Bula Bion 500 WG

acessos
Acibenzolar-S-Methyl
5801
Syngenta

Composição

Acibenzolar-S-metílico 500 g/kg Benzotiadiazol

Classificação

Ativador de planta
III - Medianamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Ativador de plantas
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Xanthomonas axonopodis pv. malvacearum)
15 a 25 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 8 aplicações/safra. 21 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Ramularia
(Ramularia areola)
15 a 25 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 8 aplicações/safra. 21 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Requeima
(Phytophthora infestans)
25 g p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 6 aplicações/safra. 14 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Cacau Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Vassoura de bruxa
(Crinipellis perniciosa)
300 g p.c./100 L de água 30 a 50 mL/planta - Reaplicar a cada 60 dias, totalizando 3 aplicações ao ano. Intervalo de segurança não determinado, devido à modalidade de emprego. Uso recomendado para aplicações na produção de mudas. Iniciar as aplicações com um período de antecedência de cerca de 30 dias em relação ao início da época crítica de infecção da vassoura-de-bruxa
Cebola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Míldio
(Peronospora destructor)
25 g p.c./ha 500 L de calda/ha - Reaplicar após o transplante definitivo em intervalos de 7 a 14 dias, totalizando no máximo 5 aplicações/safra. 14 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no viveiro de mudas aos 20 dias antes do transplante de mudas (uma aplicação)
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Clorose Variegada dos Citros
(Xylella fastidiosa)
80 g p.c./100 L de água 30 a 50 mL/planta - Repetindo-se em intervalos de 45 dias, totalizando 4 aplicações ao ano. Intervalo de segurança não determinado, devido à modalidade de emprego. Uso recomendado para aplicações na produção de mudas. Iniciar as aplicações nos períodos de maior crescimento vegetativo
Crisântemo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem branca
(Puccinia horiana)
50 g p.c./ha 800 L de calda/ha - Realizar no máximo seis aplicações com intervalo de 7 dias. Uso não alimentar. Iniciar as aplicações de forma totalmente preventiva entre 10 a 15 dias após o transplantio
Eucalipto Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bacteriose
(Xanthomonas axonopodis)
25 g p.c./100 L de água 200 L de calda/ha - Repetir as aplicações em intervalos de 7 dias. Uso não alimentar. Realizar oito aplicações preventivamente, iniciando aos 15 dias após o estaqueamento
Mancha bacteriana
(Pseudomonas cichorii)
25 g p.c./100 L de água 200 L de calda/ha - Repetir as aplicações em intervalos de 7 dias. Uso não alimentar. Realizar oito aplicações preventivamente, iniciando aos 15 dias após o estaqueamento
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
25 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Reaplicar a cada 14 dias, totalizando no máximo 3 aplicações/safra. 14 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Crestamento bacteriano comum
(Xanthomonas axonopodis pv. phaseoli)
25 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Reaplicar a cada 14 dias, totalizando no máximo 3 aplicações/safra. 14 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Mosaico dourado
(Bean Golden Mosaic Virus)
25 g p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Reaplicar a cada 14 dias, totalizando no máximo 3 aplicações/safra. 14 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Melancia Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha aquosa
(Acidovorax avenae ssp citrulli)
25 g p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - Reaplicar em intervalos de 7 a 14 dias, totalizando no máximo 4 aplicações/safra. 1 dia. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha aquosa
(Acidovorax avenae ssp citrulli)
25 g p.c./ha 300 a 500 L de calda/ha - Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 4 aplicações/safra. 1 dia. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha bacteriana
(Pseudomonas syringae pv. tomato)
5 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Reaplicar a cada 5-7 dias, totalizando no máximo 10 aplicações/safra. 5 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Em tomate envarado, iniciar as aplicações quando as plantas ultrapassarem a altura do primeiro amarrio. Em tomate rasteiro, iniciar as aplicações quando a cultura atingir cerca de 30 dias de idade
Mancha-bacteriana
(Xanthomonas vesicatoria)
5 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Reaplicar a cada 5-7 dias, totalizando no máximo 10 aplicações/safra. 5 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Em tomate envarado, iniciar as aplicações quando as plantas ultrapassarem a altura do primeiro amarrio. Em tomate rasteiro, iniciar as aplicações quando a cultura atingir cerca de 30 dias de idade
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
5 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Reaplicar a cada 5-7 dias, totalizando no máximo 10 aplicações/safra. 5 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Em tomate envarado, iniciar as aplicações quando as plantas ultrapassarem a altura do primeiro amarrio. Em tomate rasteiro, iniciar as aplicações quando a cultura atingir cerca de 30 dias de idade
Requeima
(Phytophthora infestans)
5 g p.c./100 L de água 500 a 1000 L de calda/ha - Reaplicar a cada 5-7 dias, totalizando no máximo 10 aplicações/safra. 5 dias. O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Em tomate envarado, iniciar as aplicações quando as plantas ultrapassarem a altura do primeiro amarrio. Em tomate rasteiro, iniciar as aplicações quando a cultura atingir cerca de 30 dias de idade
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Oídio
(Blumeria graminis f.sp. tritici)
25 g p.c./ha 150 L de calda/ha - Reaplicar a cada 14 dias,totalizando no máximo 3 aplicações/safra. 21 dias. Aplicações preventivas

