, recomendados para o preparo da calda do produto
Tríplice lavagem (lavagem manual):
Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de tríplice lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos
• Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos:
• Adicione água limpa à embalagem até 1/4 do seu volume:
• Tampe bem as embalagens e agite-a por 30 segundos:
• Despeje a água de lavagem no tanque do pulverizador:
• Faça esta operação 3 vezes.
• Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.
- Lavagem sobre pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos
• Encaixe a embalagem vazia no local apropriado ao funil instalado no pulverizador,
• Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
• Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem por 30 segundos;
• A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
• Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo;
Ao utilizar equipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos.
-Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização em posição vertical durante 30 segundos;
-Manter a embalagem nesta posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as partes internas da embalagem, por 30 segundos;
-Toda água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador; -Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

• ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
Após a realização da tríplice lavagem ou lavagem sobre pressão, esta embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas:
O armazenamento das embalagens vazias, até a devolução pelo usuário deve ser efetuado em local coberto, ventilado ao abrigo da chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.

• DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa pelo usuário ao estabelecimento onde foi adquirido o produto, ou no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra,
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado neste prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade;
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

• TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

• ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA: .•
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário de ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso onde são guardadas as embalagens cheias

• DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA:
É obrigatória a devolução da embalagem vazia pelo usuário, onde foi adquirido o produto, ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial.

• TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

• DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO
- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS:
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no Meio Ambiente causa à contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas
- PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Caso este produto venha a se tornar impróprio para a comercialização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rotulo para a sua devolução e destinação final.
A destinação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgãos ambientais competentes.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.

INFORMAÇÕES SOBRE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS:
Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de doenças envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como os controles: cultural, biológico, microbiano, comportamental, químico, e uso de variedades resistentes, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos com mecanismo de ação distinto.

INFORMAÇÕES SOBRE O MANEJO DE RESISTÊNCIA:
Seguir as recomendações atualizadas de manejo do FRAC-BR (Comitê de Ação a Resistência á Fungicida - Brasil) - Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O FRAC-BR recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
• Qualquer produto para controle de doenças da mesma classe ou de mesmo modo de ação
não deve ser utilizado em aplicações consecutivas do mesmo patógeno, no ciclo da cultura.
• Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
• Sempre consultar um profissional legalmente habilitado para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.