Bula Copsuper

acessos
Oxicloreto de cobre
6310
Oxiquímica

Composição

Oxicloreto de cobre 588 g/kg Inorgânico

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Contato
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Xanthomonas axonopodis pv. malvacearum)
200 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações com intervalos de 5 a 10 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação no período de pré-florescimento, repetindo com intervalos de 5 a 10 dias
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Cercosporiose
(Cercosporidium personatum)
1 a 1,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar no máximo 4 aplicações com intervalos de 14 - 15 dias. Sem restrições. Iniciar as aplicações (preventivas) em intervalos de 14-15 dias até o final do ciclo, sendo a primeira aplicação, 40 a 45 dias após a semeadura
Mancha castanha
(Cercospora arachidicola)
1 a 1,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar no máximo 4 aplicações com intervalos de 14 a 15 dias. Sem restrições. Iniciar as aplicações (preventivas) em intervalos de 14-15 dias até o final do ciclo, sendo a primeira aplicação, 40 a 45 dias após a semeadura
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Requeima
(Phytophthora infestans)
200 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações, caso necessário, reaplicar com um intervalos de 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação quando as plantas estiverem com 15 cm de altura
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
2 a 2,5 L p.c./ha 500 a 600 L de calda/ha - Realizar 3 aplicações com um intervalo de 30 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença
Olho pardo
(Cercospora coffeicola)
2 a 2,5 L p.c./ha 500 a 600 L de calda/ha - Realizar 3 aplicações com um intervalo de 30 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem alaranjada da cana
(Puccinia kuehnii)
0,5 a 2 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar 01 aplicação (preventiva). Sem restrições. Aplicar quando a condição apresentar-se favorável à ocorrência da doença
Podridão-abacaxi
(Thielaviopsis paradoxa)
0,5 a 1,5 L p.c./ha 100 L de calda/ha - Realizar 01 aplicação (preventiva). Sem restrições. Aplicar quando a condição apresentar-se favorável à ocorrência da doença
Cebola Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha púrpura
(Alternaria porri)
100 a 200 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 7 aplicações, com um intervalo de 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação quando as plantas estiverem com 30 dias
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha preta
(Phyllosticta citricarpa)
150 a 200 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha - Repetir o tratamento cerca de 30 dias após a primeira, realizando no máximo 04 aplicações. Sem restrições. Iniciar a aplicação preventiva quando 2/3 das pétalas estiverem caídas (florada)
Verrugose da laranja doce
(Elsinöe australis)
2 a 2,5 L p.c./ha 2000 L de calda/ha - Repetir o tratamento cerca de 30 dias após a primeira, realizando no máximo 04 aplicações. Sem restrições. Iniciar a aplicação preventiva quando 2/3 das pétalas estiverem caídas (florada)
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem
(Uromyces appendiculatus)
2 a 3 L p.c./ha 300 L de calda/ha - Realizar no máximo 5 aplicações, repetindo a aplicação com intervalo de 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação 30 dias após a emergência das plantas ou com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença
Mamão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Varíola
(Asperisporium caricae)
1 a 2 L p.c./ha 800 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações, repetindo a aplicação com intervalo de 14 dias. Sem restrições. Iniciar a primeira aplicação logo após o final da sexagem
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
200 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 8 aplicações, repetindo a aplicação com intervalo de 5 - 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação quando os botões florais estiverem volumosos
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Crestamento bacteriano
(Pseudomonas savastanoi pv. glycinea)
0,5 a 1,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar duas aplicações. Sem restrições. Iniciar a primeira aplicação aos 50-60 dias após a emergência e segunda aplicação no estádio R1
Mancha púrpura da semente
(Cercospora kikuchii)
0,5 a 1,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar no máximo duas aplicações. Sem restrições. Iniciar a primeira aplicação aos 50-60 dias após a emergência e segunda aplicação no estádio R1
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pinta preta grande
(Alternaria solani)
200 a 300 mL p.c./100L água 800 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações, repetindo caso necessário em intervalo 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação aos 20 - 25 dias após o transplante das mudas
Requeima
(Phytophthora infestans)
200 a 300 mL p.c./100L água 800 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 6 aplicações, repetindo caso necessário em intervalo 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação aos 20 - 25 dias após o transplante das mudas
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha amarela
(Drechslera tritici-repentis)
0,5 a 1,5 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar duas aplicações com intervalo de 11-15 dias. Sem restrições. Aplicação preventiva a partir da fase de emborrachamento
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Míldio
(Plasmopara viticola)
150 a 200 mL p.c./100L água 500 a 1000 L de calda/ha - Realizar no máximo 7 aplicações, repetindo caso necessário em intervalo 7 dias. Sem restrições. Iniciar a aplicação durante o período de frutificação, pulverizando preventivamente em intervalos de 07 dias

Frasco PEAD - 0,25; 0,5 e 1,0 L.
Bombona PEAD - 5,0 L.
Balde de Polipropileno - 10 e 20 L.