Saco * de papel Kraft ou plástico (polietileno ou polipropileno) para 1, 5, 10 e 20 kg. Fibrolata* (fibra de papel) para 1 kg e 500 g. Barrica * (fibra de papelão, plástico, aço ou ferro) para 5, 10, 20 e 40 kg. Saco de alumínio com embalagem interna hidrossolúvel para 5, 10, 15 e 25 gramas. Cartucho de papelão com saco interno de plástico, alumínio ou material hidrossolúvel; Caixa de cartão revestida de plástico com saco interno de plástico, alumínio ou material hidrossolúvel e Cartucho de papelão com frasco interno de plástico para 100 g; 250 g; 500g; 1kg; 1,2 kg; 2kg e 3 kg. Frasco plástico (polietileno de alta densidade) para 100g, 250 g, 500g e 1 kg.

* estas embalagens podem conter sacos hidrossolúveis.

Todos os valores abaixo estão em Kg

Balde metálico: 3, 5 e 10
Barrica de aço, ferro, fibra e plástico: 25, 45, 100, 150, 200 e 250
Big-bag de ráfia e plástico: 350, 400, 450, 500, 550, 600, 620, 680, 750, 800, 900, 937,5 e 1000
Bambona de plástico: 3, 5 e 10
Cartucho de papelão: 1, 1,5, 2, 3, 5
Container de plástico e metálico: 500, 1000, 2000, 5000 e 10000
Frasco plástico: 1,5, 2 e 3
Saco plástico e de ráfia: 0,01, 0,02, 0,03, 0,04, 0,05, 0,067, 1, 1,5, 2, 5, 10, 15, 20, 25, 40, 45, 50, 55, 57 e 60
Saco de papel: 0,01, 0,02, 0,03, 0,04, 0,05, 57 e 60
Tambor de fibra celulósica: 5, 10, 15, 20, 25, 40, 45, 50, 55, 57, 60, 100 e 180
Tambor de metal e plástico: 5, 10, 15, 20, 25, 40, 45, 50, 55, 57, 60, 100, 180, 200, 220 e 400.

INSTRUÇÕES DE USO:
BION 500 WG é um ativador de plantas e não tem ação direta contra os patógenos. Aplicado na parte aérea das plantas, ele ativa os seus próprios mecanismos naturais de defesa e aumenta sua resistência às doenças. Devido ao seu modo de ação particular, o produto deve ser aplicado antes da entrada dos patógenos, de forma preventiva. O produto é rapidamente absorvido pelos tecidos foliares e se transloca sistemicamente, tanto para as folhas quanto para as raízes, ativando assim a planta de forma generalizada. Efetuar as aplicações do BION 500 WG mantendo o programa rotineiro de fungicidas. Devido às suas características, o produto é indicado para o Manejo Integrado de Doenças.

