Bula Vitavax-Thiram WP - Arysta Lifescience
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,094 (1,19%)
| Dólar (compra) R$ 5,61 (0,12%)

Bula Vitavax-Thiram WP

Carboxina + Tiram
2428193
UPL

Composição

Tiram 375 g/kg
Carboxina 375 g/L

Classificação

Tratamento de Sementes
Fungicida
3 - Produto Moderadamente Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Sistêmico, Contato

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides (Ramulose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Fusarium oxysporum f.sp. vasinfectum (Fusariose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Lasiodiplodia theobromae (Podridão de raiz)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)
Pythium spp. (Estiolamento)
Rhizoctonia solani (Podridão-radicular)
Rhizopus spp (Mofo preto)

Amendoim

Calda Terrestre Dosagem
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Fusarium spp. (Murcha de fusarium)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)
Rhizoctonia solani (Podridão-radicular)
Rhizopus spp (Mofo preto)
Sclerotium rolfsii (Mofo cinzento)

Arroz

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria alternata (Mancha de alternaria)
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Bipolaris oryzae (Mancha parda)
Curvularia lunata (Mancha das glumelas)
Epicoccum nigrum (Mancha avermelhada dos grãos)
Fusarium oxysporum (Podridão basal)
Microdochium oryzae (Queima foliar)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)
Phoma sorghina (Queima das glumelas)
Pyricularia grisea (Brusone)

Aveia

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria alternata (Mancha de alternaria)
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Drechslera avenae (Helmintosporiose)
Fusarium spp. (Murcha de fusarium)

Cevada

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria alternata (Mancha de alternaria)
Alternaria spp (Pinta preta)
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Bipolaris sorokiniana (Mancha marrom)
Drechslera teres (Mancha angular)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)

Ervilha

Calda Terrestre Dosagem
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Cladosporium herbarum (Verrugose)
Fusarium spp. (Murcha de fusarium)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria alternata (Mancha de alternaria)
Alternaria spp (Pinta preta)
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Cladosporium spp (Cladosporiose)
Colletotrichum lindemuthianum (Antracnose)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)
Rhizoctonia solani (Podridão-radicular)

Milho

Calda Terrestre Dosagem
Acremonium strictum (Tombamento)
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Fusarium moniliforme (Fusariose)
Penicillium oxalicum (Tombamento)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Aspergillus spp (Fungo de pós colheita)
Cercospora kikuchii (Mancha púrpura da semente)
Cercospora sojina (Mancha olho de rã )
Cladosporium cladosporioides (Fungo de pós colheita)
Cladosporium herbarum (Verrugose)
Colletotrichum dematium (Antracnose)
Colletotrichum truncatum (Antracnose)
Penicillium spp (Fungo de armazenamento)
Phoma spp (Mancha marrom)
Phomopsis sojae (Podridão seca)
Pythium spp. (Estiolamento)
Rhizoctonia solani (Podridão-radicular)
Sclerotium rolfsii (Mofo cinzento)

Trigo

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria alternata (Mancha de alternaria)
Aspergillus niger (Mofo preto)
Bipolaris sorokiniana (Mancha marrom)
Cladosporium spp (Cladosporiose)
Fusarium graminearum (Fusariose)
Phoma spp (Mancha marrom)
Stagonospora nodorum (Mancha das glumas)
Tilletia caries (Cárie)
Ustilago tritici (Carvão)

Embalagens: 1, 5,10 e 20 litros. Mistura em tanque (vide Furazin 310 TS).

INSTRUÇÕES DE USO

VITAVAX-THIRAM WP é uma formulação que contém um fungicida sistêmico (CARBOXINA), 375 g/kg e um fungicida de contato (TIRAM) 375 g/kg destinado ao tratamento de sementes para o plantio.
VITAVAX THIRAM WP dá uma maior proteção à semente contra doenças fúngicas durante os estádios susceptíveis da plântula, principalmente em condições desfavoráveis ao desenvolvimento da cultura e durante o armazenamento. Por esta razão o VITAVAX THIRAM WP, pode proporcionar um aumento da porcentagem de germinação, da velocidade de emergência, melhorando a sanidade das plântulas.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO

É realizada apenas uma única aplicação do produto, por ocasião do tratamento de sementes antes da semeadura.

MODO DE APLICAÇÃO/ EQUIPAMENTOS

O tratamento deve ser feito com tambor rotativo ou em outro equipamento que possibilite uma distribuição homogênea do produto. O tratamento pode ser realizado através de via úmida ou seca. Em ambos os casos utilizar um tambor rotativo ou outro equipamento que possibilite uma distribuição homogênea (betoneira). ]
Coloca-se as sementes até 2/3 do tambor adicionando-se VITAVAX-THIRAM WP na dose recomendada, tampa-se e gira-se este tambor até se obter uma distribuição homogênea sobre a superfície das sementes. Se o plantio não ocorrer no mesmo dia secar as sementes à sombra e armazená-las em local seco e fresco.

ÉPOCA DA APLICAÇÃO

Recomenda-se o tratamento das sementes imediatamente antes o plantio.

VIA SECA

Misturar diretamente a quantidade recomendada de VITAVAX-THIRAM WP com as sementes, agitando por 3 a 5 minutos.

VIA ÚMIDA

Diluir a quantidade recomendada de VITAVAX-THIRAM WP em água formando uma pasta em volume suficiente para perfeito recobrimento das sementes acionando o equipamento por 3 a 5 minutos. Sementes umedecidas em excesso, recomenda-se uma secagem antes de armazená-las e/ou semeá-las. Sementes inoculadas devem ser semeadas no mesmo dia do tratamento, não podendo ser armazenadas.

NOTA: Existem no mercado, máquinas especialmente desenhadas para o tratamento de sementes, que proporcionam uma distribuição mais adequada do produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Não se aplica por se tratar de tratamento de sementes.

LIMITAÇÕES DE USO

A semente tratada deve ser usada unicamente para o plantio. Não pode ser usada como alimento, ração ou na produção de óleo. Aplique somente as doses recomendadas.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Seguir as recomendações atualizadas de manejo de resistência do FRAC – BR (Comitê de Ação a Resistência a Fungicidas - Brasil). Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC - BR) recomenda as seguintes estratégias de Manejo de Resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
• Qualquer produto para controle de doenças da mesma classe ou de mesmo modo de ação não deve ser utilizado em aplicações consecutivas do mesmo patógeno, no ciclo da cultura.
• Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência.
• Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.