INSTRUÇÕES DE USO.
O produto age por contato(protetor), atuando como coagulador de protoplasma nos alvos biológicos.
As doses variam de acordo com o nível de infecção mais intensas. Em caso de alta infecção e com o desenvolvimento da cultura e maior crescimento da planta, usar a maior dose recomendada. Não exceder as doses recomendadas.
Para o controle da Mancha-angular(Xanthomonas axonopodis pv. malvacearum) na cultura do Algodão, recomenda-se a utilização da dose de 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 1.000 L/ha. Iniciar a aplicação no período de pré-florescimento, repetindo com intervalos de 5 a 10 dias. Utilizar 3 aplicações.
Para os controles da Mancha-castanha(Cercospora arachidicola) e da Mancha-preta(Cercosporidium personatum) na cultura do Amendoim, recomenda-se a utilização da dose de 1,0 a 1,5 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 200 L/ha. Iniciar as aplicações (preventivas) em intervalos de 14 a 15 dias até o final do ciclo, sendo a primeira aplicação em 40 a 45 dias após a semeadura. Utilizar 4 aplicações.
Para o controle da Requeima(Phytophthora infestans) na cultura da Batata, recomenda-se a utilização da dose de 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 1.000 L/ha. Iniciar a aplicação quando as plantas estiverem em 15 cm de altura e repetir com intervalos de 7 dias, se necessário, realizando 6 aplicações.
Para os controles da Ferrugem(Hemilela vastatrix) e da Cercosporiose(Cercospora coffeicola) na cultura do Café, recomenda-se a utilização da dose de 2 a 2,5 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 500 a 600 L/ha. Iniciar a aplicação com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença. Realizar 3 aplicações com um intervalo de 30 dias.
CANA-DE-AÇÚCAR:
Para o controle da Ferrugem-alaranjada(Puccinia kuehnil) recomenda-se a utilização da dose de 0,5 a 2 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 200 L/ha. Realizar 1 aplicação(preventiva) quando a condição apresentar-se favorável à ocorrência da doença.
Para o controle da Podridão-abacaxi(Thielaviopsis paradoxa) recomenda-se a utilização da dose de 0,5 a 1,5 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 100 L/ha. Realizar 1 aplicação(preventiva) com pulverização diretamente sobre as mudas, toletes ou plântulas na época de plantio.
Para o controle da Mancha-púrpura(Alternaria porri) na cultura da Cebola recomenda-se a utilização da dose de 100 a 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 1.000 L/ha. Iniciar a aplicação quando as plantas estiverem com 30 dias e repetir em intervalos de 7 dias, realizando 7 aplicações.
CITROS:
Para o controle da Verrugose(Elsinoe australis) recomenda-se a utilização da dose de 2 a 2,5
L do produto comercial/ha, com volume de calda de 2.000 L/ha.
Para o controle da Pinta-preta(Phyllosticta citricarpa) recomenda-se a utilização da dose de 150 a 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 2.000 L/ha.
Para o controle das doenças dos Citros, iniciar a aplicação preventiva quando 2/3 das pétalas estiverem caídas(florada) e repetir o tratamento cerca de 30 dias após a primeira, realizando 4 aplicações.
Para o controle da Ferrugem(Uromyces appendiculatus) na cultura do Feijão, recomenda-se a utilização da dose de 2 a 3 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 300 L/ha. Iniciar a aplicação 30 dias após a emergência das plantas ou com o aparecimento dos primeiros sintomas da doença e repetir em intervalos de 7 dias, realizando 5 aplicações.
Para o controle da Varíola(Asperisporium caricae) na cultura do Mamão, recomenda-se a utilização da dose de 1 a 2 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 800 L/ha. Iniciar a primeira aplicação logo após o final da sexagem, repetindo com intervalos de 14 dias. Utilizar 6 aplicações.
Para o controle da Antracnose(Colletotrichum gloesporioides) na cultura da Manga, recomenda-se a utilização da dose de 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 1.000 L/ha. Iniciar a aplicação quando os botões florais estiverem volumosos e repetir de 5 a 7 dias, realizando 8 aplicações. Utilizar o intervalo mais curtos em época favorável à doença.
Para os controles da Mancha-púrpura(Cercospora kikuchi) e do Crestamento-bacteriano(Pseudômonas savastanoi pv. glycinea) na cultura da Soja, recomenda-se a utilização da dose de 0,5 a 1,5 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 200 L/ha. Iniciar a primeira aplicação aos 50 a 60 dias após a emergência e segunda aplicação no estádio R1. Utilizar 2 aplicações.
Para os controles da Pinta-preta(Alternaria solani) e da Requeima(Phytophthora infestans) na cultura do Tomate, recomenda-se a utilização da dose de 200 a 300 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 800 a 1.000 L/ha. Iniciar a aplicação aos 20 a 25 dias após o transplante das mudas e repetir a cada 7 dias, necessário, realizando 6 aplicações.
Para o controle da Mancha-amarela(Drechslera tritici-repentis) na cultura do Trigo, recomenda-se a utilização da dose de 0,5 a 1,5 L do produto comercial/ha, com volume de calda de 200 L/ha. Aplicação preventiva a partir da fase de emborrachamento, repetindo-se a cada 11 a 15 dias. Utilizar 2 aplicações.
Para o controle do Míldio(Plasmopora vitícola) na cultura da Uva, recomenda-se a utilização da dose de 150 a 200 mL do produto comercial/100 L de água, com volume de calda de 500 a 1.000 L/ha.