CULTURAS, DOENÇAS E DOSES:
Vide a seção “Indicações de Uso/Doses”

INÍCIO, NÚMERO E ÉPOCA DE APLICAÇÃO:
ALGODÃO: O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo. Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 8 aplicações/safra. Utilizar a dose mais alta em condições de alta pressão, especialmente de Ramularia (alta suscetibilidade varietal, plantios tardios). Efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de fungicidas e bactericidas para o controle de doenças do algodoeiro.

BATATA: O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo. Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 6 aplicações/safra. Efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de fungicidas e bactericidas para o controle de doenças da batata.

CACAU (mudas): Uso recomendado para aplicações na produção de mudas. Iniciar as aplicações com um período de antecedência de cerca de 30 dias em relação ao início da época crítica de infecção da vassoura-de-bruxa. Reaplicar a cada 60 dias, totalizando 3 aplicações ao ano.

CITROS (mudas): Uso recomendado para aplicações na produção de mudas. Iniciar as aplicações nos períodos de maior crescimento vegetativo, repetindo-se em intervalos de 45 dias, totalizando 4 aplicações ao ano.

FEIJÃO: O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo. Reaplicar a cada 14 dias, totalizando no máximo 3 aplicações/safra. Efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de fungicidas e bactericidas para o controle de doenças do feijoeiro. No caso do mosaico dourado, efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de inseticidas para o controle da mosca branca.

MELÃO: O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Iniciar as aplicações no início do desenvolvimento vegetativo. Reaplicar a cada 7 dias, totalizando no máximo 4 aplicações/safra. Efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de fungicidas e bactericidas para o controle de doenças do meloeiro.

TOMATE: O início das aplicações deve ser feito de forma totalmente preventiva. Em tomate envarado, iniciar as aplicações quando as plantas ultrapassarem a altura do primeiro amarrio. Em tomate rasteiro, iniciar as aplicações quando a cultura atingir cerca de 30 dias de idade. Reaplicar a cada 5-7 dias, totalizando no máximo 10 aplicações/safra.
Efetuar as aplicações de BION 500 WG dentro do programa rotineiro de fungicidas para o controle de doenças do tomateiro.

MODO DE APLICAÇÃO:
A dose recomendada deve ser diluída em água e aplicada na forma de pulverização com qualquer tipo de equipamento terrestre, através de pulverizadores costais (manual, pressurizado ou motorizado), ou tratorizados com barra. Os equipamentos devem ser adaptados com bicos de jato cônico vazio da série "D" ou similar, com pressão variando de 80 a 100 PSI, observando-se uma cobertura total das plantas, ou observando-se o Diâmetro Mediano Volumétrico (DMV) de 200 a 250µm e densidade acima de 200 gotas/cm².

Recomendam-se os seguintes volumes de calda:
Cacau (mudas): 30-50 mL/planta, conforme o desenvolvimento das mudas
Citros (mudas): 30-50 mL/planta, conforme o desenvolvimento das mudas
Feijão, algodão: 200-300 L/ha
Melão, batata: 300-500 L/ha
Tomate: 500 a 1.000 L/ha, conforme o desenvolvimento das plantas

INTERVALO DE SEGURANÇA (período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita):
Algodão: 21 dias
Batata: 14 dias
Cacau e citros: Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego.
Feijão: 14 dias
Melão: 1 dia
Tomate: 5 dias

LIMITAÇÕES DE USO:
Não há casos de incompatibilidade conhecidos.
- Fitotoxicidade para as culturas indicadas: Quando aplicado segundo as recomendações, o produto pode ser aplicado sem risco particular de fitotoxicidade.

PRECAUÇÕES GERAIS: Uso exclusivamente agrícola. Não distribua, não prepare a calda e não aplique o produto sem o uso de todos os equipamentos individuais de proteção que estão qualificados nesta bula; Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto; Ao utilizar o equipamento de aplicação, verifique o seu estado de conservação - não utilize equipamentos com vazamento ou defeitos; Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca; Não utilize equipamentos de proteção individual danificado; Ao abrir a embalagem faça-o de modo evitar poeiras. Não transporte o produto juntamente com rações, alimentos, medicamentos, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Para usar o produto: abrir a embalagem, preparar a calda aplicá-lo, armazená-lo e descartar a embalagem - utilize os equipamentos de proteção individual, conforme qualificados nesta bula.

SE HOUVER CONTATO DO PRODUTO COM QUALQUER PARTE DO CORPO, LAVE-A IMEDIATAMENTE E VEJA PRIMEIROS SOCORROS.

Produto moderadamente irritante para os olhos. Para proteger os olhos, use PROTETOR OCULAR. Se houver contato com os olhos, lave-os com água, imediatamente, e veja PRIMEIROS SOCORROS - sendo possível, ligue também para o Centro de Informação Toxicológica, cujo telefone é fornecido nesta Bula. Evite ter contato do produto com o corpo. Evite inalar, cheirar ou aspirar o produto. Não coma, não beba e nem fume enquanto manusear o produto, lave as mãos e a face antes de fazê-los. Se houver alguma indisposição, pare de trabalhar, siga as medidas de primeiros socorros e procure um médico. Se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.

Use os equipamentos de proteção individual para a preparação da calda: macacão com mangas compridas, protetor ocular ou facial, luvas impermeáveis e botas. Se o produto for acidentalmente ingerido, VEJA PRIMEIROS SOCORROS - Se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula. Se o produto entrar em contato com a pele, remova as roupas contaminadas, lave as partes atingidas imediatamente, com bastante água, por várias vezes e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Produto moderadamente irritante para a pele. Se o produto entrar em contato com os olhos, lave-os imediatamente, com bastante água, por várias vezes e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Se o produto for inalado, remova a pessoa para local arejado e se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto contra o vento ou na presença de ventos fortes. Evite inalar ou aspirar a nuvem de pulverização. Proteja-se usando os seguintes equipamentos de proteção para a aplicação: macacão de mangas compridas, luvas impermeáveis, máscara protetora, chapéu ou boné e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto na embalagem original, adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Guardar longe de alimentos, bebidas e ração animal. APÓS O USO, limpe completamente o equipamento de proteção e lave todo o corpo e troque as roupas. Lave as roupas contaminadas (separadamente das roupas normais) antes de reutilizá-las. Evite ao máximo o contato com a área já aplicada até o término do intervalo de reentrada na área. Obedeça ao intervalo de reentrada. A reentrada na área só deverá ocorrer quando a calda aplicada estiver seca. Caso necessite entrar na área já aplicada pelo produto, antes desse período, use todos os equipamentos de proteção.

PRIMEIROS SOCORROS: Em caso de ingestão acidental: Administrar repetidamente carvão medicinal em grande quantidade de água. Não induza o vômito, procure imediatamente um médico levando a bula, rótulo ou receita agronômica do produto. Se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.

NOTA: Nunca dê nada pela boca a uma pessoa inconsciente.

Em caso de contato com a pele: Remova a roupa contaminada e lave completamente a área do corpo afetada com água e sabão, inclusive os cabelos e sob as unhas. Em caso de contato com os olhos: Lave os olhos com água limpa por vários minutos e procure imediatamente um médico, levando a bula, rótulo ou receita agronômica do produto. Se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula. Em caso de inalação do produto, remova a pessoa da área contaminada para um local bem ventilado e proteja contra o resfriamento do corpo. Em qualquer caso de suspeita de intoxicação, procure imediatamente um médico, mostre a bula, rótulo ou receita agronômica do produto, se possível, ligue para os telefones de emergência da Empresa ou Centro de Informação Toxicológica, cujos telefones estão mencionados nesta bula.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

SINTOMAS DE INTOXICAÇÃO: Não específicos.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO (INFORMAÇÕES PARA USO MÉDICO): Não há antídoto específico. Tratamento sintomático em função do quadro clínico. Medidas terapêuticas imediatas para reduzir ou impedir a absorção, neutralizar a ação do produto e intensificar sua eliminação. Em caso de ingestão: Administração de carvão ativado e laxantes, lavagem gástrica (considerar a rápida absorção do composto). Não se conhece interações medicamentosas ou contra-indicações no tratamento dos intoxicados com este produto.

TELEFONE PARA CASOS DE EMERGÊNCIA: EMERGÊNCIAS: Plantão Syngenta 24 horas: Tel: 0800-262500 ou 0800-160210.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: Estudos realizados em animais de laboratório, com administração de Acibenzolar-S-Methyl por via oral, mostraram que cerca de 90% do produto ingerido, é rapidamente absorvido pelo trato gastro-intestinal, prontamente metabolizado e excretado (cerca de 90% pela urina e cerca de 5% pelas fezes). Não houve bioacúmulo do produto nos órgãos e em tecidos. Os resíduos em órgãos e tecidos decresceram rapidamente com meia vida menor que 5 horas. O metabolismo foi similar em machos e fêmeas e independente da dose ou pré-tratamento.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: DADOS AGUDOS DA FORMULAÇÃO: Estudos realizados com animais de laboratório evidenciaram baixo grau de toxicidade aguda oral, dermal.e inalatória, leve irritação para pele e olhos e ausencia de sensibilização. Toxicidade aguda oral (ratos): maior que 5.000 mg/kg. Não houve sintomas de intoxicação. Toxicidade aguda dérmica (ratos): maior que 2.000 mg/kg. Não houve sintomas de intoxicação. Toxicidade aguda inalatória (ratos): maior que 2,76 mg/l. Os animais apresentaram atividade reduzida e piloereção. Irritação a olhos (coelhos): Irritação moderada reversível em 72 horas. Irritação a pele (coelhos): Irritação leve, reversível em 7 dias. Sensibilidade dérmica (porquinhos da índia): Não sensibilizante

DADOS CRÔNICOS: No animal mais sensível, o cão, Acibenzolar-S-Methyl não provocou efeitos adversos até o nível de 5 mg/dia do produto por kg de peso corpóreo do animal testado. Na dose mais alta, 200 mg/dia do produto por kg de peso corpóreo do animal testado, foi observada uma leve depressão no ganho de peso corpóreo em fêmeas, uma anemia hipocrômica moderada com reticulócitos e aumento da hematopoiesis extramedular e sinais morfológicos de aumento da ciclagem de células vermelhas do sangue, uma toxicidade ao fígado moderada, uma diminuição dos parâmetros das células brancas do sangue e mudanças nos eletrólitos.

TELEFONE PARA CASOS DE EMERGÊNCIA: Plantão Syngenta 24 horas: Tel: 0800-262500 ou 0800-160210.

CENTROS DE INFORMAÇÕES TOXICOLÓGICAS: São Paulo: (0XX11) 5011-5111. Campinas: (0XX19) 3788-7573. Paraná: 0800-410148. Rio Grande do Sul: 0800-780200.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III). Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d´água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência, com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. - telefone de emergência: Plantão Syngenta 24 horas: Tel: 0800-262500 ou 0800-160210. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado: Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a Empersa ou o distribuidor ou qualquer erpresentante da Empresa na região. O produto deverá ser desativado conforme orientações de destinação de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água.

Solo: Retire as camadas de terra contaminada, até atingir o solo não contaminado e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.

Corpos d´água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: Não reutilize as embalagens. As embalagens devem ser perfuradas de maneira a torná-las inadequadas para outros usos (exceto em caso de existência do recolhimento das mesmas pela Empresa). Observar as legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido enterrar embalagens. Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente. Para desativação de restos do produto, contate a Empresa SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo órgão estadual responsável, equipados de câmaras para lavagem de gases efluentes.

Devido às suas características, o produto é indicado para o Manejo Integrado de Doenças (MID). Recomenda-se, de modo geral, o MID envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Não é requerida instrução de manejo de resistência, pois o produto ativa múltiplos mecanismos de defesa das plantas sobre os microrganismos.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.