MODO DE PREPARO DA CALDA E DE APLICAÇÃO:
- Formulação de pronto uso para aplicação foliar.
- O produto deve ser diluído em água limpa e aplicado na forma de pulverização sobre as plantas, nas doses recomendadas.
- Equipamentos de aplicação: Utilizar pulverizador tratorizado, com pressão de 100 a 150 libras ou utilizar pulverizador costal com pressão de 50 libras, com bico X-2 ou X-3 ou ainda, utilizar atomizador com pressão de 250 libras.
- Em todas as formas de aplicação deve-se observar que esteja ocorrendo uma boa cobertura de pulverização nas plantas. Observações locais deverão ser efetuadas visando evitar a deriva e a evaporação do produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
SEM RESTRIÇÕES.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda(no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO:

RESTRIÇÕES DE USO/RECOMENDAÇÕES/INCOMPATIBILIDADES
O produto quando diluído em água deverá ser utilizado no mesmo dia. A utilização da mesma calda preparada de um dia para o outro reduz a eficiência do produto. As águas de pulverização devem ser de boa qualidade, com pH 5, ideal para a aplicação do produto. Após as aplicações, lavar interna e externamente os pulverizadores, reservatórios, etc., para evitar problemas de corrosão nos seus componentes à base de ferro e ferro galvanizado. Incompatibilidades: não há casos identificados de incompatibilidades.

2. DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA ANTES DE USAR LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES. PRODUTO PERIGOSO.
USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.
PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agrícola
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto
- Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados
- Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem:
macacão, botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas
- Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados
- Não utilize equipamento com vazamento ou defeitos
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA: - Produto irritante para os olhos
- Caso ocorra contato acidental da pessoa com O produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e
procure rapidamente um serviço médico de emergência
- Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas
passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila
- Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Evite o máximo possível o contato com a área tratada
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia
- Não aplique o produto contra o vento, se utilizar equipamento costa I
- Aplique o produto somente nas doses recomendadas
- Utilize equipamento de proteção individual (EPI): macacão de algodão hidrorrepelente com mangas compridas
passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
- Sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada.
- Caso necessite entrar na área tratada com o produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados para o uso durante a aplicação
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais
- Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de proteção individual (EPls) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
- Tome banho imediatamente após a aplicação do produto
- Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas, utilizar luvas e avental imperméaveis.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto
- Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante
- Não reutilizar a embalagem vazia

- Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
- Evite contaminação ambiental - Preserve a Natureza
- Não utilize equipamento com vazamentos.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
- Aplique somente as doses recomendadas
- Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.

INSTRUÇÃO DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
- O locas deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre recipientes disponíveis para envolver embalagens rompidas.
- Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
- Observe a legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTE
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Contate as autoridades locais competentes e a empresa OXIQUÍMICA AGROCIÊNCIA LTDA.
- Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha (PVC), óculos protetores e máscara com filtros).

Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
- Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílo de uma pá e coloque em recipiente lacrado e indentificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, consulte o resgistrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
As embalagens vazia não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças quando disponível e apropriado.

Seguir as recomendações atualizadas de manejo de resistência do FRAC - BR (Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas - Brasil). Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o patógeno alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de Manejo de Resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Sempre consultar um profissional legalmente habilitado para orientação sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência.